China cobra dos EUA fim de sanções contra Huawei

Stringer/Reuters
China se opõe a abuso de controles de exportação dos EUA e pede cooperação

Os Estados Unidos devem cancelar imediatamente as sanções contra a fabricante chinesa de equipamentos de telecomunicações Huawei, disse hoje (27) um porta-voz do Ministério do Comércio da China, dias antes dos líderes dos dois países se reunirem para negociações comerciais. A China se opõe ao abuso de controles de exportação pelos EUA e pede que voltem a um caminho de cooperação, disse o porta-voz Gao Feng.

LEIA MAIS: Huawei segue como 2º maior fornecedor de smartphones

O presidente dos EUA, Donald Trump, disse na quarta-feira que um acordo comercial com o presidente chinês, Xi Jinping, é possível de ser alcançado neste fim de semana, quando ambos vão se encontrar em uma cúpula de líderes do Grupo dos 20 no Japão. O mandatário, porém, acrescentou que está disposto a impor tarifas sobre praticamente todas as importações chinesas se tal acordo não for alcançado. Trump sugeriu que a Huawei poderia fazer parte de um acordo.

Os EUA colocaram a maior fabricante mundial de equipamentos de telecomunicações e segunda maior fabricante de smartphones em uma lista negra de exportação, citando questões de segurança nacional, barrando a venda de fornecedores norte-americanos sem aprovação especial do governo.

A Huawei negou que seus produtos representem uma ameaça à segurança. “Pedimos aos Estados Unidos que cancelem imediatamente as sanções contra empresas chinesas, incluindo a Huawei, em prol do desenvolvimento saudável e estável dos laços entre os dois países”, disse Gao, quando perguntado se os dois lados devem chegar a um acordo.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook

Twitter

Instagram

YouTube

Baixe o app de Forbes Brasil na Play Store e na App Store

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).