China e EUA têm novo atrito com comércio e segurança

Getty Images
Governo chinês pede que país não interfira em disputas com Taiwan e Mar do Sul

A China e os Estados Unidos tiveram um novo atrito neste fim de semana relacionado a comércio e segurança, acusando um ao outro de desestabilizar a região e potencialmente o mundo.

LEIA MAIS: EUA inicia cobrança de taxas mais altas de produtos da China 

Falando no Diálogo Shangri-La, a principal cúpula de defesa da Ásia, em Singapura, o ministro da Defesa chinês, Wei Fenghe, alertou os EUA para que não interfiram em disputas de segurança ligadas a Taiwan e ao Mar do Sul da China.

Ontem (1), o secretário interino de Defesa dos EUA, Patrick Shanahan, disse durante a reunião que os norte-americanos não irão mais “andar na ponta dos pés” quanto ao comportamento chinês na Ásia.

“Talvez a maior ameaça de longo prazo aos interesses vitais de Estados nesta região venha dos atores que buscam enfraquecer, em vez de preservar, a ordem internacional baseada em leis”, disse Shanahan.

Foi a mais recente troca de comentários amargos entre os dois lados no momento em que as relações ficam cada vez mais estremecidas devido a uma intensa guerra comercial, ao apoio dos EUA a Taiwan, e à postura militar ostensiva da China no Mar do Sul da China, onde os norte-americanos também conduzem patrulhas livres de navegação.

A China tem se irritado particularmente com recentes decisões do governo do presidente Donald Trump de intensificar o apoio a Taiwan, democrático e auto-governado, incluindo navegações da Marinha dos EUA pelo Estreito de Taiwan, que separa a ilha da China.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).