FedEx confirma devolução de pacote da Huawei

Jim Young/Reuters
A FedEx pediu desculpas por “erro” em uma entrega de um telefone da Huawei

A FedEx pediu desculpas por outro “erro” em uma entrega da Huawei, reacendendo a ira chinesa e atraindo a raiva da mídia estatal que sugeriu que a empresa de entregas dos Estados Unidos poderia acabar na próxima lista da China de empresas que prejudicam os interesses nacionais.

LEIA MAIS: Empresas de chips fazem lobby a favor da Huawei

A empresa informou no domingo (23) que devolveu um pacote – identificado como contendo um telefone da Huawei – devido a um “erro operacional”, e que entregaria todos os produtos fabricados pela Huawei para endereços que não sejam os da Huawei e afiliadas, colocados em uma lista negra de segurança nacional dos EUA.

O ministério das Relações Exteriores da China pediu, hoje (24), uma explicação completa sobre o motivo pelo qual o aparelho foi devolvido ao remetente, um escritor da revista norte-americana “PC Magazine”, que escreveu posteriormente sobre o assunto.

O incidente ocorre quando autoridades chinesas investigam a FedEx por desviar pacotes enviados pela Huawei no mês passado. Enquanto isso, a China também está elaborando uma lista de entidades não confiáveis, com empresas, grupos e indivíduos estrangeiros.

A lista espelha a lista negra dos EUA à qual a Huawei foi adicionada em maio, essencialmente impedindo-a de comprar tecnologia norte-americana sobre a qual dependia muito. Os EUA adicionaram mais entidades chinesas à lista na sexta-feira (21).

Um porta-voz da Huawei disse à Reuters que a empresa chinesa não está usando atualmente os serviços da FedEx ou da UPS. No domingo, a Huawei tuitou que não era direito da FedEx impedir a entrega e disse que a empresa estava se vingando.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).