Dólar abre com pouca variação ante real

Sergio Moraes/Reuters
O dólar abriu estável, aguardando próximos passos da reforma da Previdência

O dólar abriu com pouca variação ante o real hoje (3), aguardando próximos passos da reforma da Previdência na comissão especial, no dia seguinte à apresentação do voto complementar do relator, em que Estados e municípios não foram incluídos.

LEIA TAMBÉM: Em Davos, Bolsonaro promete reforma da Previdência

Às 10h21, o dólar recuava 0,06%, a R$ 3,8525 na venda. Na véspera, a moeda americana fechou com alta de 0,30%, a R$ 3,855 na venda. Neste pregão, o dólar futuro rondava a estabilidade.

Às 11h, coordenadores de bancada participam de reunião convocada pelo presidente da comissão especial da Câmara, deputado Marcelo Ramos (PL-AM), para definir os próximos passos da tramitação da proposta no colegiado e aparar arestas que restaram.

Na véspera, o relator do texto na comissão, deputado Samuel Moreira (PSDB-SP) fez a leitura de seu voto complementar, o que abriu caminho para que a proposta seja votada. No entanto, ainda há detalhes a serem acertados e não há definição sobre o calendário de votação.

“O calendário mais otimista previa que toda obstrução seria vencida ontem para que hoje o texto fosse aprovado na comissão. Isso não ocorreu e a abertura de sessão hoje dependerá ainda de resultado de reunião de líderes pela manhã”, afirmaram economistas da XP Investimentos, em nota.

O voto complementar apresentado na véspera deixou de fora as regras para servidores de Estados e municípios, questão pela qual o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) vinha se esforçando para incluir.

Agora, o foco está em saber quando será votado o texto complementar de Moreira para que, em seguida, a reforma siga para o plenário da Câmara.

E MAIS: Dólar sobe ante real com exterior

“Sem aprovação na comissão nessa semana, ficará praticamente impossível votar a reforma no plenário da Câmara até o recesso, que começa em ‪18 de julho”, avaliaram economistas da XP Investimentos, em nota.

Do exterior, temores que uma guerra comercial prolongada irá desacelerar o crescimento global mantinham os mercados emergentes sob pressão nesta quarta-feira.

Investidores também adotam posições em antecipação ao feriado de 4 de julho nos Estados Unidos na quinta-feira, quando os mercados lá ficarão fechados.

“Ainda sob a cautela em decorrência das incertezas locais e do feriado de amanhã nos Estados Unidos, o dólar deverá manter o viés de alta aqui, embora que de forma moderada”, disse a corretora de câmbio Correparti, em nota.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook

Twitter

Instagram

YouTube

Baixe o app de Forbes Brasil na Play Store e na App Store

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).