Tesla tem recorde de entregas e ações sobem 7%

Lucas Jackson/Reuters
Números amenizaram difícil 1º trimestre, no qual as entregas despencaram

A Tesla teve um recorde de entregas trimestrais de veículos, numa resposta triunfante após meses de perguntas sobre a demanda por seus carros elétricos de luxo, o que fez com que as ações subissem 7% no after-market ontem (2). Deixando de lado as preocupações sobre a demanda que têm perseguido a empresa, a Tesla disse que as encomendas no segundo trimestre superaram as entregas, apesar dos compradores receberem um crédito fiscal menor. “Acreditamos que estamos bem posicionados para continuar aumentando a produção e as entregas no 3º trimestre”, disse a empresa.

LEIA MAIS: Conheça o homem que ameaça a Tesla, de Elon Musk

A Tesla entregou 77.550 veículos Model 3 no trimestre, o mais recente sedã da empresa e peça fundamental da estratégia de crescimento da empresa. Isso superou a estimativa média dos analistas de 73.144, segundo dados do IBES do Refinitiv.

O executivo-chefe Elon Musk vinha repetido que a Tesla podia entregar um recorde de carros no segundo trimestre, superando os 90.700 que enviou aos clientes no último trimestre de 2018. Os números desta terça amenizaram o difícil primeiro trimestre, no qual as entregas despencaram.

Garrett Nelson, da CFRA Research, observou que as entregas do segundo trimestre provavelmente foram impulsionadas pelos clientes antecipando compras antes do corte do crédito fiscal de 1º de julho, alertando que isso pode resultar em um “retrocesso significativo” nas entregas no terceiro trimestre.

A Tesla não repetiu a previsão de que irá registrar uma perda no segundo trimestre, mas retornaria ao lucro no terceiro trimestre. Um grande desafio para a marca é entregar veículos de forma eficiente e rápida. Um sistema melhorado de logística ajudou no segundo trimestre, disse a Tesla, sem dar detalhes.

Nos trimestres anteriores, a Tesla moveu funcionários de todas as partes para ajudar com as entregas, em um esforço para atingir metas. Isso provou ser uma forma cara e ineficiente, o que reduz as margens de lucro potenciais em cada veículo.

A empresa prometeu entregar entre 360 ​​mil e 400 mil veículos em 2019, meta que analistas prevêem que será difícil de cumprir.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook

Twitter

Instagram

YouTube

Baixe o app de Forbes Brasil na Play Store e na App Store

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).