Autópsia de Jeffrey Epstein mostra pescoço quebrado, diz ‘Washington Post’

Reuters
Ex-financista foi encontrado morto no sábado (10) em sua cela de prisão em NY

Uma autópsia do ex-financista Jeffrey Epstein, que aparentemente cometeu suicídio enquanto aguardava julgamento por acusações de tráfico sexual, apontou que seu pescoço foi quebrado em vários pontos, noticiou o “Washington Post” na noite de ontem (14).

LEIA MAIS: Documentos confirmam que Jeffrey Epstein não está nem próximo de ser um bilionário

Tais lesões podem ocorrer em pessoas que se enforcam ou são estranguladas. O jornal citou fontes não identificadas a par dos resultados da autópsia.

Criminoso sexual condenado, o multimilionário Epstein foi encontrado morto em sua cela de prisão na cidade norte-americana de Nova York no sábado. As circunstâncias de sua morte estão sendo investigadas, e não ficou claro quando um relatório da autópsia será tornado público.

Um representante do escritório do médico legista de Nova York não respondeu de imediato a pedidos de comentário.

Tampouco fico claro se o médico legista determinou de forma definitiva como Epstein morreu. A rede NBC News citou uma fonte não identificada segundo a qual o corpo de Epstein foi solicitado por um associado.

O doutor Zhongxue Hua, médico legista do condado de Bergen, em Nova Jersey, disse que uma fratura de pescoço é incomum em um suicídio, mas alertou para que se evitem conclusões precipitadas.

“A primeira pergunta a se fazer é quando ela ocorreu”, disse Hua. Se a fratura de pescoço de Epstein é recente, explicou Hua, “no mínimo é um suicídio muito incomum”.

Epstein, de 66 anos, que já teve o presidente republicano Donald Trump e o ex-presidente democrata Bill Clinton como amigos, foi encontrado inconsciente na cela na manhã de sábado (10), segundo o Escritório Federal de Prisões. Anteriormente, uma fonte disse à Reuters que ele foi encontrado pendurado pelo pescoço.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).