Banco do Brasil prepara oferta secundária de ações

Paulo-Whitaker-Reuters
Segundo fontes, negócio poderá levantar até R$ 7,9 bilhões

O Banco do Brasil está preparando uma oferta de ações que poderá levantar até R$ 7,9 bilhões de reais, disseram três fontes com conhecimento do assunto. Os bancos, que já foram contratados para fazer a oferta, começam hoje (6) o trabalho numa reunião em Brasília e esperam fazer a precificação no fim de setembro, disse uma das fontes.

O sindicato encarregado pela distribuição das ações é formado por Itaú BBA, XP Investimentos, Caixa Econômica Federal, Credit Suisse, JPMorgan e Banco do Brasil. Uma das fontes disse que os bancos estão planejando precificar a oferta no final de setembro.

A Caixa Econômica Federal vai vender uma fatia de 2,4% no Banco do Brasil detida pelo fundo FI-FGTS, que vale cerca de R$ 3,1 bilhões, considerando a cotação de fechamento de segunda-feira.

LEIA TAMBÉM:Banco do Brasil venderá ações da Neoenergia em IPO

Além do FI-FGTS, a União e o próprio Banco do Brasil podem aderir à oferta. Hoje a União tem uma participação de 50,7% no banco e poderia reduzi-la para 50% mais uma ação. A União está considerando a venda da participação excedente ao controle. O conselho curador do FI-FGTS já aprovou a venda, segundo as fontes.

O Banco do Brasil está avaliando vender também cerca de R$ 3 bilhões em suas próprias ações que detém em tesouraria. Mas ainda não houve aprovação interna nem para a venda das ações em tesouraria nem para o excedente detido pela União.

Procurados pela Reuters, o Banco do Brasil e o Tesouro Nacional preferiram não comentar o assunto. A Caixa não retornou pedidos de comentário imediatamente.

 

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).