Bolsa paulista cai 2,34% e volta aos 97 mil pontos

ReproduçãoReuters
Ibovespa bateu a mínima de fechamento desde 17 de junho

A bolsa paulista teve forte queda hoje (23), com seu principal índice alcançando o menor nível em mais de dois meses, diante da guerra comercial entre EUA e China, em um dia também marcado por discurso de Jerome Powell, do Federal Reserve.

O Ibovespa caiu 2,34%, a 97.667,49 pontos, mínima de fechamento desde 17 de junho. O volume financeiro da sessão somou R$ 19,3 bilhões.

Mercados acionários globais caíram forte diante dos recentes desdobramentos do embate comercial entre as maiores economias do mundo. O presidente dos EUA, Donald Trump, mandou empresas norte-americanas saírem da China após o governo chinês anunciar tarifas retaliatórias sobre US$ 75 bilhões em produtos dos EUA.

VEJA TAMBÉM: Líderes brasileiros reforçam conexão com o Vale do Silício

“Não precisamos da China e, francamente, ficaríamos muito melhor sem eles. As vastas quantias de dinheiro produzidas e roubadas pela China dos EUA, ano após ano, durante décadas, vão e devem PARAR”, escreveu Trump no Twitter.

Em Wall Street, o S&P 500 recuou 2,59%.

“No curto prazo com certeza vai afetar o mercado interno”, afirmou o head de renda variável da RJ Investimentos, Eduardo Prado, ressalvando que o Brasil está vivendo um momento inédito de juros baixos que deve, no médio a longo prazos, minimizar as turbulências geradas pela guerra comercial.

No simpósio econômico anual do Fed, o chairman, Jerome Powell, deu poucas pistas sobre se o banco central cortará juros na próxima reunião, apenas afirmando que a economia norte-americana está em “posição favorável” e o Fed vai “agir conforme apropriado” para manter o ritmo de expansão.

 

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).