Citigroup e BNP pegos em investigação da Huawei nos EUA

Reuters
Bancos mantinham relações quando Huawei os enganou sobre negócios no Irã

O Citigroup e o banco francês BNP Paribas estão envolvidos no caso criminal dos EUA contra a diretora-financeira da Huawei, segundo documentos aos quais a reportagem teve acesso. Os bancos foram citados em documentos divulgados na terça-feira após uma audiência na Suprema Corte da Colúmbia Britânica, onde a diretora da Huawei, Meng Wanzhou, luta contra a extradição para os EUA por acusações de fraude bancária.

LEIA MAIS: Executiva da Huawei volta ao tribunal no Canadá

Os bancos estão no grupo de ao menos quatro instituições financeiras que mantinham relações bancárias com a Huawei, quando Meng e outros supostamente os enganaram sobre seus negócios no Irã, apesar das sanções dos EUA. Dois outros, HSBC e Standard Chartered, foram relatados anteriormente.

Porta-vozes do Citigroup, BNP Paribas, Standard Chartered,e o HSBC se recusaram a comentar, e também um porta-voz de procuradores dos EUA. A Huawei não respondeu de imediato a um pedido de comentar sobre a informação.

Meng, filha do bilionário fundador da Huawei, Ren Zhengfei, foi presa no aeroporto de Vancouver em dezembro por um mandado dos EUA. Seus advogados alegam que ela foi detida ilegalmente.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).