Raízen e Femsa apostam forte no setor de conveniência

Henry Romero/Reuters
Estudos apontam expansão do mercado de conveniência no Brasil até 2029

A companhia mexicana Femsa fechou acordo com o grupo Raízen, do setor de distribuição de combustíveis, para comprar 50% da Raízen Conveniências, acordo que prevê a formação de uma joint venture para buscar “agressivo” crescimento em um promissor mercado nos próximos anos, prevendo abrir lojas inclusive fora dos postos. “Vendemos 50% das ações para a Femsa, que por sua vez aportará um pedaço do dinheiro na empresa para poder suportar os primeiros anos de crescimento, e a outra parte vem para a Raízen Combustíveis”, disse à Reuters o vice-presidente Comercial da Raízen, Leonardo Pontes, sem dar detalhes.

LEIA MAIS: Raízen testa geração solar para fornecimento a postos

Para a transação foi considerado um “enterprise value” de R$ 1,12 bilhão, tendo como premissa a compra de fatia em uma empresa livre de quaisquer dívidas ou caixa, segundo fato relevante publicado nesta terça-feira pela Raízen, uma parceria entre a Cosan e a Shell. “A empresa está muito capitalizada para suportar um plano muito agressivo de crescimento nos primeiros anos”, acrescentou Pontes, em referência à nova empresa na qual Raízen Combustíveis e a Femsa Comercio serão, respectivamente, acionistas da Raízen Conveniências na proporção 50/50 do capital.

Ele disse ter estudos que apontam um forte desenvolvimento do mercado de conveniência nos próximos cinco a 10 anos no Brasil. “Se tem 20 000 (lojas) em potencial, alguns jogadores vão querer jogar, e nós seremos um dos jogadores.”

A joint venture, que contará com estrutura profissional e de governança próprias, prevê expandir no segmento de conveniência dentro dos próprios postos Shell com a marca “Select”, onde há grande potencial — nos 6,5 mil postos, há apenas mil lojas.

VEJA TAMBÉM: Raízen congela investimento por interferência do governo

De outro lado, a joint venture vai investir em lojas de conveniência fora dos postos, com a marca “Oxxo”. Segundo Pontes, a nova empresa abre uma nova frente. “Vamos atacar com duas marcas (Select e Oxxo), e por trás há toda uma sinergia, uma empresa só, centro de distribuição…” O executivo disse que haverá alguma diferença nos produtos ofertados pela Select e Oxxo, mas não detalhou.

O grupo Femsa já atua no segmento com a marca Oxxo com mais de 18 000 lojas no México, Chile, Colômbia e Peru, contando ainda com uma divisão de saúde, que inclui farmácias e atividades relacionadas.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).