Engie diz que compra da TAG não dá recesso a acionista

Charles Platiau/Reuters
A conclusão veio após a empresa ter contratado a KPMG Corporate Finance

A elétrica Engie Brasil Energia, do grupo francês Engie, disse que a recente aquisição da empresa de gasodutos TAG junto à Petrobras pela companhia “não confere aos seus acionistas dissidentes o direito de recesso”, de acordo com fato relevante hoje (9).

LEIA MAIS: Engie: oferta de R$ 1,6 bi em debêntures incentivadas

A conclusão veio após a empresa ter contratado a KPMG Corporate Finance para elaboração de laudo de avaliação econômico-financeira. A Engie Brasil Energia reiterou, no entanto, que a operação estará sujeita a ratificação em assembleia geral de acionistas da companhia, uma vez que representa “investimento relevante”.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).