Itaú Unibanco mira controle de custos para enfrentar concorrência das fintechs

CandidoBracher/Reuters
O Itaú Unibanco está realizando diversas mudanças para poder concorrer melhor com as fintechs

O Itaú Unibanco, está mantendo os custos sob controle para competir com empresas de tecnologia financeira, disseram executivos a investidores durante evento hoje (3).

O vice-presidente de riscos e finanças do banco, Milton Maluhy, disse que a adesão a um programa de demissão voluntária de funcionários, para o qual 7.000 são elegíveis, foi maior do que o esperado, mas não detalhou. O valor exato será anunciado com o balanço do terceiro trimestre, disse ele.

LEIA MAIS: Itaú Unibanco tem lucro recorrente de R$ 7 bi no 2º tri

O co-presidente do conselho do Itaú Roberto Setubal afirmou que o banco está preparado para se adaptar à forte concorrência de empresas de tecnologia financeira, as fintechs.

O presidente-executivo, Candido Bracher, disse que ainda há “algum espaço” para fechar agências como forma de controlar os custos. O banco, que possui mais de 4.000 agências, fechou 270 delas nos últimos 18 meses.

O Itaú tem estimulado o uso de canais digitais por seus clientes, serviço que já responde por mais da metade do seu lucro nas operações de varejo, disse o principal executivo do banco para o setor, Marcio Schettini.

LEIA TAMBÉM: Ibovespa fecha no vermelho com forte queda de Itaú

Em outubro, o banco lançará a solução de pagamentos iti, com cerca de 600 mil clientes, após cinco meses de testes.

À medida que a concorrência com as fintechs aumenta e o custo de capital diminui, o Itaú espera um potencial declínio no retorno sobre o patrimônio no futuro, disse Setubal.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).