Startups promovem inteligência artificial para companhias aéreas

Kamil Krzaczynski/Reuters
As companhias aéreas estão recorrendo a esses produtos em um momento em que seu lucro global deve cair 7%

As startups de tecnologia estão atraindo companhias aéreas com ferramentas de previsão de demanda com inteligência artificial (IA), prometendo aumentar a eficiência em um momento de alta nos custos de combustível e agitação nas relações comerciais que obscurecem as perspectivas do setor de aviação.

LEIA MAIS: Intel lança primeiro chip de inteligência artificial

A empresa de inteligência de demanda PredictHQ anunciou hoje (3) o produto Aviation Rank, que alerta as companhias aéreas para os principais eventos, enquanto a desenvolvedora de softwares Volantio está promovendo a Yana, uma plataforma que ajuda as operadoras a fazer novas reservas com clientes para maximizar a receita.

As companhias aéreas estão recorrendo a esses produtos em um momento em que seu lucro global deve cair 7%, para US$ 28 bilhões este ano, mostraram dados da Associação Internacional de Transporte Aéreo, uma vez que os custos crescentes de combustível, mão-de-obra e infraestrutura reduzem as margens, enquanto a guerra comercial entre EUA e China reduz a demanda para o transporte de carga.

A inteligência artificial está surgindo nas mais diversas indústrias. Na aviação, as companhias aéreas usam a IA para chatbots em sites, com o objetivo de reduzir custos de atendimento ao cliente, obter publicidade mais direcionada e melhorar a manutenção de aeronaves.

O Aviation Rank da PredictHQ pode alertar as companhias aéreas para mais de 3 mil eventos importantes por mês, como conferências, festivais de música e encontros esportivos, e determinar a importância relativa à demanda.

As operadoras podem aumentar as tarifas para aproveitar a alta demanda ou se concentrar em preencher vagas a preços mais baixos quando souberem que haverá períodos mais lentos, disse Campbell Brown, presidente-executivo da PredictHQ em São Francisco.

“As companhias aéreas estão vindo até nós, em vez de ficarem sentadas em uma sala e adivinhar quais eventos podem estar afetando-as, colocando-as em uma planilha e tentando corresponder anedoticamente isso às suas previsões”, disse Brown à Reuters em entrevista por telefone à frente do lançamento do Aviation Rank.

VEJA TAMBÉM: LogiGo pretende faturar R$ 1 bi em dois anos com inteligência artificial para carros

Para gerenciar melhor as paralisações e as reservas em excesso, a Volantio, com sede em Atlanta, assinou com aéreas Qantas Airways e JetBlue Airways na plataforma Yana.

A plataforma ajuda as companhias aéreas a revender passagens a preços melhores, oferecendo incentivos aos passageiros, como cupons de viagem, upgrades ou pontos para clientes frequentes, para mudar para outros voos em momentos de alta demanda.

“Os upgrades são as ofertas mais populares”, disse o presidente-executivo da Volantio, Azim Barodawala, em um e-mail. “Nossa aceitação foi de 40% a 50%”.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).