15 dicas para ter um verdadeiro estilo romano

Dois dos grandes centros econômicos da Itália, além de cidades históricas e atrativos turísticos únicos, Milão e Florença sem dúvida são também lugares ideais para quem deseja adquirir o que há de mais atual no prêt-à-porter — o “ready-to-wear” dos americanos ou, em bom português, “pronto para vestir”. Mas Roma, a capital da moda italiana nos anos 1950 e 60, sobressai sobre as duas com um estilo distinto, que consegue ser ao mesmo tempo atemporal e oportuno. “A moda romana é pessoal, não global”, diz Barbara Lessona, fundadora e proprietária da Countess Concierge, um serviço personalizado de viagens e compras pessoais com sede na capital italiana.

VEJA TAMBÉM: Como uma marca de lingerie passou a ditar moda

Filha de uma jornalista americana e de um conde italiano, Barbara viveu toda a vida na chamada Cidade Eterna. Conhece os seus ateliês, artesãos e alfaiates, e os incorpora em itinerários de compras individuais para os visitantes que recebe em sua cidade natal.

FORBES pediu a Barbara que desse dicas para ter um estilo um romano — uma vez que eles fazem isso tão bem — e para compartilhar alguns de seus endereços preferidos de compras para homens e mulheres. Alguns, porque ela tem muitos outros secretos.

Veja, na galeria de imagens abaixo, 15 dicas para comprar e se vestir como um verdadeiro romano:

  • 1. Mantenha-se local. “As lojas de departamento não são um hábito aqui”, diz Barbara. “Os romanos continuam a ser clientes de pequenas butiques ou ateliês.”

  • 2. Em uma era bombardeada por marcas globais, costureiros e artesãos seguem relevantes. “Os romanos procuram criadores que sigam seus próprios gostos em lugar de tendências e criem itens exclusivos em vez de coleções para a massa. Vestir-se em Roma não é apenas acompanhar a moda do momento, mas ter esses toques especiais no guarda-roupa, aquelas peças que duram a vida inteira e representam o melhor do trabalho artesanal italiano.”

  • 3. O boca-a-boca é a chave para encontrar os endereços “fora do comum, aqueles que produzem itens clássicos e especiais com um toque inesperado.”

  • 4. Quando em Roma, use óculos de sol fatais. “Os mais quentes do momento são os da L.G.R, a marca despojada criada por Luca Gnecchi Ruscone.” Príncipe William e Daniel Craig usam suas peças, também feitas para mulheres.

  • 5. Homens romanos não usam shorts na cidade, não importa o calor que faça. “Esta é uma maneira de reconhecer um verdadeiro romano”, diz Barbara.

  • 6. As sapatilhas podem dominar as ruas nos EUA, mas em Roma o que conta é ter um bom par de sapatos. E eles são geralmente feitos à mão (recomendações abaixo).

  • 7. O que as mulheres romanas compram — e onde:

    Calçado: sapatos e botas de Roberto Spinelli, um dos favoritos da aristocracia romana; sandálias artesanais da Preludio; lindos sapatos e sandálias feitos à mão pelo designer Herzel de Bach. Para uma ampla seleção de calçados com bons preços, a dica é a Barrilà Boutique, perto da Piazza del Popolo.

    . Bolsas: Saddler’s Union é uma marca cobiçada desde os anos 1950, com clientes como Audrey Hepburn e Gianni Agnelli. O design das bolsas de couro em formato de caçamba é icônico e as carteiras são objetos cobiçados. Visite o showroom VBH na Via di San Giacomo para encontrar peças artesanais finas, muitas vezes com peles exóticas, e bolsas noturnas sob medida para frequentadores de tapetes vermelhos — mais informações: contact@vbh-luxury.com.

    As bolsas Bizantina, projetadas pela equipe de mãe e filha Benedetta Lignani Marchesani e Caterina Mancinelli, são uma moda furiosa em Roma. Cada peça é única, numerada, costurada à mão e feita de veludo de seda ikat — para informações: bizantinabag@gmail.com.

    Para bolsas de couro coloridas e com bom preço, vá até a Sirni Pelletteria, perto do Lungotevere.

    . Roupas e acessórios: ao longo da Via dell ‘Oca, você encontra lojas como a Artisanal Cornucopia, que oferece acessórios e itens de decoração de alto estilo, com muitos artesãos e designers emergentes; o ateliê Cristina Bomba, onde há roupa clean e moderna, executada em tecido fino, malha e acessórios, e onde se pode encomendar alfaiataria sob medida; e Laura Urbinati, uma opção prêt-à-porter chique e contemporânea. Perto da Piazza di Spagna, Barbara Gregori é há muito tempo a preferida dos mais entendidos do assunto, que buscam peças de uma coleção feita com curadoria de selos italianos novos e estabelecidos.

    O Nia Roma tem marcas italianas e internacionais selecionadas, em duas lojas na Via Vittoria (nº 48 e nº 30/31), onde as coleções incluem clássicos e peças modernas e elegantes, com um toque contemporâneo.

    Em outras partes de Roma, a Aspesi (Via del Babuino) é um lugar indicado para capas de chuva de qualidade e a Puntopelle (Via Margutta) é uma opção popular para jaquetas de couro personalizadas. E Albicocca (Via Archimede) é a loja requintada da Cidade Eterna para acessórios exclusivos e itens personalizados.

    . Joias: As mulheres romanas são adeptas das joias e têm em casa, no mínimo, itens básicos como brincos redondos, do tipo argola ou gota e pingentes com pedras para o dia a dia. Elas também apreciam peças originais, tanto para uso diurno como noturno. “Muitos designers criativos floresceram em Roma nos últimos anos, produzindo desde roupas de alta costura até joias finas em ouro e bronze”, diz Barbara. Alguns dos ateliês de luxo preferidos da empresária são: o de Ludovica Andreoni, cujas requintadas peças manufaturadas e personalizadas são as preferidas do jet set — confira os ousados braceletes ​​e os designs de anéis inventivos — e o de Lucia Odescalchi, uma princesa romana e ex-modelo Valentino que desenha peças impressionantes e modernas — usadas por outra princesa, Caroline de Mônaco, e por celebridades. “Difícil sair sem comprar algo.”

    Há ainda as casas de Delfina Delettrez, membro do clã Fendi que é conhecida pelo design inovador, com referências a motivos naturais; de Fabio Salini, que tem como cliente a rainha Rania da Jordânia e recebe elogios por suas combinações arrojadas de joias finas, como pedras preciosas com cobre emparelhadas, ébano e couro; e de Alex Carelli, na Via Margutta, onde se veem deslumbrantes peças contemporâneas com pedras preciosas, semipreciosas e materiais incomuns, como ferro, além de suas disputadas bolsas de joias e penas.

    . Chapéus: particularmente para o verão, são indicados os chapéus da Antica Manifattura Cappelli, que conta com itens artesanais e uma seleta das principais marcas italianas e internacionais.

  • 8. Quando compram marcas internacionais, as romanas tendem a investir em itens que nunca saem de moda, como “bolsas e sapatos de bailarina da Bottega Veneta e Chanel; mocassins Gucci clássicos; calças pretas Prada; cardigãs e gola alta Loro Piana; casacos de caxemira de dupla face Andre Laug; vestidos Capri e sandálias de noite Giuseppe Zanotti”, afirma Barbara.

  • 9. Onde — e o que — homens romanos compram:

    Roupas: Battistoni, que começou como loja de camisas finamente fabricadas na Via Condotti depois da Segunda Guerra Mundial, evoluiu para um ateliê famoso por seus ternos sob medida, que atraem grandes empresários, monarcas e celebridades, como Marlon Brando e Richard Burton, à procura de roupas lindamente trabalhadas. O cenário é incrível também, com obras de artistas de renome, muitos deles amigos do fundador, como Picasso, Modigliani e Cocteau.

    A FG Albertelli Roma oferece alfaiataria artesanal requintada de camisas e ternos — suas jaquetas não-estruturadas são resistentes a rugas e os casacos de seda e lã Storm System estão nos armários dos homens mais elegantes de Roma.

    Sergio Nesci, que tinha Frank Sinatra como cliente, conta com roupas sob medida nos melhores tecidos, além de camisas, calças esportivas, malhas, cachecóis de cashmere e robes.

    Para jaquetas de couro personalizadas, a Puntopelle é uma boa opção e a Schostal, que data de 1870, é uma das favoritas para camisas de algodão, cardigãs, lenços de linho e peças íntimas.

    . Abrigos: Apsesi para capas de chuva; uma jaqueta Husky para um visual mais casual; LodenTal, fundada por Andrea Provvidenza, para casacos de chuva com variedade de cores.

    . Sapatos e meias: Laudadio para sapatos artesanais ou de marcas valorizadas, “especialmente mocassins com borlas”, diz Barbara. Outros locais para adquirir sapatos artesanais são Brugnoli e Battistoni. Caso queira as peças favoritas da cidade — meias vermelhas, do tipo de cardeal — vá até a Gammarelli, uma loja que foi adaptada para gerações de papas e é especializada em roupas eclesiásticas. “Homens romanos as usam com calça bege e mocassins de pele de cabra ou cavalo.”

  • 10. Ícones de estilo para homens: Gianni Agnelli ainda é o melhor, segundo Barbara. “Desta geração, Luca Cordero di Montezemolo, presidente da Alitalia e ex-presidente da Fiat; Lapo Elkann, herdeiro e empresário da Fiat; Luca Gnecchi Ruscone, fundador da L.G.R; e o especialista em vinhos Gelasio Gaetani D’Aragona Lovatelli são os principais influenciadores.”

    Ícones de estilo para mulheres: As glamourosas designers de joia Ludovica Andreoni e Lucia Odescalchi; Gabriella Moncada di Paternò; Laura della Croce di Dojola, da Andre Laug; e Elif Sallorenzo, fundadora da Cornucópia Artesanal.

  • 11. Traje executivo de negócios: depende do orçamento. Para as mulheres, geralmente são comprados ternos na Prada, Armani ou Max Mara e vestidos da Prada. Para os homens, frequentemente trajes da Battistoni, Loro Piana e Armani.

  • 12. Em Roma, peças personalizadas não precisam quebrar o banco. “La sarta (costureira) e il pellaio (artesão de couro) são muito fortes na tradição romana e têm uma grande variedade de preços, para que você possa criar seu próprio estilo, personalizar designs já existentes ou encomendar uma nova peça”, diz Barbara.

  • 13. Com a moda retrô, os romanos frequentemente procuram peças originais e as atualizam. Como as habilidades dos alfaiates da cidade são lendárias, é comum os romanos comprarem em brechós ou mercados de pulgas para surfar no último revival. “A moda está de volta aos anos 1980”, diz Barbara. “Muitas mulheres romanas vão levar peças do período para customizar, se não podem comprar em uma boutique vintage ou um mercado de pulgas de qualidade.”

  • 14. Para fazer compras vintage: o lugar para os amantes do estilo retrô estarem aos domingos é Il Mercatino del Borghetto Flaminio, a venda de garagem Rigattieri per Hobby que acontece na Piazza della Marina, não muito longe da Piazza del Popolo.

  • 15. Outlet: como as vendas são menos freqüentes em Roma do que nos EUA, os moradores da cidade costumam se dirigir a outlets para obter descontos. A saída para o popular Fausto Santini, conhecido pelos sapatos e bolsas clássicas, ao mesmo tempo modernas e de inspiração arquitetônica, está na Via Cavour 106. A Gente Roma, com roupas masculinas e femininas e acessórios de estilistas de renome como Gucci, Prada e Alexander McQueen, na Via Cola di Rienzo 26. O outlet de Nia Roma, marca conhecida pelas roupas femininas elegantes, está na Via Mario De’Fiori 40/B.

    Reserve ainda um dia para visitar o Castel Romano Designer Outlet (a cerca de 25km de Roma). Há ônibus que partem da estação de trem. Lá, você encontrará nomes italianos como Salvatore Ferragamo, Loro Piana, La Perla, Ermenegildo Zegna e Boggi Milano, além de muitas outras marcas.

1. Mantenha-se local. “As lojas de departamento não são um hábito aqui”, diz Barbara. “Os romanos continuam a ser clientes de pequenas butiques ou ateliês.”

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).