Conheça St. Michaels: um refúgio na costa leste dos EUA

Reprodução/FORBES

Como moradores do Brooklyn que gostam de viajar aos finais de semana, sabemos uma ou outra coisa sobre turismo na costa leste. Exploramos todas as cidades de Catskills e Accord a Woodstock, percorremos caminhos pelos Berkshires, pulamos em torno das ilhas Fire and Shelter e aproveitamos ao máximo as pernoites em D.C. e na Filadélfia. No entanto, por algum motivo, a costa leste de Maryland nos escapava – até que a pousada Inn at Perry Cabin nos convidou para o anual “Return of the Fleet”, quando seus iates viajam de volta ao hotel para marcar o início da temporada de verão.

LEIA MAIS: 19 destinos perfeitos para a próxima temporada

É um excelente destino para dois dias. Às 7 horas da manhã, um trem nos levou ao aeroporto de Baltimore/Washington e ao meio-dia estávamos navegando pela baía de Chesapeake em um iate chamado Star Light. Nosso capitão, Bud, nos entreteve com champanhe e uma chuva ocasional de água da baía. Nós absorvemos o sol e ouvimos enquanto ele e os outros moradores a bordo contavam histórias de navegação e fofocas. Aparentemente todo mundo na costa leste conhece todo mundo – ou, pelo menos, o sobrinho, marido, ex-esposa ou cunhado de todo mundo.

Navegar até o hotel pareceu um pouco surreal. Um gaiteiro brincava no gramado, enquanto os convidados e os moradores locais ficavam em terra para receber a frota e os garçons nos cumprimentavam com vinho e canapés como se estivéssemos em um casamento.

Fomos até o Foxy’s, um ponto de encontro praiano com um grande deque com vista para a marina. Era a noite de abertura da temporada, ou seja, a cidade inteira estava fora. Reconhecemos algumas pessoas do veleiro. Elas nos cumprimentaram e nos apresentaram, fazendo com que nos sentíssemos, imediatamente, parte da comunidade.

Disseram-nos para pedir Orange Crushes, aparentemente o carro-chefe do Shore, bebida feita com vodca, triple sec (licor cítrico de laranja), OJ recém-espremido e Sprite. E então outra rodada, desta vez “skinny”, que troca água com gás pelo Sprite e triple sec. Depois de apreciar a bebida, com pretzels de caranguejo, olhamos para o sol se pondo sobre a água e sentimos nossos ombros relaxarem enquanto nos acomodávamos no ritmo mais lento de St. Michaels.

Veja, na galeria de fotos a seguir, um guia com o melhor de St. Michaels:

  • O que fazer

    O Chesapeake Bay Maritime Museum possui a maior coleção de embarcações da Baía de Chesapeake e está conduzindo o processo de restauração de um bugeye 1889 de última geração (uma grande canoa de madeira projetada especificamente para a ossificação). Os visitantes podem conversar com os construtores navais e ver o progresso no estaleiro. Visite a destilaria Lyon Distilling Co com os encantadores fundadores Ben Lyon e Jaime Windon (eles farão com que você queira largar seu emprego e se mudar para St. Michaels). Em seguida, volte para provar suas bebidas – o rum escuro combina bem com a picante cerveja de gengibre Pickett, enquanto o Rock & Rum não precisa de nada além de gelo e um toque laranja (tem gosto de rum à moda antiga).

    Durante a primavera e o verão dos Estados Unidos, pode parecer que há um festival todo final de semana em St. Michaels. A cidade inteira vai às ruas para acompanhar todas as atividades dos festivais Eastern Shore Sea Glass & Coastal Arts Festival e Daffodil Festival.

  • O Carpenter Street Salon é o local ideal para estar nas noites de quinta-feira, quando abre o microfone (os moradores locais lhe dirão para evitar as sextas e sábados). Para se sentir mais ainda em casa, peça um “Bud heavy tenner” – St. Michaels é um dos únicos lugares onde você pode comprar Budweisers de 295 ml.

    A Talbot Street, rua principal, não é longa, mas está repleta de galerias, lojas de presentes e de antiguidades. Entre na Come by Chance para ver itens de decoração costeira, na Preppy Redneck para cintos bordados e bolsas com monogramas e na Ophiuroidea para jóias de vidro do mar. E, é claro, você não pode estar tão perto do Chesapeake e não passar uma tarde na água. Embarque em um dos seis iates de luxo do Inn at Perry Cabin ou aprenda a navegar sozinho em apenas dois dias.

  • Onde ficar

    O Inn at Perry Cabin já era notável muito antes do filme “Penetras Bons de Bico”. Construída há mais de 200 anos como a casa de um comandante naval, a mansão de tábuas brancas era uma fazenda, uma academia de equitação e uma pousada de seis quartos antes de Sir Bernard Ashley (marido da designer Laura Ashley) transformá-la em um hotel de luxo. Desde então, foi ampliada para incluir 78 quartos, dois restaurantes, uma piscina, spa, jardins, quadras de tênis e um novíssimo campo de golfe projetado por Pete Dye.

    Minimamente decorados com cores monocromáticas, madeira escura e toques náuticos sutis, os quartos e suítes são modernos, mas ainda mantêm alguns toques do século 19, como lareiras e paredes com painéis. Muitos também abrem para varandas privadas ou terraços espaçosos com vista para o rio Miles.

    O Purser’s Pub é o restaurante mais casual da pousada, com lanches sofisticados, como tortas de caranguejo, em um espaço de taverna. O Stars é a opção mais chique, com toalhas de mesa brancas e janelas do chão ao teto. Pelo preço, a nossa refeição no Stars não nos surpreendeu, mas o novo menu de verão do local (crocante caranguejo azul com tomates verdes, agnolotti feito em casa com favas e cogumelos selvagens e leitão com rampas selvagens) pode garantir uma nova visita.

  • Gastronomia

    Com seus guarda-sóis brilhantes e cadeiras de plástico, o Foxy’s Harbor Grille parece ser o tipo de lugar que o ator e cantor Jimmy Buffett atacaria. Já o 208 Talbot é o melhor restaurante de St. Michaels, por esta razão, talvez seja necessário fazer uma reserva com antecedência.

    Se precisar dar um tempo de comer caranguejo, visite a Ava’s Pizzeria & Wine Bar e prove almôndegas caseiras e a torta de cebola (cebola caramelizada, gruyere e crème fraîche). Para a sobremesa, Justine é uma sorveteria pequena que tem sido destaque da cidade há 31 anos. Além de clássicos como pistache e cookies ‘n’ cream, a loja prepara sabores divertidos, como torta de manteiga de amendoim com manteiga marrom e a Saturday Morning (Fruity Pebbles e sorvete com infusão de capim-limão).

O que fazer

O Chesapeake Bay Maritime Museum possui a maior coleção de embarcações da Baía de Chesapeake e está conduzindo o processo de restauração de um bugeye 1889 de última geração (uma grande canoa de madeira projetada especificamente para a ossificação). Os visitantes podem conversar com os construtores navais e ver o progresso no estaleiro. Visite a destilaria Lyon Distilling Co com os encantadores fundadores Ben Lyon e Jaime Windon (eles farão com que você queira largar seu emprego e se mudar para St. Michaels). Em seguida, volte para provar suas bebidas – o rum escuro combina bem com a picante cerveja de gengibre Pickett, enquanto o Rock & Rum não precisa de nada além de gelo e um toque laranja (tem gosto de rum à moda antiga).

Durante a primavera e o verão dos Estados Unidos, pode parecer que há um festival todo final de semana em St. Michaels. A cidade inteira vai às ruas para acompanhar todas as atividades dos festivais Eastern Shore Sea Glass & Coastal Arts Festival e Daffodil Festival.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).