10 países onde a filatelia é mais lucrativa que a Bolsa

iStock
Embora o custo para formar uma coleção varie muito de país para país, o valor médio em dólar é bastante consistente: entre US$ 200 e US$ 306 para os selos novos e entre US$ 167 e US$ 307 para os selos usados

O mercado de selos reflete o mercado de valores mobiliários (segmento de investimento em captações públicas) em muitos aspectos e, portanto, pode ser analisado de maneira semelhante. Se vamos investir uma quantia significativa de dinheiro em selos, há uma variedade de métricas para comparar países. Uma delas é a demanda para cada um dos selos. A demanda, por sua vez, é uma variável complexa, influenciada pelo número de colecionadores, volume e frequência de emissão do selo, prazo de uso e política de vendas para os remanescentes. Somam-se a isso outros elementos, como condições econômicas, população, história da emigração e da imigração e passado político do país onde o selo é emitido. O que torna essa análise mais interessante é que, embora seja feita por nação, ela também pode ser reduzida ao nível de selos individuais, embora com métricas diferentes.

LEIA MAIS: Picasso da dinastia Rockefeller integra coleção de arte que pode se tornar a maior já vendida

Para esta lista, foram analisados 10 principais países que, provavelmente, representam mais da metade do mercado de selos. Esta informação pode ser de interesse para um colecionador que está à procura de uma nova nação para começar e ainda não a conhece o suficiente. Os dados a seguir representam o mercado em ordem de tamanho, embora os números não sejam mostrados. O ranking traz a quantidade de selos mint stamp (aqueles que nunca foram utilizados e que mantêm a cola original) e usados, todos avaliados apenas entre US$ 25 e US$ 1.000. Selos acima desse valor são deixados de fora, pois são difíceis de comprar e distorcem qualquer tentativa de comparação.

É justo dizer que, em geral, os valores mostrados representam 80% do custo de formação da coleção de um país ou 100% se comprados a uma média de 80% do valor de catálogo. A porcentagem de valorização mostrada compreende de 2005 a 2018. A coluna de valor médio em dólar indica quais países têm se tornado mais caros, e a relação entre os preços de selos novos e usados ​​indica qual oferece a melhor opção.

Veja, a seguir, algumas observações obtidas por meio desses dados:

– Os três principais países se alinham segundo o tamanho relativo de suas economias, e não de suas populações;

– Embora o custo para formar uma coleção varie muito de país para país, o valor médio em dólar é bastante consistente: entre US$ 200 e US$ 306 para os selos novos e entre US$ 167 e US$ 307 para os selos usados. Isso é surpreendente, se considerarmos todas as variáveis que entram na determinação de preços;

– A proporção dos preços de selos novos para os de usados é interessante, especialmente porque os novos nunca se tornaram o padrão nos EUA ou na Europa;

– Os percentuais de apreciação variam amplamente e não devem ser uma boa medida de desempenho futuro. Eles fornecem algumas orientações de qual coleção, de selos novos ou usados, é o melhor investimento;

– Enquanto o Reino Unido mostra uma apreciação consistente com as outras nações, os colecionadores devem ser cautelosos sobre começar uma coleção do país neste momento. O preço dos selos de lá foi dominado pela loja Stanley Gibbons, que enfrentou dificuldades provavelmente devido ao seu programa de investimento no produto. Os preços, portanto, podem ter reajustes negativos significativos para selos britânicos de valor mais alto e de países da Comunidade das Nações.

Os colecionadores focados em selos como uma classe de ativos e como um investimento seriam melhor atendidos se focassem em produtos mais caros de países populares, em vez de coleções inteiras. A compra de selos precisa ser um exercício mais discreto.

O mercado de selos é dominado por quem ama o hobby, cujas decisões de compra são motivadas pela emoção. O papel de sites como o StampFinder.com é desenvolver um modelo alternativo de tomada de decisão, baseada em valores, que dê ao cliente a confiança de que as compras de selos representam um investimento. É assim que se cresce essa base de compradores.

Veja, na galeria de fotos abaixo, 10 países onde a filatelia é mais lucrativa do que a Bolsa:

  • 10. Índia

    Mint Stamp
    Valor médio: US$ 115.998
    Quantidade de selos entre US$ 25 e US$ 1.000: 401
    Taxa de valorização: 81,8%

    Selo antigo
    Valor médio: US$ 75.808
    Quantidade de selos entre US$ 25 e US$ 1.000: 247
    Taxa de valorização: 41,1%

  • 9. Rússia

    Mint Stamp
    Valor médio: US$ 87.887
    Quantidade de selos entre US$ 25 e US$ 1.000: 426
    Taxa de valorização: 93,2%

    Selo antigo
    Valor médio: US$ 34.788
    Quantidade de selos entre US$ 25 e US$ 1.000: 208
    Taxa de valorização: 48,8%

  • 8. Itália

    Mint Stamp
    Valor médio: US$ 95.207
    Quantidade de selos entre US$ 25 e US$ 1.000: 352
    Taxa de valorização: 32,1%

    Selo antigo
    Valor médio: US$ 99.604
    Quantidade de selos entre US$ 25 e US$ 1.000: 397
    Taxa de valorização: 85,9%

  • 7. Austrália

    Mint Stamp
    Valor médio: US$ 287.001
    Quantidade de selos entre US$ 25 e US$ 1.000: 1.023
    Taxa de valorização: 90,2%

    Selo antigo
    Valor médio: US$ 146.900
    Quantidade de selos entre US$ 25 e US$ 1.000: 838
    Taxa de valorização: 70%

  • 6. Canadá

    Mint Stamp
    Valor médio: US$ 200.460
    Quantidade de selos entre US$ 25 e US$ 1.000: 655
    Taxa de valorização: 59%

    Selo antigo
    Valor médio: US$ 47.712
    Quantidade de selos entre US$ 25 e US$ 1.000: 262
    Taxa de valorização: 48,1%

  • 5. França

    Mint Stamp
    Valor médio: US$ 96.010
    Quantidade de selos entre US$ 25 e US$ 1.000: 345
    Taxa de apreciação: 33,2%

    Selo antigo
    Valor médio: US$ 36.049
    Quantidade de selos entre US$ 25 e US$ 1.000: 182
    Taxa de valorização: 17,7%

  • 4. Reino Unido

    Mint Stamp
    Valor médio: US$ 64.152
    Quantidade de selos entre US$ 25 e US$ 1.000: 230
    Taxa de valorização: 36,8%

    Selo antigo
    Valor médio: US$ 46.899
    Quantidade de selos entre US$ 25 e US$ 1.000: 214
    Taxa de valorização: 44%

  • 3. Alemanha

    Mint Stamp
    Valor médio: US$ 150.496
    Quantidade de selos entre US$ 25 e US$ 1.000: 751
    Taxa de valorização: 22,7%

    Selo antigo
    Valor médio: US$ 238.152
    Quantidade de selos entre US$ 25 e US$ 1.000: 643
    Taxa de valorização: 123,3%

  • 2. China

    Mint Stamp
    Valor médio: US$ 155.765
    Quantidade de selos entre US$ 25 e US$ 1.000: 549
    Taxa de valorização: 53,9%

    Selo antigo
    Valor médio: US$ 101.219
    Quantidade de selos entre US$ 25 e US$ 1.000: 406
    Taxa de valorização: 64,5%

  • 1. Estados Unidos

    Mint Stamp
    Valor médio: US$ 348.873
    Quantidade de selos entre US$ 25 e US$ 1.000: 1.473
    Taxa de valorização: 7,3%

    Selo antigo
    Valor médio: US$ 183.999
    Quantidade de selos entre US$ 25 e US$ 1.000: 925
    Taxa de valorização: 23,4%

10. Índia

Mint Stamp
Valor médio: US$ 115.998
Quantidade de selos entre US$ 25 e US$ 1.000: 401
Taxa de valorização: 81,8%

Selo antigo
Valor médio: US$ 75.808
Quantidade de selos entre US$ 25 e US$ 1.000: 247
Taxa de valorização: 41,1%

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).