5 bilionários que fizeram fortuna depois dos 40

Depois da maioridade, junto a cada aniversário, vem a cobrança por resultados e objetivos de vida. Entrar na universidade aos 18 anos, formar-se aos 23 e atingir o prestígio profissional aos 30. Ao contrário do que é socialmente estipulado e esperado, o sucesso não tem fórmula certa, tampouco o momento exato para acontecer. A única certeza é de que o trabalho é árduo e é preciso ter persistência.

VEJA TAMBÉM: Por que nossos bilionários não investem no futebol?

Tanta pressão por sucesso, fortuna, uma vida estável e bem resolvida antes dos 40 anos também pode levar à escolha precoce de uma carreira que não é a dos sonhos, mas sim a que traria maior segurança e retorno financeiro. Diante disso, a insatisfação profissional pode bater à porta, mais cedo ou mais tarde – mas nem sempre precisa ser encarada como um sinal ruim. Pode ser uma oportunidade de renovação, um momento para novos desafios, para respirar outros ares e até, quem sabe, resgatar aquele antigo sonho de vida e profissão. Lembre-se: um copo vazio está sempre cheio de ar.

Independente se a situação é de uma mudança de carreira depois dos 30 ou o do sucesso ainda não alcançado, há esperança – e ela pode estar escondida na casa dos bilhões!

Veja na galeria de fotos abaixo, 5 bilionários que fizeram fortuna depois dos 40 anos e inspire-se.

  • 1. Sheldon Adelson, 84 anos

    Patrimônio atual: US$ 43,4 bilhões.

    O chefão do jogo começou nos cassinos depois dos 55 anos, quando comprou o Sands Hotel & Casino, em Las Vegas, por US$ 128 milhões. Antes de virar a chave, Adelson não era um estranho na cidade do pecado: já havia organizado e dirigido uma feira de computadores por lá.

  • 2. David Duffield, 77 anos

    Patrimônio atual: US$ 8,7 bilhões.

    O ex-funcionário da IBM fundou duas empresas de software de negócios depois de completar 40 anos. Aos 47, fundou a PeopleSoft, vendida para a Oracle, rival de grande porte, quase duas décadas depois, por US$ 10,3 bilhões. Logo após a venda, ele começou a Workday, a empresa de software de gestão financeira e RH.

  • 3. Dietrich Mateschitz, 74 anos

    Patrimônio atual: US$ 25,5 bilhões.

    Depois de comercializar produtos como shampoo e pasta de dente fazendo publicidade boca a boca, Mateschitz fundou a Red Bull aos 42 anos. O então vendedor lançou a bebida energética como combustível para realizar feitos ousados ​​(o famoso slogan: “Red Bull te dá asas”) e reforçou a ideia da marca ao atrelá-la a paraquedistas, motociclistas e esquiadores de grandes montanhas.

  • 4. James Dyson, 71 anos

    Patrimônio atual: US$ 5,4 bilhões.

    Quando o aspirador de pó de sua família se mostrou ineficiente – apenas empurrava a sujeira ao redor -, Dyson começou a criar um projeto de vácuo para solucionar o problema. Quinze anos e 5.127 protótipos depois, aos 46 anos, apresentou ao mercado o primeiro modelo sem saco do mundo. Agora, aos 71, ele possui mais de 60 produtos – desde secadores de cabelo até ventiladores.

  • 5. David Cheriton, 67 anos

    Patrimônio atual: US$ 6,5 bilhões.

    Em 1998, o professor de Stanford, de 47 anos, assinou um cheque de US$ 100.000 a dois acadêmicos de PhD. Os alunos, que se chamavam Larry e Sergey, foram até sua casa e o envolveram em uma empresa chamada Google. Cheriton também foi cofundador de outras três empresas de tecnologia após os 40 anos – as companhias foram vendidas ou se tornaram de capital aberto.

1. Sheldon Adelson, 84 anos

Patrimônio atual: US$ 43,4 bilhões.

O chefão do jogo começou nos cassinos depois dos 55 anos, quando comprou o Sands Hotel & Casino, em Las Vegas, por US$ 128 milhões. Antes de virar a chave, Adelson não era um estranho na cidade do pecado: já havia organizado e dirigido uma feira de computadores por lá.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).