10 países com as maiores reservas de ouro

iStock
Os Estados Unidos ocupam o 1° lugar, com mais de 8 mil toneladas de ouro em seus cofres – quase tanto quanto os próximos três países juntos

Desde 2010, bancos centrais de todo o mundo passaram de net sellers (aqueles que vendem mais do que compram) para net buyers (compram mais do que vendem) no que diz respeito ao ouro. No ano passado, a atividade do setor cresceu 36% e chegou a 366 toneladas – um aumento considerável na comparação com 2016.

LEIA MAIS: 10 países que mais recebem fortunas estrangeiras

Os 10 principais bancos centrais com as maiores reservas de ouro permaneceram os mesmos durante os últimos anos. Os Estados Unidos ocupam o 1° lugar, com mais de 8 mil toneladas de ouro em seus cofres – quase tanto quanto os próximos três países juntos. Por seis anos consecutivos, o Banco Central da Rússia tem sido o maior comprador de ouro, aumentando suas reservas para 224 toneladas em 2017 e ultrapassando a China no 5° lugar, de acordo com pesquisa da GFMS, consultoria especializada no mercado de metais.

Nem todos os bancos centrais são net buyers. Pelo segundo ano consecutivo, a Venezuela é a maior vendedora de ouro, com 25 toneladas comercializadas no último ano para auxiliar no pagamento de dívidas. No entanto, as vendas brutas do setor diminuíram 55% em 2017, para o menor nível desde 2014, indicando que os bancos centrais continuarão a manter suas reservas em ouro, historicamente visto como o porto seguro dos ativos.

2018 pode ser outro ano de forte demanda de ouro ocasionada pelos bancos centrais. De acordo com o World Gold Council (WGC), a demanda no primeiro trimestre cresceu 42% em comparação ao mesmo período do ano passado, com compras totais de 116,5 toneladas – número recorde para os três primeiros meses do ano desde 2014. Enquanto a dívida mundial continua a subir, bancos centrais e investidores individuais podem manter o metal em seus bolsos, já que, historicamente, ele teve um bom desempenho em tempos de crise econômica e incertezas geopolíticas.

Veja, na galeria de fotos abaixo, os 10 países com as maiores reservas de ouro:

  • 10. Índia

    Toneladas: 560,3
    Porcentagem de reservas estrangeiras: 5,5%

    Não é nenhuma surpresa que o Banco da Índia tenha uma das maiores reservas de ouro do mundo. O país, que possui 1,25 bilhão de habitantes, é o segundo maior consumidor do metal precioso e é um dos mais relevantes na demanda global. A temporada de festivais e casamentos no país, de outubro a dezembro, foi um grande impulso para o “Love Trade” (grupos que compram ouro para pessoas queridas durante essa época).

  • 9. Holanda

    Toneladas: 612,5
    Porcentagem de reservas estrangeiras: 68,2%

    O Banco Central dos Países Baixos anunciou que vai mudar seus cofres de ouro de Amsterdã para a base aérea Camp New Amsterdam, que fica a uma hora da cidade, citando medidas de segurança. Como muitos apontaram, isso parece estranho, dado o fato de que o banco recentemente repatriou uma grande quantidade de seu ouro que estava nos Estados Unidos.

  • 8. Japão

    Toneladas: 765,2
    Porcentagem de reservas estrangeiras: 2,5%

    Japão, o 3° país com a maior economia do mundo, é também o 8° com a maior reserva de ouro. O banco central japonês tem sido um dos praticantes mais agressivos da flexibilização quantitativa – em janeiro de 2016, sua taxa de juros ficou abaixo de zero, o que auxiliou na demanda por ouro ao redor do mundo.

  • 7. Suíça

    Toneladas: 1.040
    Porcentagem de reservas estrangeiras: 5,3%

    A Suíça tem a maior reserva de ouro do mundo per capita. Durante a Segunda Guerra Mundial, o país neutro se tornou um centro de negociação do metal na Europa, fazendo transações com o Eixo e os Aliados. Atualmente, as negociações são feitas com Hong Kong e China.

  • 6. China

    Toneladas: 1.842,6
    Porcentagem de reservas estrangeiras: 2,4%

    No inverno de 2015, o Banco Popular da China começou a divulgar sua atividade de compra de ouro mensalmente, pela primeira vez desde 2009. Embora o país ocupe a 6a posição, o metal amarelo representa uma pequena porcentagem de suas reservas totais – 2,4%, o menor entre os 10 principais bancos centrais com mais ouro. No entanto, esse valor é um pouco maior do que os 2,2% das reservas de 2016.

  • 5. Rússia

    Toneladas: 1.909,8
    Porcentagem de reservas estrangeiras: 17,6%

    O Banco Central da Rússia tem sido o maior comprador de ouro pelos últimos seis anos e, no início de 2018, ultrapassou a China e tomou o 5o lugar. Em 2017, a Rússia comprou 224 toneladas de barras de ouro com o objetivo de diversificar o dólar norte-americano, já que sua relação com o Ocidente esfriou desde a anexação da Península da Crimeia em meados de 2014.

  • 4. França

    Toneladas: 2.436
    Porcentagem de reservas estrangeiras: 63,9%

    O banco central da França vendeu um pouco de seu ouro nos últimos anos e há apelo para pará-lo completamente. Marine Le Pen, presidente do partido de extrema direita do país, comandou não apenas a acusação de congelar a venda do ouro da nação, mas também de trazer de volta todos os cofres estrangeiros.

  • 3. Itália

    Toneladas: 2.451,8
    Porcentagem de reservas estrangeiras: 67,9%

    A Itália também manteve o tamanho de suas reservas conforme os anos se passaram, e teve apoio do presidente do Banco Central Europeu, Mario Draghi. O ex-governador do Banco da Itália, quando questionado em 2013 sobre o papel do ouro no portfólio de um banco central, respondeu que o metal era “uma reserva de segurança”. “Ele traz uma boa proteção contra as flutuações do dólar”, disse.

  • 2. Alemanha

    Toneladas: 3.371
    Porcentagem de reservas estrangeiras: 70,6%

    Em 2017, a Alemanha completou sua operação de repatriamento de quatro anos para movimentar um total de 674 toneladas de ouro do Banco da França e do Federal Reserve Bank of New York de volta aos seus próprios cofres. Anunciada em 2013, a movimentação estava prevista para ser completada até 2020. Embora a demanda de ouro tenha caído no último ano, após atingir a sua maior alta em 2016, o país da Europa tem visto os investimentos em ouro aumentarem constantemente desde a crise financeira global.

  • 1. Estados Unidos

    Toneladas: 8.133,5
    Porcentagem de reservas estrangeiras: 75,2%

    Com as maiores reservas no mundo, os Estados Unidos tem quase tanto ouro quanto os próximos três países juntos. Também, o país possui a maior alocação de ouro com sua porcentagem de reservas estrangeiras sendo maior do que 75%. A maioria do ouro norte-americano está em Fort Knox, no Kentucky, com o restante em Philadelphia Mint, Denver Mint, San Francisco Assay Office e West Point Bullion Depository. Qual estado que mais ama ouro? O Texas criou seu próprio depósito de ouro, Texas Bullion Depository, para salvaguardar o metal dos investidores.

10. Índia

Toneladas: 560,3
Porcentagem de reservas estrangeiras: 5,5%

Não é nenhuma surpresa que o Banco da Índia tenha uma das maiores reservas de ouro do mundo. O país, que possui 1,25 bilhão de habitantes, é o segundo maior consumidor do metal precioso e é um dos mais relevantes na demanda global. A temporada de festivais e casamentos no país, de outubro a dezembro, foi um grande impulso para o “Love Trade” (grupos que compram ouro para pessoas queridas durante essa época).

 

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).