10 melhores cidades dos EUA para carreira em 2018

A Amazon.com anunciou, em setembro de 2017, planos para construir uma segunda sede na América do Norte. A notícia gerou uma concorrência acirrada: as cidades disputavam a possibilidade de criação de 50.000 novos empregos e US$ 5 bilhões em investimento para construir o HQ2. Todos buscavam um pouco da magia de Jeff Bezos, que ajudou a impulsionar a economia de Seattle e atraiu milhares de talentos millennials para a região.

VEJA TAMBÉM: 10 principais filantropos dos Estados Unidos

O fundador da gigante do varejo online, Bezos, atualmente a pessoa mais rica do mundo, com um patrimônio líquido de US$ 130 bilhões segundo FORBES, deve nomear o vencedor do HQ2 até o final deste ano. Mas quem está em alta mesmo é a economia da terra natal do CEO. Em números, Seattle cresceu 6,6% no ano passado ou 5,2% já descontada a inflação, três vezes mais rápido do que a média das cidades do país. As rendas estão estagnadas em todo território norte-americano, mas não na Cidade Esmeralda, onde o aumento foi de 4,7% durante os últimos cinco anos.

É verdade que os custos de vida e dos negócios são altos, mas o talento da força de trabalho mais do que compensa: Seattle conquistou, pela primeira vez, o topo da lista anual dos 20 melhores lugares para carreira e negócios da FORBES, duas posições à frente do resultado do ano passado.

A região de Seattle tem uma rica história em inovação – bem antes de a Amazon se tornar um gigante do varejo. As raízes das icônicas marcas norte-americanas Boeing, Costco, Microsoft, Nordstrom e Starbucks estão todas lá.

Apesar de ser a única da lista localizada fora do Sun Belt (Cinturão do Sol), Seattle pontua bem em todos os níveis. Classifica-se entre as cinco primeiras em cada um dos 14 critérios estabelecidos pela FORBES, com exceção dos custos de negócios e de vida. Apenas cinco das 15 maiores metrópoles tiveram mais pessoas de mudança para essa área do que no ano passado, de acordo com dados do Census.

E AINDA: 10 melhores empresas do mundo para trabalhar em 2018

Sozinha, a Amazon empregou 40.000 pessoas em Seattle desde 2010 – sem contar os cargos nos centros de distribuição. A gigante, que tem receita de US$ 208 bilhões, promove os melhores programas de MBA para seus funcionários graduados. A Amazon classificou-se como uma das principais empresas de contratação no ano passado em quase todas as escolas de elite, que incluem Chicago (Booth), Cornell (Johnson), Dartmouth (Duke), Duke (Fuqua), IMD, INSEAD, LBS, MIT (Sloan) e Penn (Wharton).

Top 5

Raleigh aparece em 2o lugar pelo terceiro ano consecutivo. Foi a performance mais consistente no relatório anual Best Places (Melhores Lugares) ao ficar no Top 3 durante os últimos 16 anos. A cidade ficou entre as 20 finalistas candidatas à nova sede da Amazon.

Assim como Seattle, Raleigh, capital da Carolina do Norte, apresenta uma economia forte e um contingente de trabalhadores instruídos, graças à proximidade de universidades como a Duke e a UNC. Uma grande vantagem para a região são os custos dos negócios, que estão 14% abaixo da média nacional, segundo o Moody’s Analytics. Em Seattle, esse índice é 10% acima da média do país.

Portland, no Oregon, ocupa o 3o lugar, enquanto Denver e Charlotte completam o Top 5. A Carolina do Norte possui quatro cidades no Top 25 com Durham e Asheville juntando-se a Raleigh e Charlotte. O Colorado (Denver, Colorado Springs e Fort Collins) e Washington (Seattle, Tacoma e Olympia) tiveram três colocados cada.

A parte inferior da lista

A Suprema Corte pavimentou o caminho para que os estados legalizassem as apostas esportivas em maio, quando derrubou uma lei federal de 1992 que basicamente bania a prática em quase todas as localidades. Nova Jersey rapidamente se adaptou para abrir suas portas aos apostadores, e a ação deve beneficiar Atlantic City, pelo menos no curto prazo – a cidade poderia usar todo esse incentivo a seu favor, pois ocupa, pelo sexto ano consecutivo, uma posição ruim na lista dos Melhores Lugares para Negócios.

LEIA AQUI: 15 países em que os funcionários mais aproveitam suas férias

Atlantic City perdeu empregos em um ritmo mais rápido do que quase qualquer outra metrópole nos EUA. A perspectiva é apenas um pouco melhor, mas ainda próxima das extremidades. O PIB bruto da cidade, de US$ 15 bilhões, caiu por quatro anos consecutivos, líquido de inflação. Com muitos dos cargos no mercado da hospitalidade, a cidade tem uma escassez de millennials altamente qualificados.

Metodologia

A FORBES acompanhou o clima de negócios das maiores áreas metropolitanas por duas décadas. Foram comparadas as 200 maiores cidades deste ano de acordo com 14 métricas relacionadas a empregos, renda e crescimento econômico; custo de vida e de fazer negócios; bem como os níveis de educação. Outros fatores incluíram migração, oportunidades de cultura e lazer e leis de tolerância no local de trabalho. As cidades variam em tamanho de 14,5 milhões (Nova York) a 269 mil (Norwich, Connecticut) habitantes. Os dados foram obtidos por meio da Moody’s Analytics, Sperling’s Best Places e do censo norte-americano.

Veja, na galeria de imagens abaixo, as 10 melhores cidades norte-americanas para carreira e negócios em 2018:

  • 10ª. Tacoma, Washington

    População: 878.100
    PIB: US$ 42 bilhões
    Crescimento anual projetado (GMP): 3,4%

  • 9ª. Provo, Utah

    População: 619.700
    PIB: US$ 26 bilhões
    Crescimento anual projetado (GMP): 3,8%

  • 8ª. Austin, Texas

    População: 2.123.000
    PIB: US$ 134 bilhões
    Crescimento anual projetado (GMP): 3,8%

  • 7ª. Des Moines, Iowa

    População: 647.600
    PIB: US$ 51 bilhões
    Crescimento anual projetado (GMP): 3,2%

  • 6ª. Dallas, Texas

    População: 4.921.800
    PIB: US$ 358 bilhões
    Crescimento anual projetado (GMP): 3,4%

  • 5ª. Charlotte, N.C.

    População: 2.531.700
    PIB: US$ 146 bilhões
    Crescimento anual projetado (GMP): 3,5%

  • 4ª. Denver, Colorado

    População: 2.893.000
    PIB: US$ 193 bilhões
    Crescimento anual projetado (GMP): 3,1%

  • 3ª. Portland, Oregon

    População: 2.457.700
    PIB: US$ 164 bilhões
    Crescimento anual projetado (GMP): 3,2%

  • 2ª. Raleigh, N.C.

    População: 1.339.500
    PIB: US$ 77 bilhões
    Crescimento anual projetado (GMP): 4,1%

  • 1ª. Seattle, Washington

    População: 2.995.100
    PIB: US$ 288 bilhões
    Crescimento anual projetado (GMP): 3,6%

10ª. Tacoma, Washington

População: 878.100
PIB: US$ 42 bilhões
Crescimento anual projetado (GMP): 3,4%

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).