Os 17 aeroportos mais perigosos do mundo

Eu me vi segurando o braço enquanto meu avião tentava aterrissar na África em uma remota pista de pouso arenosa. O pouso foi cancelado e precisamos circular várias vezes para assustar várias girafas que estavam ocupando a pista. Quase um mês depois, fiz uma aterrissagem dramática no Butão, que era como uma cena de Guerra nas Estrelas, onde meu avião comercial tinha que ser transportado dramaticamente para se encaixar entre o estreito e remoto terreno montanhoso. Esta são apenas algumas das incríveis experiências que eu tive viajando pelo mundo, que incluem, ainda, tempestades de neve e relâmpagos até turbulências pesadas que prejudicaram nossa tripulação. Ainda assim, eu sempre mantive a calma e a confiança de que tudo daria certo.

LEIA MAIS: Dois aeroportos brasileiros estão no Top 10 mundial

Segundo o Mapa de Incidentes Globais da Aviation, houve mais de 500 aterrissagens de emergência e 20 acidentes de avião em todo o mundo este ano, e nenhum deles ocorreu nos aeroportos considerados mais perigosos. Apesar da dificuldade de operação, marcada por pousos dramáticos e cuidadosamente orquestrados, esses aeroportos estão localizados em algumas das áreas mais bonitas e muitas vezes perigosas do planeta.

Muitos deles são acessíveis apenas para pilotos bem treinados e qualificados. Em Paro, no Butão, apenas 17 profissionais são treinados para executar aterrissagens de tirar o fôlego. Nos pequenos aeroportos de locais remotos como a Noruega e a Antártida, os pousos são ainda mais dramáticos.

Veja, na galeria de fotos abaixo, os aeroportos mais perigosos e emocionantes do mundo:

  • Aeroporto de Lukla, Nepal

    Localizado perto do Monte Everest, o Aeroporto de Lukla, no Nepal, é o principal para quem está visitando a região. Posicionado entre montanhas, com uma pista muito curta, o pouso pode ser tão dramático quanto a subida, que acompanha a montanha. Às vezes, não há energia elétrica no aeroporto, e os pilotos precisam estar em constante comunicação com os controladores aéreos durante as manobras.

    Nas montanhas do Himalaia, o aeroporto de Tenzing-Hillary, a 2.842 metros de altura, foi batizado pelos dois primeiros escaladores que subiram o Monte. Everest é a parada mais popular para os andarilhos na região. O aeroporto é construído ao lado de uma montanha com uma pequena pista de sentido único, com apenas 487 metros de comprimento, muitos declives e ângulos agudos. Em uma extremidade da pista há uma parede montanhosa e a outra extremidade é praticamente um mergulho em direção ao vale.

  • Aeroporto Toncontin, Honduras

    Devido à localização ao lado das montanhas, bem como ao tamanho estreito da pista, o pouso é muito complicado. Os pilotos são forçados a fazer uma curva acentuada e aterrissar perto do vale, e a experiência é frequentemente comparada ao pouso em um porta-aviões. Eu, pessoalmente, experimentei as frequentes rajadas de vento e as más condições climáticas que atrapalham os pilotos, já que eles devem fazer um pouso direto, apesar do receio de se deparar com uma aeronave grande ultrapassando a pista se não pousar perfeitamente no lugar certo. Quando desembarcamos, guardas munidos de metralhadoras cumprimentaram os passageiros – o que só aumenta o teor dramático da chegada.

  • Aeroporto de Paro, Butão

    O aeroporto do Butão conta com apenas 17 pilotos qualificados e autorizados a pousar em uma pista cercada por picos de montanhas de 5.486 metros. A pista, com 1.982 metros de comprimento, permite apenas chegadas e partidas durante o dia. Os pilotos são obrigados a fazer manobras em um ângulo de 45 graus antes de cair na pista. Existe até um ponto em que a parte inferior do avião se aproxima perigosamente das casas na montanha, e uma casa vermelha é o principal ponto focal para os pilotos em sua aproximação.

  • Aeroporto Juancho E. Yrausquin, Ilha de Saba, Caribe

    Na ilha de Saba, a ilha original do filme “King Kong”, fica o Juancho E. Yrausquin, conhecido por ter uma das pistas de aeroportos comerciais mais curtas do mundo. Com apenas 396 metros de comprimento, apenas pilotos bem treinados podem voar na área. A chegada é quase em um penhasco, ao lado do terreno irregular de Saba.

  • Aeroporto Internacional de Courchevel, França

    Com apenas 818 metros de comprimento de pista, este aeroporto tem uma inclinação descendente de 18,5%. Este declive dificulta a decolagem e é acessado através de vales profundos onde são permitidos apenas pilotos certificados. Não há segunda chance de pouso por lá devido à posição da pista, e os pilotos devem fazê-lo perfeitamente na primeira tentativa. E, para piorar a situação, o aeroporto não oferece nenhuma luz ou ajuda de instrumentos, portanto, a aterrissagem com mau tempo é impossível.

  • Aeroporto Internacional de Wellington, Nova Zelândia

    Este aeroporto possui uma pista de 1.935 metros que parece começar e terminar na água. A chegada complicada através da área montanhosa é bem conhecida pelos seus ventos tempestuosos, que tornam as manobras extremamente difíceis. E, uma vez desembarcado, você pode ser varrido pelas fortes rajadas de furacão.

  • Estação Aérea McMurdo, Antártica

    Localizada a quase 3 mil metros acima do nível do mar, esta pista do aeroporto não é curta, mas é feita completamente de “gelo branco”. A base militar é o aeroporto principal do continente e, durante o inverno, a região fica no escuro as 24 horas do dia. Sem luzes na pista, os pilotos são treinados para operar “cegos”.

  • Aeroporto Internacional Princess Juliana, St. Maarten

    A praia de Maho está localizada no final da pista do aeroporto, o que resulta em enormes rajadas de vento e areia para os banhistas, mas também oferece uma foto perfeita para o Instagram. A pista tem 2.164 metros de comprimento e os aviões devem aproximar-se da água a uma altitude extremamente baixa, aparentando estar a poucos metros acima da cabeça dos banhistas.

  • Aeroporto de Narsarsuaq, Groenlândia

    Este aeroporto está localizado na parte sul da região autônoma do reino da Dinamarca, no meio de inúmeros fiordes. Os ventos fortes são o elemento mais ameaçador para pousar na pista de 1.830 metros. E nem pense em visitar o local caso o vulcão vizinho entre em erupção.

  • Aeroporto de Gisborne, Nova Zelândia

    Localizado nos arredores de Gisborne, na Nova Zelândia, este aeroporto tem em sua pista uma intersecção com uma ferrovia. Com três pistas de grama e uma pista principal, elas se cruzam com a linha ferroviária nacional. As aterrissagens são coordenadas com cronogramas precisos para evitar a aproximação dos trens.

  • Aeroporto Internacional da Barra, Escócia

    Este aeroporto está localizado na praia na baía rasa de Traigh Mhòr, em uma ilha remota. Os pilotos que voam para lá precisam se preocupar com as condições climáticas severas e com a subida das marés. A pista está apenas um metro e meio acima do nível do mar e todas as três pistas ficam completamente submersas durante a maré alta.

  • Aeroporto de Tioman, Malásia

    O pouso na Ilha Tioman obriga os pilotos a irem em direção a uma montanha para, em seguida, fazerem uma rápida curva de 90 graus, de forma a se alinhar com a pista. O pouso de sentido único tem que ser muito rápido, já que no final da pista tem um penhasco com uma queda muito íngreme.

  • Aeroporto Internacional de Gibraltar

    A pista de 1.676 metros não apresenta tantas dificuldades na hora do pouso, mas a rua principal da cidade cruza com ela e precisa ser fechada durante os procedimentos de descida. A pista curta também termina no mar em ambas as extremidades, forçando o piloto a pisar nos freios imediatamente após o pouso.

  • Aeroporto da Madeira, Portugal

    Os engenheiros tiveram que construir uma plataforma para expandir essa pista, que está localizada entre penhascos íngremes e o oceano. Eles construíram uma série de plataformas em uma ilha artificial que se estendem a partir da pista atual. Mais de 180 colunas sustentam a pista, que tem que suportar um grande choque durante as aterrissagens.

    Apenas duas dúzias de pilotos estão qualificados para voar para este aeroporto, o que envolve esforços coordenados para detectar pontos de referência na aproximação, já que não há aterrissagem por instrumentos. O aeroporto também é perigoso devido aos fortes ventos, altas montanhas de um lado e o oceano do outro.

  • Aeroporto de Congonhas, São Paulo, Brasil

    O aeroporto de Congonhas, em São Paulo, é bem conhecido pelos pilotos por sua pista curta e aterrissagem perigosa. Ele está localizado em meio à cidade, que é enorme, e dá a impressão de que você está raspando os topos dos prédios altos quando pousa. As pistas também são consideradas as mais escorregadias do mundo e resultaram em um grande número de acidentes fatais.

  • Aeroporto de Svalbard, Noruega

    A pista de 2.438 metros foi construída diretamente no gelo. Sob as passarelas há bueiros que permitem que a água corra da montanha. Devido à falta de luzes na pista, os voos só são permitidos durante o dia, dificultando assim a operação durante o inverno, quando o sol nunca aparece. O aeroporto precisava ser construído sobre o permafrost (tipo de solo da região) com a pista isolada contra o solo, para que não derreta durante o verão.

  • Aeroporto Regional de Telluride, Colorado, Estados Unidos

    Telluride é o aeroporto comercial de maior altitude na América, a 2.764 metros. Ele também possui falésias íngremes de 304 metros em ambas as extremidades da pista e forte turbulência vertical durante os meses de inverno, causada pelos ventos da montanha.

Aeroporto de Lukla, Nepal

Localizado perto do Monte Everest, o Aeroporto de Lukla, no Nepal, é o principal para quem está visitando a região. Posicionado entre montanhas, com uma pista muito curta, o pouso pode ser tão dramático quanto a subida, que acompanha a montanha. Às vezes, não há energia elétrica no aeroporto, e os pilotos precisam estar em constante comunicação com os controladores aéreos durante as manobras.

Nas montanhas do Himalaia, o aeroporto de Tenzing-Hillary, a 2.842 metros de altura, foi batizado pelos dois primeiros escaladores que subiram o Monte. Everest é a parada mais popular para os andarilhos na região. O aeroporto é construído ao lado de uma montanha com uma pequena pista de sentido único, com apenas 487 metros de comprimento, muitos declives e ângulos agudos. Em uma extremidade da pista há uma parede montanhosa e a outra extremidade é praticamente um mergulho em direção ao vale.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).