Saiba quem são as 12 investidoras da lista Midas

Reprodução Forbes
Fundadora e sócia da Capital Today, de Xangai, Kathy estreou na lista em 6º lugar graças, em grande parte, à sua aposta na JD.com

Resumo da matéria

  • Doze mulheres fazem parte do The Midas List este ano, um recorde de nove a mais do que em 2018
  • A estreante Kathy Xu, sócia-fundadora da Capital Today se destacou pela aposta na JD.com, segundo maior varejista da China
  • Mary Meeker, a mulher mais bem colocada da lista nos últimos três anos, ficou com a 8ª posição
  • Segundo a PitchBook, apenas cerca de 17% dos cargos de nível de investimento em empresas de capital de risco são ocupados por mulheres
  • Em 2018, empresas fundadas exclusivamente por mulheres reivindicaram 2,3% do montante total investido em startups apoiadas por capital de risco nos EUA

Apesar de ainda ser minoria entre os investidores de capital de risco mais bem-sucedidos do mundo, as mulheres estão aumentando sua presença no setor. Doze delas fazem parte da nova edição da The Midas List, um recorde para o ranking publicado anualmente e nove a mais do que no ano passado. O grupo inclui três recém-chegadas. Kathy Xu tem a melhor classificação de uma mulher até hoje na lista.

VEJA TAMBÉM: Os maiores investidores de capital de risco do mundo

Fundadora e sócia da Capital Today, de Xangai, Kathy estreou na lista em 6º lugar graças, em grande parte, à sua aposta na JD.com, segundo maior varejista online da China, além de investimentos na companhia de jogos NetEase e no site de descontos em comércio eletrônico Meituan-Dianping. A Capital Today tinha apenas um ano de operação quando Kathy apostou na JD como seu único investimento da Série A. Depois que o site tornou-se uma empresa pública, em 2015, veio a vitória. Seu cheque de US$ 18 milhões virou US$ 2,9 bilhões para a Capital Today e seus investidores. Kathy começou sua carreira como bancária na China. Em seguida, trabalhou na empresa de investimentos de Hong Kong Peregrine e na Baring Private Equity Asia antes de fundar a Capital Today em 2005.

Kathy destronou Mary Meeker, que foi a mulher mais bem classificada da lista nos últimos três anos e, agora, ocupa o 8º lugar. Depois de oito anos na Kleiner Perkins Caufield & Byers, ela deixou a empresa no final de 2018 para começar um novo fundo com antigos membros da equipe de crescimento digital da Kleiner Perkins. Seu novo negócio, a Bond Capital, foi lançado em janeiro de 2019 e foca em empresas de alto crescimento na internet. Seu portfólio na Kleiner Perkins teve as seguintes saídas desde a última lista: o site de comércio turco Trendyol (adquirido pelo Alibaba em junho de 2018), a DocuSign (que fez IPO em abril de 2018), o Spotify (listado em abril de 2018) e Ring (adquirida pela Amazon em março 2018). Mary é conhecida no mundo da tecnologia por seu Relatório Anual de Tendências da Internet e foi diretora administrativa do Morgan Stanley, atendendo empresas públicas de tecnologia antes de se mergulhar no mundo do capital de risco em 2010.

Beth Seidenberg, na 59ª posição da lista, também iniciou recentemente sua própria empresa de investimentos. Depois de 14 anos na Kleiner Perkins, Beth, médica de formação, fundou a Westlake Village BioPartners, com sede em Los Angeles, e pretende focar nos negócios em estágio inicial e incubar empresas de ciências da vida. A iniciativa lançou seu primeiro fundo com US$ 320 milhões de capital comprometido em setembro de 2018. Durante sua estadia na Kleiner Perkins, a ex-diretora médica da Amgen incubou oito startups e fechou grandes negócios, incluindo a Flexus Biosciences, adquirida pela gigante farmacêutica Bristol-Myers Squibb em 2015 por US$ 1,25 bilhão. Outra saída notável foi a venda da fabricante de medicamentos para câncer Tesaro para a GlaxoSmithKline por US$ 5,1 bilhões em 2018.

Outras novatas

Duas outras investidoras de risco estrearam na lista. Nisa Leung, sócia-gerente da Qiming Venture Partners, ficou em 54º lugar, liderando os investimentos chineses de saúde. Seus acordos ​​incluem a aquisição da empresa de instrumentos de análise celular ACEA Biosciences pela Agilent por US$ 250 milhões em novembro de 2018 e a oferta pública inicial do desenvolvedor de drogas médicas Zai Lab em setembro de 2017. Antes de ingressar na Qiming, Nisa cofundou a Biomedic Holdings, que investiu em dispositivos médicos, produtos farmacêuticos e serviços de saúde. Fora de seu papel de empreendedora, é professora convidada na Harvard Law School e membro do Comitê de Inovação e Desenvolvimento de Tecnologia e Re-Industrialização do governo de Hong Kong.

E AINDA: Conheça as maiores investidoras de risco do mundo

Outra estreante é Anna Fang, sócia e CEO da ZhenFund, uma empresa chinesa em estágio inicial que já apoiou mais de 600 startups. Anna, que supervisiona os investimentos do fundo, gerenciamento de portfólio e operações, garantiu a 89ª posição da lista graças, em parte, aos aportes no site de compras e lifestyle Xiaohongshu. Também conhecido como Red, a plataforma disse contar com mais de 200 milhões de usuários em janeiro de 2019. A empreendedora, que fica baseada em Pequim, iniciou sua carreira como banqueira de investimento no JP Morgan em Nova York, cobrindo empresas de varejo e consumo.

Figurinhas repetidas

Além de Beth e Mary, sete outras mulheres que estiveram na lista de 2018 continuam no ranking, incluindo Jenny Lee, fundadora e sócia da GGV Capital (na posição 19), Ann Miura-Ko, cofundadora e sócia do Floodgate Fund (57º lugar), Theresia Gouw, cofundadora e parceira da Aspect Ventures (65º), Rebecca Lynn, sócia do Canvas (80º), Aileen Lee, fundadora e sócia da Cowboy Ventures (82º), Sonali DeRycker, sócia da Accel Partners em Londres (83º), e Kirsten Green, fundadora e sócia-gerente da Forerunner Ventures (95º).

Duas dessas mulheres subiram bastante no ranking em relação a 2018. Jenny Lee, da GGV Capital, saiu da 74ª para a 19ª posição depois de algumas ofertas públicas de ações no ano passado: da startup de serviço de cartão de crédito 51credit (julho); da plataforma de idiomas LingoChamp (setembro); da startup de scooter Niu (outubro) e da fabricante de smartphones Xiaomi (julho), um investimento pessoal. Jenny, que é parte da lista desde 2012, também liderou os esforços de arrecadação de fundos da GGV no ano passado, o que resultou em US$ 1,88 bilhão em novos fundos em outubro de 2018. Vinte de seus investimentos estão avaliados em mais de US$ 400 milhões e sete foram avaliados em unicórnios ou megaunicórnios (multibilionárias).

LEIA AQUI: 10 empresas por trás dos maiores investidores do mundo

Theresia, cofundadora e sócia-gerente da Aspect Ventures, subiu para a 65ª posição contra a 89ª de um ano atrás depois de duas aquisições notáveis ​​apoiadas por ela: a Slack adquiriu o assistente de e-mail inteligente Astro em setembro de 2018 e o Airbnb anunciou que compraria o Hotel Tonight em março de 2019 por US$ 465 milhões. A investidora disse a Forbes este ano que continua a se concentrar nos aportes em inteligência artificial e machine learning “apesar de todo o hype”.

Um segmento desequilibrado

É de conhecimento geral que a indústria de capital de risco e o ecossistema de startups e investimentos pesam fortemente para o lado dos homens. Globalmente, apenas cerca de 17% dos cargos relacionados a investimentos em empresas de capital de risco são ocupados por mulheres, segundo dados deste ano do PitchBook. Além disso, o aumento no financiamento de capital de risco nos últimos anos não beneficiou as fundadoras na mesma proporção que os fundadores, segundo a mesma fonte. A quantia total de capital destinado às fundadoras norte-americanas está crescendo – lentamente. Empresas fundadas exclusivamente por mulheres reivindicaram 2,3% do montante total investido em startups apoiadas por capital de risco nos EUA no ano passado, disse a PitchBook em fevereiro – 2,2% a mais do que um ano antes. Não é muito, mas um aumento de 0,1% é melhor do que um movimento na direção oposta.

Elaborada em parceria com a empresa TrueBridge Capital Partners, a lista Midas reconhece os investidores que construíram portfólios de destaque apostando mais e de forma mais arrojada. O levantamento leva em consideração as saídas (ofertas públicas ou venda de startups) superiores a US$ 200 milhões ou rodadas de investimentos privados com empresas avaliadas em US$ 400 milhões ou mais.

Veja, na galeria de fotos a seguir, as 12 mulheres integrantes do The Midas List de 2019:

  • 6º Kathy Xu (Xu Xin)

    Sócia-fundadora da Capital Today

    Negociação mais notável: JD.com

  • 8º. Mary Meeker

    Sócia-diretora da Bond Capital

    Negociação mais notável: Spotify

  • 19º. Jenny Lee

    Sócia-gerente da GGV Capital

    Negociação mais notável: NIU

  • 54º. Nisa Leung

    Sócia-gerente da Qiming Venture Partners

    Negociação mais notável: Venus Medtech

  • 57º. Ann-Miura Ko

    Sócia e cofundadora da Floodgate

    Negociação mais notável: Lyft

  • 59º. Beth Seidenberg

    Fundador e diretora administrativa da Westlake Village BioPartners

    Negociação mais notável: Tesaro

  • 65º. Theresia Gouw

    Cofundadora e sócia-gerente da Aspect Ventures

    Negociação mais notável: ForeScout

  • 80º. Rebecca Lynn

    Cofundadora e sócia-diretora da Canvas Ventures

    Negociação mais notável: LendingClub

  • 82º. Aileen Lee

    Fundadora e sócia-diretora da Cowboy Ventures

    Negociação mais notável: Dollar Shave Club

  • 83º. Sonali De Rycker

    Sócia da Accel London

    Negociação mais notável: Spotify

  • 89º. Anna Fang

    Sócia e CEO da ZhenFund

    Negociação mais notável: Xiaohongshu

  • 95º. Kirsten Green

    Fundadora e sócia-gerente da Forerunner Ventures

    Negociação mais notável: Glossier

6º Kathy Xu (Xu Xin)

Sócia-fundadora da Capital Today

Negociação mais notável: JD.com

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).