15 cidades com os piores congestionamentos do mundo em 2018

Arturo Rosenow/GettyImages
Congestionamento em Bogotá, Colômbia

Resumo:

 

  • A empresa de tecnologia de navegação holandesa TomTom divulgou os resultados do seu mais recente Traffic Index (índice de tráfego, em tradução livre);
  • No ano passado, Mumbai foi a pior cidade do planeta no quesito caos do tráfego;
  • Embora o congestionamento represente um indicador de forte economia global, simultaneamente provoca um enorme impacto ambiental e custa muito tempo aos passageiros.

A empresa de tecnologia de navegação holandesa TomTom divulgou os resultados do seu mais recente Traffic Index (índice de tráfego, em tradução livre), que fornece estatísticas e informações sobre os níveis de congestionamento em 403 cidades de 56 países. Durante a última década, o trânsito das vias continuou a crescer globalmente – quase 75% das cidades relataram níveis de engarrafamento maiores ou estáveis ​​entre 2017 e 2018. No ano passado, Mumbai foi a pior cidade do planeta no quesito caos do tráfego – os motoristas indianos devem estar preparados para gastar, em média, 65% a mais do que o tempo de viagem previsto presos no engarrafamento.

LEIA MAIS: Relembre os 10 piores congestionamentos da história

Bogotá, capital da Colômbia, aparece em 2º lugar no ranking, com 63% de tempo extra em congestionamento, enquanto Lima, no Peru, ficou com a 3ª posição, com 58%. A Índia está presente mais uma vez na lista com a capital Nova Délhi, empatada em 3º lugar. Na Europa, Moscou lidera em engarrafamentos – os motoristas da capital russa podem esperar que mais 56% do tempo de viagem seja gasto em congestionamentos. Nas primeiras 15 posições, a única brasileira a fazer parte do levantamento é Recife, a capital pernambucana, em 10º lugar com 49% . Fora das 15 principais cidades visualizadas na galeria a seguir, Los Angeles tem os piores níveis de congestionamento nos Estados Unidos, segundo a TomTom, com 41%, seguida por Nova York (36%) e São Francisco (34%).

Um aspecto positivo do congestionamento é que ele é indicador de uma forte economia global. No entanto, vem com um enorme impacto ambiental e custa muito tempo aos passageiros. Ralf-Peter Schäfer, vice-presidente de informações de tráfego da TomTom, disse que sua empresa “está trabalhando para um futuro onde os veículos sejam elétricos, compartilhados e autônomos, para que um dia estejamos livres de congestionamentos e emissões”. “Nós temos a tecnologia para fazer esse futuro acontecer – mas é preciso um esforço colaborativo, que vai de autoridades rodoviárias a governos e fabricantes de carros a motoristas. Todos nós temos um papel a desempenhar”, diz.

Veja, na galeria de imagens a seguir, as 15 cidades do mundo com os piores congestionamentos e o índice de tempo extra gasto nos trajetos:

  • 15ª. Lodz (Polônia) – 44%

  • 14ª. Dublin (Irlanda) – 45%

  • 13ª. Kiev (Ucrânia) – 46%

  • 12ª. São Petersburgo (Rússia) – 47%

  • 11ª. Bucareste (Romênia) – 48%

  • 10ª. Recife (Brasil) – 49%

  • 9ª. Cidade do México (México) – 52%

  • 6ª. Bangcoc (Tailândia) – 53%

  • 6ª. Jacarta (Indonésia) – 53%

  • 6ª. Istambul (Turquia) – 53%

  • 5ª. Moscou (Rússia) – 56%

  • 3ª. Nova Délhi (Índia) – 58%

  • 3ª. Lima (Peru) – 58%

  • 2ª. Bogotá (Colômbia) – 63%

  • 1ª. Mumbai (Índia) – 65%

15ª. Lodz (Polônia) – 44%

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).