Os números por trás da Copa do Mundo FIFA 2018

A Copa do Mundo começou ontem (14) com uma partida entre a nação anfitriã, Rússia, e a Arábia Saudita. Mais 47 jogos serão realizados ao longo das próximas duas semanas, durante a fase de grupos, que eliminará 16 das 32 seleções. A final do torneio está marcada para 15 de julho.

VEJA TAMBÉM: Os 10 jogadores mais caros da Copa do Mundo 2018

O evento, que dura um mês e ocorre a cada quatro anos, é o maior do mundo – em 2018, a expectativa é de 3,4 bilhões de espectadores. Um bilhão de pessoas assistiram à final da edição de 2014 entre a Argentina e a campeã, Alemanha, segundo a FIFA. Em comparação, a audiência global do Super Bowl, principal evento do futebol americano, é de, aproximadamente, 150 milhões de pessoas ao ano.

A Copa do Mundo de 2018 não terá a presença de duas tradicionais potências do futebol: Itália e Holanda. Além disso, os Estados Unidos tiveram uma má performance durante a qualificação e também perderão a festa, pela primeira vez desde 1986.

A competição sempre gera uma série de intrigas e histórias. A da Espanha, uma das favoritas, começou quando a Federação Espanhola de Futebol (RFEF) demitiu o técnico da seleção, Julen Lopetegui, dois dias antes do início dos jogos, assim que descobriu que ele havia aceitado a proposta de ser técnico do Real Madrid. Lopetegui foi imbatível em seus 20 jogos como técnico nacional da Espanha, com 14 vitórias e seis empates.

A Copa do Mundo de 2018 conta com as maiores e mais bem pagas estrelas do esporte (em termos de salários, bônus e patrocínios, sem incluir valores de transferências): Lionel Messi, Cristiano Ronaldo e Neymar. O trio ganhou, junto, US$ 309 milhões ao longo dos últimos 12 meses. Pode ser a última chance de Messi e Ronaldo acrescentarem um título do torneio aos seus incríveis currículos. Neymar lidera o favorito Brasil, que busca redenção após ter sofrido uma derrota de 7 a 1 na semifinal da Copa de 2014 para a Alemanha, em que Neymar não jogou por causa de uma lesão na coluna.

LEIA: Guia prático de Moscou para a Copa do Mundo 2018

Veja, na galeria de fotos abaixo, o que você precisa saber os valores que envolvem a Copa do Mundo 2018:

  • 25%

    O Brasil é a equipe favorita nas bolsas de apostas internacionais: cada dólar investido na seleção brasileira será revertido em US$ 1,25 se o país ganhar a competição, seguido por Alemanha (US$ 1,22) e Espanha e França empatadas (US$ 1,153).

  • 12

    É o número de times da Copa do Mundo patrocinados pela Adidas, que também tem uma cota do torneio. A Nike tem 10 seleções, enquanto Puma (4 times), New Balance (2) e Umbro são os outros patrocinadores de uniformes.

  • US$ 110

    Valor do ingresso mais barato para a final da Copa, que só está disponível para cidadãos russos. Os preços chegam a US$ 1.100. A partida de abertura custou entre US$ 50 e US$ 550.

  • US$ 1,18 milhão

    Custo do comercial mais caro nos Estados Unidos durante o jogo final da competição de 2014, segundo a Standard Media Index.

  • 2,4 milhões

    Número de ingressos vendidos antes do início da Copa do Mundo. Fãs na Rússia lideram com 871.797, seguidos pelos Estados Unidos (88.825) e Brasil (72.512).

  • 3,4 milhões

    Público total da edição de 2014 no Brasil, ou 53.592 por jogo. O torneio de 1994 nos Estados Unidos foi o de maior público, com 3,6 milhões.

  • 8 milhões

    Camisetas de seleções vendidas pela patrocinadora do evento, a Adidas, em 2014. A empresa espera superar o total neste ano, apesar da ausência da Itália, da Holanda e dos Estados Unidos.

  • 18,2 milhões

    Audiência televisiva da transmissão da “ESPN” da partida da primeira rodada entre Estados Unidos e Portugal durante a competição de 2014, tornando-a a mais assistida na história dos Estados Unidos.

  • US$ 38 milhões

    Prêmio para o time vencedor. O segundo colocado ganha US$ 28 milhões, enquanto o terceiro fica com US$ 24 milhões. As 16 seleções eliminadas depois da fase de grupos recebem US$ 8 milhões cada.

  • US$ 111 milhões

    Ganhos, incluindo salário, bônus e patrocínios, do argentino Lionel Messi ao longo dos últimos 12 meses. Ele ficou em 2º lugar entre os atletas mais bem pagos do mundo, atrás apenas de Floyd Mayweather.

  • US$ 177 milhões

    Receita de publicidade arrecadada pela emissora de televisão norte-americana “Univision” durante a Copa do Mundo de 2014, segundo a Standard Media Index. A “ESPN” gerou US$ 65 milhões e a “ABC”, US$ 47 milhões.

  • 322 milhões

    Número de seguidores de Cristiano Ronaldo no Facebook, Twitter e Instagram combinados.

  • US$ 400 milhões

    Valor total dos prêmios destinados aos 32 times participantes. Cada seleção também recebe US$ 1,5 milhão antes do torneio para os custos de preparação.

  • US$ 425 milhões

    Custo para a “Fox” pelos direitos transmissão nos Estados Unidos das Copas de 2018 e 2022. A “Telemundo” está pagando US$ 600 milhões pelos direitos do evento na língua espanhola.

  • US$ 1,65 bilhão

    Receita de direitos de marketing da FIFA para o ciclo entre 2015 e 2018. Projeta-se que o valor seja de US$ 1,8 bilhão ao longo do próximo ciclo de quatro anos.

  • US$ 3 bilhões

    Receita de direitos de transmissão de televisão para a FIFA no ciclo 2015-2018. Espera-se que seja de US$ 3,5 bilhões nos próximos quatro anos.

  • US$ 4,1 bilhões

    Valor do Manchester United, time de futebol mais valioso do mundo.

  • US$ 6,1 bilhões

    Receita projetada da FIFA para o ciclo de orçamento de 2015 a 2018, 10% mais alto do que as expectativas iniciais graças a ganhos na China. Mais de US$ 4 bilhões do total será arrecadado durante o ano da Copa do Mundo de 2018.

  • US$ 11,6 bilhões

    Gastos estimados da Rússia em projetos para o torneio.

  • US$ 14 bilhões

    A candidatura conjunta de México, Estados Unidos e Canadá foi escolhida para sediar a Copa do Mundo FIFA 2026 na última quarta-feira (13). Espera-se que o torneio gere mais de US$ 14 bilhões em receita e US$ 11 bilhões em lucro para a FIFA.

25%

O Brasil é a equipe favorita nas bolsas de apostas internacionais: cada dólar investido na seleção brasileira será revertido em US$ 1,25 se o país ganhar a competição, seguido por Alemanha (US$ 1,22) e Espanha e França empatadas (US$ 1,153).

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).