Alisson é o goleiro mais caro de todos os tempos, mas vale o investimento?

Getty Images
O Liverpool já estava caçando o brasileiro, e sua óbvia necessidade de um grande goleiro – além do bom desempenho do atleta na Copa do Mundo – apenas elevou as cifras financeiras

A venda do goleiro brasileiro Alisson por US$ 87,4 milhões do clube italiano Roma para o inglês Liverpool, foi confirmada hoje (19). O valor quebrou o recorde de transferência de um goleiro.

LEIA MAIS: 10 transferências mais caras da história do futebol

É compreensível que o Liverpool pague o que parece ser uma soma exorbitante para um goleiro de nível internacional. Foram as loucuras de Loris Karius que acabaram por custar aos Reds o título da UEFA Champions League em Kiev – o que tornou inevitável que o time fizesse uma oferta por Alisson. O Liverpool já estava caçando o brasileiro, e sua óbvia necessidade de um grande goleiro – além do bom desempenho do atleta na Copa do Mundo – apenas elevou as cifras financeiras.

Mas será que Alisson é realmente duas vezes mais valioso do que qualquer outro goleiro do mundo? Provavelmente não. Mas isso tem menos a ver com a habilidade do brasileiro e mais com uma inflação massiva nas taxas de transferência dos últimos anos. E quando olhamos para as vendas mais caras de todos os tempos, muitas das quais aconteceram nas últimas janelas do verão europeu, veremos que quando os clubes investem dinheiro em um goleiro normalmente vale a pena.

Veja, na galeria de fotos a seguir, as transferências de goleiros mais caras da história:

  • Jordan Pickford, US$ 33 milhões, do Sunderland para o Everton (2017)

    Pickford foi aclamado como um dos goleiros do futuro quando ainda era um jogador juvenil no Sunderland. E, apesar de sua solidez na primeira temporada na Premier League com o time, foi essa reputação que levou o Everton a quebrar o recorde de transferência de um goleiro inglês para contratá-lo quando a equipe foi rebaixada. Apesar de o Everton ter tido uma temporada ruim, Pickford foi impressionante em seu primeiro ano em Merseyside, ganhando o primeiro lugar na seleção inglesa. Ele provou ser um dos melhores goleiros da Copa do Mundo. Com os melhores clubes da Inglaterra agora interessados em Pickford, ele pode pular para o topo lista antes do final da temporada.

  • Manuel Neuer, US$ 34,8 milhões, do Schalke para o Bayern Munich (2011)

    Em retrospectiva, o Bayern pagou pouco por Neuer. Assim como Buffon se estabeleceu como o maior goleiro de sua geração, Neuer reivindicou ser o maior da sua. Em seu tempo no Bayern, Neuer levou o clube a seis títulos consecutivos da Bundesliga e um título da UEFA Champions League em 2013. Ele também ocupou o posto na equipe alemã campeã do mundo no verão seguinte.

  • Ederson, US$ 46,4 milhões, do Benfica para o Manchester City (2017)

    Pep Guardiola encontrava-se no verão passado na mesma posição que Jurgen Klopp, do Liverpool, encontra-se nesta temporada: procurando um goleiro para levar sua equipe adiante. Klopp acha que descobriu isso em Alisson, assim como Guardiola acha que encontrou em Ederson. O brasileiro era muito mais sólido e tinha melhor distribuição do que qualquer outro goleiro do City desde a entrada de Guardiola – ou desde o auge de Joe Hart -, e ele desempenhou um papel fundamental no time para o título da Premier League.

  • Gianluigi Buffon, US$ 61,2 milhões, do Parma para a Juventus (2001)

    Há um bom simbolismo no fato de que a transferência de Buffon do Parma para a Juventus foi a mais cara de um goleiro durante 17 anos porque, por quase duas décadas, não havia um goleiro no mundo que valesse mais do que ele. Ele é o maior de sua geração e valeu cada centavo – provavelmente até mais. Depois de 17 anos, mais de 650 jogos e 11 títulos da Série A, Buffon está a caminho do PSG de forma gratuita.

Jordan Pickford, US$ 33 milhões, do Sunderland para o Everton (2017)

Pickford foi aclamado como um dos goleiros do futuro quando ainda era um jogador juvenil no Sunderland. E, apesar de sua solidez na primeira temporada na Premier League com o time, foi essa reputação que levou o Everton a quebrar o recorde de transferência de um goleiro inglês para contratá-lo quando a equipe foi rebaixada. Apesar de o Everton ter tido uma temporada ruim, Pickford foi impressionante em seu primeiro ano em Merseyside, ganhando o primeiro lugar na seleção inglesa. Ele provou ser um dos melhores goleiros da Copa do Mundo. Com os melhores clubes da Inglaterra agora interessados em Pickford, ele pode pular para o topo lista antes do final da temporada.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).