Lewis Hamilton assina contrato de US$ 100 milhões com a Mercedes

Reprodução/FORBES
O novo contrato deve pagar a Hamilton um salário base na faixa de US$ 30 milhões por ano

O piloto Lewis Hamilton fechou uma extensão de contrato de dois anos com a Mercedes-AMG Petronas Motorsport, o que o torna o maior nome da escuderia pelo menos até a temporada de 2020 da Fórmula 1. O acordo amplia uma parceria que já resultou em três campeonatos mundiais (2014, 2015 e 2017) e 44 vitórias, desde 2013.

LEIA MAIS: 10 atletas mais bem pagos do mundo em 2018

O novo contrato deve pagar a Hamilton um salário base na faixa de US$ 30 milhões por ano, com bônus que pode aumentar sua remuneração anual para até US$ 50 milhões. O piloto ficou em 12º lugar no mês passado, no ranking FORBES dos atletas mais bem pagos do mundo, com ganhos de US$ 51 milhões, que incluem US$ 42 milhões da Mercedes e US$ 9 milhões fora da pista com patrocínios e aparições em eventos.

Hamilton chamou a extensão do contrato de mera “formalidade”. “Estamos em sintonia dentro como fora da pista, e estou ansioso para ganhar mais títulos no futuro”, disse o piloto, no comunicado que anunciou o novo acordo. “Estou muito confiante de que a Mercedes é o lugar certo para estar nos próximos anos.”

“O que eu mais gosto de trabalhar com ele é conhecer o homem dentro do capacete de corrida: sua incansável busca por aperfeiçoamento, sua inteligência emocional como um membro da equipe e sua lealdade para com aqueles que o rodeiam”, diz o chefe da Mercedes, Toto Wolff.

Hamilton está em segundo lugar na atual classificação da F1, oito pontos atrás de Sebastian Vettel, da Ferrari. O piloto é considerado o melhor de sua geração e está próximo de alcançar Michael Schumacher entre os maiores de todos os tempos. Hamilton tem um total de quatro campeonatos mundiais (o terceiro piloto com mais títulos) e 65 vitórias (o segundo piloto com mais títulos), desde que iniciou sua carreira na McLaren, em 2007.

VEJA TAMBÉM: 12 atletas mais bem pagos com menos de 25 anos

Mesmo que pouco conhecido nos EUA, devido ao baixo interesse por F1 no país, Hamilton é um superstar global e o piloto mais comercial do esporte, com acordos pessoais com Mercedes-Benz, Tommy Hilfiger, Monster Energy, Puma, IWC, Sony, Bombardier, Bell Helmets e MV Agusta Motorcycles.

O contrato com a Tommy Hilfiger, assinado neste ano, fez de Hamilton um embaixador da marca, com planos para que promova a coleção da grife, a linha Tommy Hilfiger Tailored e sua linha de moda masculina, roupas íntimas e moda praia. No ano passado, a Monster lançou uma bebida energética com a assinatura de Hamilton, 44, em homenagem ao seu número nas pistas.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).