Morgan Stanley tem alta de 43% no lucro do 2º tri

iStock
Por ação, o lucro do segundo trimestre foi equivalente a US$ 1,30 ante US$ 0,87 no mesmo período do ano passado

O Morgan Stanley divulgou hoje (18) alta de 43% no lucro líquido do segundo trimestre, apoiado em aumento na receita com corretagem e com atividade de banco de investimento.

LEIA MAIS: Morgan Stanley lucra mais do que o esperado no 2º tri

O lucro líquido atribuível aos acionistas subiu para US$ 2,27 bilhões no trimestre encerrado em 30 de junho, ante US$ 1,59 bilhão apurado em igual intervalo de 2017.

Por ação, o lucro do segundo trimestre foi equivalente a US$ 1,30 ante US$ 0,87 no mesmo período do ano passado.

Analistas, em média, esperavam lucro por ação do Morgan Stanley de US$ 1,11, segundo dados da Thomson Reuters I/B/E/S.

O rival Goldman Sachs publicou ontem (17) aumento acima do esperado no lucro do segundo trimestre, ajudado por força na atividade de banco de investimento e negociação de bônus.

Em teleconferência com analistas sobre os resultados, o presidente do Morgan Stanley, James Gorman, criticou os testes anuais de estresse realizados pelo Federal Reserve nas maiores instituições financeiras que operam nos Estados Unidos.

“Dez anos depois [da crise financeira de 2007 a 2009], chegou o momento de termos uma visão mais nova”, afirmou. “Não queremos ficar perseguindo a última crise, estamos tentando saber como será a próxima.”

Autoridades do Federal Reserve com as quais Gorman se reuniu mostraram simpatia com seu argumento de que as regras sobre os níveis mínimos de capital nos bancos deveriam ser reavalidas, acrescentou o executivo.

O Fed afirmou no mês passado que não vai permitir que o Morgan Stanley aumente retornos aos acionistas depois que o nível de recursos da instituição caiu ao mínimo permitido no teste anual de estresse.

Os testes de estresse se tornaram “cada vez mais exigentes” e agora estão mais duros do que a situação vivida pelos bancos durante a crise financeira internacional, disse Gorman.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).