Qual será o legado de Kylie Jenner?

Getty Images
Apesar do volume de dinheiro ganho, ela será apenas um criança-estrela de reality show que alavancou sua fama em um esquema de enriquecimento rápido ao vender produtos de beleza para as massas?

Quando a FORBES publicou um perfil de Kylie Jenner, alegando que ela pode se tornar “a mais jovem bilionária de todos os tempos”, a internet a atacou por ser uma Kardashian e, por isso, ter uma “vantagem incrível”. A história me fez então pensar: qual será o legado de Kylie Jenner?

LEIA MAIS: 60 mulheres self-made mais ricas da América

A jovem completará 21 anos em 2018 e já acumulou uma fortuna estimada pela Forbes em US$ 900 milhões, incluindo a empresa de cosméticos Kylie Cosmetics, avaliada em US$ 800 milhões. No entanto, apesar de seu sucesso, Kylie é motivo de muita ridicularização. A integrante mais jovem do clã Kardashian cresceu diante dos olhos do público. Ela tinha apenas 10 anos quando o programa “Keeping Up With The Kardashians” – o reality show que realmente trouxe fama global à família – foi ao ar pela primeira vez.

Os Kardashians sempre foram uma família criticada por ser “famosa por ser famosa”, uma frase que sugere que uma pessoa alcançou fama sem ter nenhuma habilidade ou talento em particular, ou sem ter pessoalmente realizado algo relevante. Será que esse estigma acompanhará para sempre Kylie Jenner? Apesar do volume de dinheiro ganho, ela será apenas um criança-estrela de reality show que alavancou sua fama em um esquema de enriquecimento rápido ao vender produtos de beleza para as massas?

A resposta, claro, é que tudo depende de Kylie e das escolhas que ela fizer na construção de seu legado. O problema é que a maioria das celebridades como ela não tem um plano de legado. Elas não têm projetos ou a arquitetura necessária para capacitá-las a serem intencionais e propositais na construção do futuro que desejam. Em vez disso, o foco é puramente ganhar dinheiro – muito dinheiro. Por quê? Porque o negócio do entretenimento é apenas isso – um negócio. Está lá para fechar transações e ganhar dinheiro. Não há vergonha nisso – advogados, agentes e gerentes de negócios, entre outros, de Kylie estão fazendo um ótimo trabalho porque estão gerando muito dinheiro para ela.

No entanto, as pessoas da área de entretenimento não estão no negócio de planejamento de legado. Não é como elas pensam, não é como eles são treinadas e, certamente, não é como elas são pagas. Simplificando: não é o trabalho delas, então não podemos culpá-las por isso. Converse com qualquer profissional de entretenimento sobre “legado” e eles quase que imediatamente começarão a usar a palavra “marca”. E, embora sejam duas coisas totalmente diferentes, é assim que o setor enxerga os talentos – como uma mercadoria ou marca. Não que haja algo de errado com isso (para citar Seinfeld). Por favor, entenda-me, não há absolutamente nada de errado em ganhar muito dinheiro – não dou a mínima para alguém que faça um dinheirinho honesto. No entanto, dinheiro sem direção ou aplicação é sem valor e, mais importante, potencialmente perigoso.

VEJA TAMBÉM: Jay-Z e Beyoncé já somam fortuna de US$ 1,225 bilhão

A principal diferença entre uma marca e um legado é destacada pela citação de Sarah Jindal, da empresa de inteligência de mercado Mintel, no perfil da Forbes de Kylie Jenner. Referindo-se à Kylie Cosmetics (empresa de cosméticos da Kylie) e à KKW Beauty (empresa de cosméticos da irmã Kim), ela diz: “Elas não querem ser marcas sustentáveis… Em alguns anos, não me surpreenderia se ela estivesse fazendo alguma outra coisa. Quando você está alavancando seu nome, você pode transformá-lo em qualquer coisa que você queira vender”. Ela imediatamente segue a citação em seu parágrafo final com uma pergunta: “Quando você pode fazer dinheiro tão rápido, quem precisa de uma grande saída?”. Isso é exatamente verdade para marcas, mas não para legados. Ao contrário de uma marca, seu legado é, por definição, mantido pelo menos durante toda a sua vida (se não mais).

Enquanto o seu legado certamente pode evoluir com o tempo, não há como “ir para outra coisa”. Você só tem uma vida, um legado. Ao contrário de qualquer marca que possa ser parte do seu legado, não há absolutamente nenhuma saída no que diz respeito ao legado propriamente dito. Você simplesmente não pode escapar de quem você é. Dito isto, você pode certamente ser estratégico na criação de sua vida e se tornar a pessoa que você quer ser, o que, por sua vez, será o legado que você deixa. Esse é o verdadeiro legado de planejamento – a criação de um plano, a implementação de uma visão, a realização de uma vida vivida intencionalmente com propósito e direção.

Estou intrigado com o legado de Kylie Jenner porque vejo muitas oportunidades e potencialidades. Antes dos 21 anos, ela alcançou fama global e completa liberdade financeira para fazer o que quiser. Eu, por exemplo, mal posso esperar para ver o que ela vai escolher fazer com essa liberdade. Ela surgirá como uma magnata dos negócios séria supervisionando um vasto império de mídia e beleza? Ela se tornará um símbolo do empoderamento das mulheres e do empreendedorismo? Ela será uma atriz e personalidade da mídia? Ela irá se retirar para uma vida familiar tranquila fora dos olhares do público? Será que ela vai superar o estigma de ser “famosa por ser famosa”?

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).