Musk explica raciocínio sobre fechamento de capital

Musk explica raciocínio sobre fechamento de capital - Foto reprodução FORBES
O empresário acumula fortuna de cerca de US$ 21,3 bilhões, segundo o ranking de bilionários em tempo real da FORBES.

O CEO da Tesla, Elon Musk, tuitou ontem (8) que pode tornar a empresa privada a um preço de US$ 420 por ação, ou um valor total de US$ 71,3 bilhões. A notícia imediatamente fez as ações da Tesla subirem 7% até às 13h15 (horário da costa leste norte-americana) – valorizando a empresa em pouco mais de US$ 60 bilhões. Musk disse que já garantiu financiamento para a transação, apesar de não fornecer detalhes. Algumas pessoas de fora chegaram a questionar se ele de fato tinha os recursos necessários e até se a postagem não poderia ser uma brincadeira, afinal, não seria a primeira vez.

VEJA TAMBÉM: Quem vai chegar primeiro: a sociedade ou Elon Musk?

Na sequência, no entanto, o bilionário explicou seu raciocínio para um blog que, em seguida, foi publicado no site da Tesla. “Como uma empresa pública, estamos sujeitos a grandes oscilações no preço de nossas ações, o que pode ser uma grande distração para os que trabalham na companhia e para todos os nossos acionistas”. O CEO da Tesla também lamentou a pressão financeira de curto prazo causada pelo ciclo de lucros trimestrais de uma empresa pública.

Ainda ontem, o “Financial Times” informou que o fundo soberano da Arábia Saudita acumulou discretamente uma participação de 3% a 5% na montadora de carros elétricos. Essas ações valem entre US$ 1,7 bilhão e US$ 2,9 bilhões, segundo o relatório.

Musk, aos 47 anos, acumula fortuna de cerca de US$ 21,3 bilhões, segundo o ranking de bilionários em tempo real da FORBES. Seu patrimônio líquido subiu US$ 1,2 bilhão somente ontem. Cerca de metade fortuna do CEO da Tesla é atribuída à fatia de 20% da companhia. Praticamente todo o restante vem de sua participação majoritária na empresa de foguetes SpaceX, que levantou dinheiro em abril com uma avaliação de US$ 25 bilhões.

Musk juntou-se à Tesla em 2004 como um investidor-chave e tornou-se o principal executivo em 2008, quando os negócios caminhavam em direção à falência durante a crise financeira global. A empresa abriu o capital em 2010 a um preço de US$ 17 por ação. Desde então, as ações subiram mais de 20 vezes.

E AINDA: Elon Musk diz que montadora Tesla será rentável nos próximos dois trimestres

Natural da África do Sul, Musk lutou contra short sellers – prática financeira que consiste na venda de um ativo ou derivativo que não se possui, esperando que seu preço caia para então comprá-lo de volta e lucrar na transação com a diferença – durante grande parte do tempo. Intencionalmente ou não, o tuíte do CEO serve como um golpe adicional para os investidores em posição de venda. É improvável que ele lamente esse impacto. Em abril de 2017, o empresário tuitou depois que as ações da companhia se valorizaram: “Tempo tempestuoso em Shortville”.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).