6 métricas do Google Analytics para impulsionar seu ROI

iStock
Ao dedicar sua atenção a essas principais métricas para o ROI, você pode tomar decisões baseadas em dados que atendam às suas metas específicas

Pense nas análises como se fossem suas novas melhores amigas, porque é exatamente isso que elas serão muito em breve. Dos canais de mídia social de sua empresa às páginas de seu website, centenas e milhares de dados estão sendo coletados a cada dia. Tudo isso pode ser usado para melhorar suas estratégias de marketing e o negócio como um todo.

LEIA MAIS: 25 principais ferramentas de mídias sociais para profissionais de marketing

Esses pontos de coleta de informações permitem maximizar as conversões e, ao mesmo tempo, reduzir os custos. Se você recolher esses dados e os aplicar corretamente, eles podem gerar enormes benefícios para seu resultado financeiro.

Mas muita gente pergunta como obter acesso a esses dados e o que fazer com eles depois. Nos dias de hoje, temos a vantagem de usar as métricas do Google Analytics para aumentar o retorno sobre o investimento (ROI).

No início, o Google Analytics pode parecer uma ferramenta complicada, especialmente se você estiver analisando todas as métricas de uma só vez. No entanto, ao dedicar sua atenção a essas principais métricas para o ROI, você pode tomar decisões baseadas em dados que atendam às suas metas específicas.

Veja, na galeria de fotos abaixo, 6 métricas do Google Analytics para impulsionar seu ROI:

  • 1. Análise de custo

    Todas as métricas da categoria “aquisição” do Google Analytics são excelentes dados para serem acompanhados, mas preste atenção especial a sua análise de custos. Essa métrica permite que você determine o custo por clique, assim como o retorno sobre o investimento em publicidade (ROAS) em vários tipos de campanhas de marketing, como anúncios de mídias sociais, iniciativas com afiliados, ações de e-mail, anúncios do Bing e gráficos, entre outros.

    Para que essa métrica funcione, você precisa importar dados de custo para o Google Analytics. Depois de fazer isso, as informações são reunidos em um relatório, que pode ser filtrado para encontrar dados específicos relacionados a determinadas campanhas de marketing ou modelos de atribuição (regra ou conjunto de regras que determina como o crédito de vendas e conversões é atribuído a pontos de contato em caminhos de conversão).

    Fazer ajustes em campanhas com esses dados é vital. Para analisar esses pontos, você precisa verificar se foram registradas impressões e cliques suficientes. Caso contrário, seus dados não serão ricos o bastante para tomar uma decisão embasada.

  • 2. Custo por aquisição

    Apesar do título, essa métrica do Google Analytics pode ser encontrada na guia “conversas”. Ela permite que você determine quanto custa obter uma ação específica. Você pode determinar o custo por aquisição (CPA) para diferentes atribuições, como cliques não diretos, cliques orientados por dados, cliques do Google AdWords e até modelos de atribuição personalizados de sua escolha.

    Uma coisa para ter cuidado é que a mudança no CPA pode vir de fontes externas ou internas. Um exemplo de um influenciador de CPA externo seria se três empresas semelhantes à sua começassem a anunciar. Isso aumentaria a concorrência por espaço publicitário, o que, por sua vez, aumentaria seu CPA, já que você gastaria mais por cada clique.

  • 3. Jornada do usuário

    Determinar o caminho que seus clientes fazem para realizar uma compra pode não parecer uma métrica vital para seu ROI, mas não se engane. A jornada do usuário pode ajudá-lo a entender o que impulsiona as vendas e, mais importante, quando comparada a rotas menos bem-sucedidas, é possível ver o que está afastando as vendas em potencial.

    A utilização desses dados possibilita priorizar produtos ou serviços com bom desempenho em canais selecionados e reduzir o desperdício de gastos com publicidade, aumentando o ROI.

  • 4. Afinidade

    A métrica de afinidade do Google Analytics ajudará você a entender melhor seus clientes, para que possa adaptar suas campanhas de marketing às necessidades deles. Ao analisar os dados desta seção, você pode determinar o que seus clientes gostam e não gostam, quais são seus comportamentos de navegação e de compra e muito mais. Como resultado, torna-se possível criar anúncios melhores e mais propensos a atrair seu público-alvo.

    A métrica é dividida em várias categorias para ajudar você a identificar onde está a desconexão entre seu anúncio e o consumidor final. Quanto mais refinado o anúncio for e quanto maior a afinidade, maior a chance de conversão desse usuário.

  • 5. Comportamentos

    Semelhante à afinidade, a seção de comportamentos do Google Analytics é repleta de informações valiosas que podem dizer exatamente quem são seus clientes. Ao conhecer os comportamentos, a demografia, os estilos de vida, os hábitos de consumo, as ofertas – entre outros dados – de seus clientes, é possível personalizar todas as campanhas de marketing para corresponder precisamente aos interesses tanto de novos, quanto de antigos consumidores.

    Uma métrica importante é a idade, já que ela pode ditar os horários de exibição. Se, por exemplo, seu produto for comprado principalmente por jovens de 12 a 16 anos, a exibição deveria ser otimizada para depois do horário escolar e em canais com maior probabilidade de atingir um público mais jovem (por exemplo, YouTube).

  • 6. Fonte de tráfego

    Sua origem de tráfego pode parecer uma métrica trivial em comparação a todas as opções disponíveis no Google Analytics, mas também pode ser a chave para otimizar o engajamento com seu público-alvo. Ao compreender de onde seus clientes estão vindo, você pode adaptar seus esforços às fontes específicas com maior probabilidade de resultados.

    Em outras palavras, se 95% do seu tráfego for proveniente do Facebook e apenas 5% dos mecanismos de pesquisa, convém dedicar mais tempo ao Facebook, já que essa é uma fonte de tráfego altamente benéfica. Você também pode querer ajustar sua estratégia de marketing de conteúdo em um esforço para aumentar sua classificação de SEO e aumentar os 5% dos resultados dos sites de pesquisa.

1. Análise de custo

Todas as métricas da categoria “aquisição” do Google Analytics são excelentes dados para serem acompanhados, mas preste atenção especial a sua análise de custos. Essa métrica permite que você determine o custo por clique, assim como o retorno sobre o investimento em publicidade (ROAS) em vários tipos de campanhas de marketing, como anúncios de mídias sociais, iniciativas com afiliados, ações de e-mail, anúncios do Bing e gráficos, entre outros.

Para que essa métrica funcione, você precisa importar dados de custo para o Google Analytics. Depois de fazer isso, as informações são reunidos em um relatório, que pode ser filtrado para encontrar dados específicos relacionados a determinadas campanhas de marketing ou modelos de atribuição (regra ou conjunto de regras que determina como o crédito de vendas e conversões é atribuído a pontos de contato em caminhos de conversão).

Fazer ajustes em campanhas com esses dados é vital. Para analisar esses pontos, você precisa verificar se foram registradas impressões e cliques suficientes. Caso contrário, seus dados não serão ricos o bastante para tomar uma decisão embasada.

 

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).