Michael Rubin compra cobertura de US$ 43,5 mi em NY

Getty Images
Rubin, que é proprietário parcial do time de basquete da Filadélfia 76ers, do time de hóquei no gelo New Jersey Devils e CEO da Kynetic – empresa que supervisiona varejistas como Fanatics e Rue La La -, está comprando muito mais do que excelentes vistas do rio Hudson.

O bilionário Michael Rubin, atualmente a 792a pessoa mais rica do mundo segundo o ranking em tempo real da FORBES, com patrimônio de US$ 2,9 bilhões, finalmente fechou a compra da enorme cobertura da 160 Leroy Street, em West Village, Manhattan. Ele iniciou o contrato pela unidade de 720 metros quadrados em outubro de 2017, mas a venda não foi fechada até agosto deste ano. Se Rubin tivesse pago o valor inicial de US$ 51 milhões, o negócio teria sido a venda residencial da região central de Nova York mais cara de todos os tempos. O preço final, no entanto, foi de US$ 43,5 milhões – o que, segundo alguns agentes imobiliários da cidade, ainda lhe dá o título de venda mais cara abaixo da 14th Street.

LEIA MAIS: Conheça a propriedade mais cara da história de Los Angel

Rubin, que é proprietário parcial do time de basquete da Filadélfia 76ers, do time de hóquei no gelo New Jersey Devils e CEO da Kynetic – empresa que supervisiona varejistas como Fanatics e Rue La La -, está comprando muito mais do que excelentes vistas do rio Hudson. A unidade de cinco quartos e cinco banheiros é equipada com quatro lareiras a lenha, um terraço de 460 metros quadrados com piscina privada de 8,2 metros e cozinha ao ar livre, uma parede de 51 metros lineares para exibição de obras de arte, sala de jantar, sala de projeção privada e biblioteca, além da suíte master, que ocupa uma ala inteira da propriedade.

Reprodução/FORBES

O prédio, idealizado pelo antigo desenvolvedor de Nova York Ian Schrager, foi projetado pelos arquitetos Herzog & de Meuron, que inspiraram-se em um arquiteto que nunca conheceu uma curva da qual não gostasse – o brasileiro Oscar Niemeyer. Quase todas as paredes externas seguem a forma de onda (talvez como um aceno às ondulações do Hudson, não muito longe dali) e, se os materiais promocionais estiverem certos, são “curvilíneas, sensuais, fluidas, sedutoras e sensuais”.

Reprodução/FORBES

O Penthouse North, como é chamada a cobertura, quase não se concretiza em sua forma atual. Os planos iniciais exigiam que todo o último andar fosse uma grande unidade, medindo cerca de 3.657 metros quadrados (e valor entre US$ 75 milhões e US$ 80 milhões), mas os designers decidiram criar duas unidades. A menor, Penthouse South, já foi vendida.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).