Saída de cofundadores do Instagram atinge ações do Facebook

GettyImages
GettyImages

As ações do Facebook caíram mais de 2% no pré-mercado do pregão hoje (25), depois que os dois fundadores do aplicativo de compartilhamento de fotos Instagram deixaram a gigante das redes sociais.

VEJA TAMBÉM: Magnata da hotelaria abre museu pensado para posts no Instagram

A Bloomberg News noticiou na noite de ontem (24) que a saída de Kevin Systrom e Mike Krieger foi o resultado de tensões com o presidente-executivo, Mark Zuckerberg, sobre a direção do gerador de receita do Facebook que mais cresce.

A súbita perda dos executivos se segue às saídas dos cofundadores do WhatsApp, Jan Koum e Brian Acton, e a uma reorganização dos executivos do Facebook no começo deste ano.

Systrom escreveu em um post ontem que ele e Krieger planejam tirar uma folga e explorar “a curiosidade e a criatividade novamente”.

Zuckerberg descreveu os dois como “líderes de produtos extraordinários” e disse que deseja tudo de melhor e que está ansioso para ver o que eles construirão a partir de agora.

E AINDA: Facebook vai investir US$ 1 bi em data center na Ásia

Systrom e Krieger estariam frustrados com o aumento do envolvimento diário de Zuckerberg, que se tornou mais dependente do Instagram no planejamento do futuro do Facebook.

As ações do Facebook acumulam atualmente queda de cerca de 6% em 2018, após seis anos de ganhos estelares.

Preocupações com as consequências do escândalo de privacidade da Cambridge Analytica e sinais de que um aumento nos custos prejudicaria as margens do Facebook por anos alimentaram a maior queda acionária de um dia na história do mercado de ações dos EUA, em julho último.

A queda das ações antes da abertura dos negócios hoje representa a perda de US$ 11 bilhões em ações do Facebook se a situação se mentiver assim após a abertura da Nasdaq.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).