6 sinais para escapar do freelancer errado

Quando trabalhava no mundo corporativo como profissional de marketing de marca, eu estava em um ambiente rico em recursos, com acesso a polpudos orçamentos e especialistas. Se precisássemos criar uma campanha, logo aparecia uma lista de agências ansiosas para trabalhar com uma grande empresa. Na contratação de pessoas, havia processos claros para avaliar a abundância de candidatos.

VEJA TAMBÉM: 5 dicas para contratar ótimos freelancers

Então, ao começar meu próprio empreendimento, alguns anos atrás, experimentei um choque ao tentar contratar as pessoas certas para me ajudar na construção do negócio. Já vai longe o tempo em que eu poderia recorrer ao departamento de RH ou a uma agência de recrutamento externa confiável ​​para encontrar e testar candidatos. Eu não tinha orçamento, recursos ou, para ser sincero, a força de uma marca corporativa para atrair talentos patentes.

Como proprietário de uma empresa pequena e com caixa limitado, eu me voltei para plataformas online como a Upwork, 99Designs e PeoplePerHour em busca de freelancers que me ajudassem a lidar com aspectos variados do negócio. Assim, encontrei um advogado qualificado para registrar a marca comercial da empresa, um músico para compor o tema do meu podcast e um designer que criasse as diretrizes da marca para uma equipe de desenvolvimento da web então criar o site da companhia.

De fato, você pode encontrar muitos talentos na internet para fazer seu negócio crescer. Trabalhei com agências no passado e hoje com freelancers, e estou convencido de que contar com profissionais autônomos é uma maneira incrivelmente conveniente e econômica de expandir os negócios. No entanto, é preciso investir tempo e energia para encontrar a pessoa certa para uma parceria. Bons profissionais podem compor uma equipe virtual sólida para expandir o empreendimento de uma maneira que você não conseguiria sozinho. Caso contrário, você logo verá o impacto negativo que um profissional ruim pode causar à sua empresa.

Tive a sorte de encontrar muitos bons profissionais, mas, infelizmente, também tive o meu quinhão dos picaretas. Contratei um animador superestimou suas habilidades. Trabalhei com um consultor de produção de podcasts que dizia ser especialista técnico, mas na verdade pouco sabia. Além dos vários desenvolvedores que prometeram demais, mas não entregaram. Todos esses erros me custaram caro, tornaram minha vida mais difícil e foram muito frustrantes.

Depois de aprender do modo mais difícil, aponto seis sinais vermelhos que indicam uma contratação desastrosa:

  • 1. A pessoa pesa já no processo seletivo

    Sempre que anuncio uma vaga em uma plataforma, não é incomum aparecer um grande número de freelancers interessados e ansiosos para ganhar o trabalho. Nos resumos do projeto, eu explico o processo de contratação e o tempo que espero levar para avaliar propostas antes de tomar a minha decisão. Admito que acompanhem um pouco essa fase de definição do escopo do projeto, mas, se alguém questiona demais a sua proposta, pode sinalizar impaciência e desconsideração por seu modo de trabalhar. Ter entusiasmo é bom, mas cuidado com um freelancer que parece ansioso demais para trabalhar com você. Pode significar desespero por trabalho, o que pode ser mau sinal.

  • 2. Aumenta os custos na contratação
    Recentemente, eu procurava um time de web para criar funcionalidades para o meu site. Uma equipe em particular parecia muito promissora e seus valores, razoáveis. No entanto, quando disse que queria contratá-los, eles repentinamente aumentaram seus preços, alegando “uma revisão adicional” do meu site. Uma explicação vaga e confusa. Os custos de fato podem mudar depois do profissional se aprofundar nos detalhes do projeto. Se o seu resumo e sua definição de escopo forem claros, porém, não deverá haver uma grande variação desacompanhada de justificativa convincente. Recomendo trabalhar com freelancers que forneçam valores precisos, o que só é possível quando se investe o tempo necessário para entender o projeto.

  • 3. Ignora feedback
    Certa vez, procurei um designer para criar a capa de um podcast sobre Relançamento de Carreira. Logo percebi que cada profissional tem uma visão específica de como executar um projeto, e que alguns são mais abertos a receber feedback do que outros. Quando escolhemos um freelancer, olhamos para o seu conhecimento e a sua capacidade de executar tarefas que não podemos fazer sozinhos. Ainda que tenham domínio sobre o que fazem, devem ouvir o feedback do cliente que os contratou. Se o freelancer é teimoso e não quer ouvir suas ponderações sobre o trabalho dele, pode se tratar de alguém rígido e inflexível. Os melhores freelancers com quem trabalhei vieram com experiência e visão clara do trabalho, mas também abertos a comentários, o que pode levar a um melhor resultado final.

  • 4. Se atrasa para reuniões
    Ao avaliar e selecionar freelancers, insisto em fazer um telefonema logo no início para explicar o projeto em detalhes, saber mais das suas habilidades e ter uma noção do estilo de trabalho dos candidatos. Quando comecei meu negócio, queria contratar um advogado que me ajudasse a reivindicar e proteger uma marca registrada em nome da minha empresa, então postei um anúncio no Upwork, onde tive sorte em encontrar outros bons freelancers. Chamei um advogado que se atrasava sempre para os encontros, mas, como tinha um histórico de casos bem-sucedidos, preços competitivos e experiência em um escritório de advocacia respeitável, acabei por ignorar seus atrasos e o contratei. Grande erro. Assim que recebeu o trabalho, porém, ele se tornou muito passivo, e eu precisei acompanhar o processo para garantir que os prazos de arquivamento seriam cumpridos, o que se tornou uma grande dor de cabeça para mim. Lembrem-se de que freelancers precisam se vender, então, pode haver diferença entre o que fazem e o que prometem. Mas atraso pode resultar em prazos perdidos e cronogramas alongados.

  • 5. Não tem portfólio
    Quando lancei meu podcast, procurei um animador para fazer um trailer com clipes dos primeiros episódios. Fiz o anúncio no PeoplePerHour e recebi mais de 30 propostas. Gostei muito da visão geral de uma equipe e do seu portfólio de trabalhos, com um estilo ressonante e de alta qualidade. Eles também pareciam animados para entrar no meu projeto. No entanto, quando pedi exemplos de animações com um estilo de trabalho semelhante ao que eu queria, não conseguiram entregar. Decidi então não trabalhar com eles, mesmo que oferecessem um bom desconto — em troca, eles queriam construir um portfólio de trabalho. Não estou dizendo que você nunca deva trabalhar com talentos em ascensão. Todo freelancer tem seu primeiro cliente. Eu cheguei a contratar alguns excelentes, que eram novos em cena. No entanto, se está à procura de alguém para um projeto importante, recomendo optar por experiência. Ou você pode acabar na infeliz situação de ser uma cobaia.

  • 6. Inspira insegurança
    Eu costumava ser prático quando o assunto era contratação de freelancers. Observava os anos de experiência, as credenciais, o portfólio e os depoimentos positivos de clientes para orientar minhas decisões. Profissionais que parecem bons no papel tendem mesmo a oferecer ótimos resultados. No entanto, também contratei muitos que pareciam bons na teoria, mas se revelaram um pesadelo. Ao longo de anos de contratações, comecei a perceber que a lógica e os fatos nem sempre são os melhores conselheiros. Trabalhei com pessoas que não atendiam todas as credenciais técnicas, mas, nestes casos, foquei em minha visão e no modo como eu desejava trabalhar. Também afastei candidatos que tinham as habilidades que eu procurava, mas me causavam um sentimento ruim. Aprendi a confiar nesses instintos porque, em todos os episódios, estavam corretos.

1. A pessoa pesa já no processo seletivo

Sempre que anuncio uma vaga em uma plataforma, não é incomum aparecer um grande número de freelancers interessados e ansiosos para ganhar o trabalho. Nos resumos do projeto, eu explico o processo de contratação e o tempo que espero levar para avaliar propostas antes de tomar a minha decisão. Admito que acompanhem um pouco essa fase de definição do escopo do projeto, mas, se alguém questiona demais a sua proposta, pode sinalizar impaciência e desconsideração por seu modo de trabalhar. Ter entusiasmo é bom, mas cuidado com um freelancer que parece ansioso demais para trabalhar com você. Pode significar desespero por trabalho, o que pode ser mau sinal.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).