Conheça o brasileiro que enriqueceu com colchões premium

Divulgação
Ricardo Eloi, fundador da Sono Quality

Três cheques de R$ 400, emprestados de uma amiga, foram o embrião para que o empreendedor Ricardo Eloi, 37, fundasse a Sono Quality, empresa especializada em colchões terapêuticos, há dez anos. Com os cheques, Eloi pagou o merchandising ao vivo em uma emissora de rádio popular do ABC paulista, que foi ao ar às 5h45 da manhã. A primeira propaganda rendeu 28 ligações, que se desdobraram em 20 visitas e 12 vendas. Com esse retorno, o empreendedor pagou a dívida, investiu em mais anúncios em rádios populares e logo chegou à TV. Com garotos-propaganda como o cantor Sergio Reis e o ator Maurício Mattar, hoje a Sono Quality investe R$ 1,6 milhão por mês em anúncios em programas populares de TV. A empresa emprega 500 trabalhadores diretos e indiretos em duas fábricas, em São Bernardo do Campo e Taubaté (SP). Faturou R$ 70 milhões em 2017. Nada mau para quem teve uma trajetória nada confortável: abandonado pela mãe na infância e com um pai alcoólatra, Eloi morou em um orfanato até ser resgatado por uma tia. Ainda menino, vendia hortaliças de porta em porta; depois trabalhou em um abatedouro de frangos, foi motorista de uma distribuidora de medicamentos e novamente vendedor – função que executa com maestria. Antes de fundar a Sono Quality, foi representante de vendas de outra empresa de colchões, e ali viu o potencial do negócio em um país onde as pessoas trocam de colchão em média a cada dez anos.

LEIA MAIS: Descubra quantas horas de sono são necessárias para manter a produtividade

Os colchões de sua marca competem em um nicho de produtos premium, fabricados sob medida – um modelo custa mais de R$ 4 mil. O apelo terapêutico dos produtos inclui opções com massagem vibratória, terapia magnética e cromoterapia. A estratégia acerta em cheio o público-alvo, composto em sua maioria por pessoas de mais idade e que não estão com a saúde da coluna vertebral em dia. “Arrisco dizer que hoje mais de 100 milhões de brasileiros dormem em colchões inadequados, o que afeta diretamente sua qualidade de vida”, diz Eloi.

O poder da propaganda na mídia de massa alavancou as vendas da empresa desde seu início, mas a Sono Quality já diversifica suas estratégias de marketing, de olho nas redes sociais (tem canais no Youtube, Instagram e Facebook) e se prepara para abrir a primeira loja-conceito em setembro, no bairro paulistano de Moema. A ideia é se aproximar de um público de maior poder aquisitivo e que não se sente à vontade para receber um representante de vendas da empresa em casa.

A história de vida conturbada deu-lhe disciplina e resiliência para superar obstáculos e buscar sempre mais. Hoje sua produção é de 15 mil colchões por ano – o mercado brasileiro é estimado em 35 milhões de peças anuais. Para aumentar sua fatia, Eloi não dorme no ponto.

Reportagem publicada na edição 60, lançada em julho de 2018

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).