3 insights das mídias sociais para o seu negócio

A internet impactou a maneira como a maioria das indústrias evoluiu, se não todas. Acompanhar as tendências e a constante mudança nas mídias sociais é um trabalho em si. Desse trabalho, resulta o modo como as empresas devem abordar e se envolver com o cliente para impulsionar as vendas e aprimorar os negócios. No mercado da educação, por exemplo, a internet revolucionou a interação entre as pessoas e a forma de aprendizado.

VEJA TAMBÉM: 25 principais ferramentas de mídias sociais para profissionais de marketing

Com base em experiências pessoais de trabalho com influenciadores digitais, aqui vão três dicas de mídias sociais para empreendedores de qualquer setor.

  • 1. Saiba como seu público-alvo usa as redes

    Jamais crie raízes nas mídias sociais. Um dia, o Snapchat é o aplicativo do momento, no outro é o Instagram, e o ciclo não tem fim. A redes conquistaram credibilidade nos últimos anos como uma fonte confiável de dados, mesmo de notícias, mas também como plataforma onde os consumidores podem se envolver com as marcas e trocar informações.

    O público-alvo da minha empresa é feito de estudantes, e descobrimos que os alunos, que são nativos digitais, usam as redes de um modo diferente das gerações que não cresceram na era da internet. Isso explica por que os vídeos do tipo “estude comigo” se tornaram uma sensação entre os jovens. Decidimos trabalhar em parceria com influenciadores do YouTube para saber como os alunos usam a plataforma para estudar. Em seguida, aplicamos as informações ao nosso recurso digital para ajudar os usuários a obter maior êxito acadêmico.

    Entender como o público-alvo se utiliza e se beneficia das redes é fundamental. Isso se aplica a qualquer negócio. É importante não apenas construir sua marca na internet, mas usar os canais sociais para colher os frutos desse investimento. Para tanto, conecte-se com seus clientes. Crie pesquisas, envie e-mails ou telefone para entender como usam as redes e de que forma sua companhia pode causar uma impressão positiva sobre eles. Tenha uma compreensão mais profunda do comportamento de seu público e dos canais em que você deve se concentrar.

  • 2. Identifique por que certas plataformas funcionam

    Ao analisar o panorama das mídias sociais, uma das prioridades é entender e identificar por que certas plataformas funcionam. E entender se o seu público-alvo está inclinado a usar determinados canais. Ao falar com um de nossos parceiros do YouTube, descobrimos que essa comunidade de vídeos de “estudo em conjunto” estava em expansão. Há vários motivos pelos quais os aluno recorre ao YouTube na hora de estudar. Seja para ter um “amigo” ou apenas aprender com alguém diferente de um tutor. O público estava se envolvendo com essa plataforma de uma maneira nunca vista. A conexão com parceiros nos permitiu apreender o mundo do aprendizado online e desenvolver recursos para a nossa própria plataforma. Todo empreendedor pode aprender com este exemplo de buscar insights fora.

    Ao tentar estabelecer parceria com um influenciador, se prepare: você vai receber e-mails nada calorosos. Para se diferenciar, forneça ao parceiro que você deseja ter algo que possa lhe interessar. É uma via de mão dupla. Diga objetivamente por que deseja trabalhar com ele e como a parceria será benéfica para ambos. Deixe-o saber por que as metas se alinham e como dá para trabalhar junto para ter sucesso.

  • 3. Conheça e entenda as tendências

    Depois de fazer sua lição de casa e estabelecer parcerias concretas, é essencial entender a trajetória das tendências. No nosso caso, vimos que não apenas os alunos usavam as mídias sociais para se comunicar uns com os outros: as instituições acadêmicas também apostavam nas redes para isso. É importante pesquisar a concorrência para alcançar o mesmo público-alvo. Vários setores da área de educação usam plataformas como YouTube, Facebook e Google Plus para se conectar com os alunos. Os estudantes querem colaborar e ter alguém disponível para dar um apoio. Vimos uma busca forte pela comunicação em grupo, o que nos levou a configurar uma função de estudo conjunto em nossa própria plataforma.

    Reserve alguns minutos por semana para ler publicações do seu setor e de marketing de mídia social para entender como se dá o crescimento e mudança do cenário. Avalie suas estratégias por meio das lentes das tendências do setor e de sua clientela, a fim de determinar a próxima ação.

1. Saiba como seu público-alvo usa as redes

Jamais crie raízes nas mídias sociais. Um dia, o Snapchat é o aplicativo do momento, no outro é o Instagram, e o ciclo não tem fim. A redes conquistaram credibilidade nos últimos anos como uma fonte confiável de dados, mesmo de notícias, mas também como plataforma onde os consumidores podem se envolver com as marcas e trocar informações.

O público-alvo da minha empresa é feito de estudantes, e descobrimos que os alunos, que são nativos digitais, usam as redes de um modo diferente das gerações que não cresceram na era da internet. Isso explica por que os vídeos do tipo “estude comigo” se tornaram uma sensação entre os jovens. Decidimos trabalhar em parceria com influenciadores do YouTube para saber como os alunos usam a plataforma para estudar. Em seguida, aplicamos as informações ao nosso recurso digital para ajudar os usuários a obter maior êxito acadêmico.

Entender como o público-alvo se utiliza e se beneficia das redes é fundamental. Isso se aplica a qualquer negócio. É importante não apenas construir sua marca na internet, mas usar os canais sociais para colher os frutos desse investimento. Para tanto, conecte-se com seus clientes. Crie pesquisas, envie e-mails ou telefone para entender como usam as redes e de que forma sua companhia pode causar uma impressão positiva sobre eles. Tenha uma compreensão mais profunda do comportamento de seu público e dos canais em que você deve se concentrar.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).