A solução ambiental que deve render US$ 1 bilhão para a Adidas

Foto reprodução Forbes
Marca pretende vender cinco milhões de pares de tênis feitos com material retirado do oceano.

Cada vez mais empresas encontram seu propósito e inovam em maneiras de aliar os negócios a causas do bem. Neste sentido, uma das maiores histórias de sucesso é a da Adidas e sua colaboração com a Parley for the Oceans, que propõe resolver o problema dos resíduos plásticos no mar. Hoje, estima-se que até 2050 haverá mais matéria plástica do que peixes no oceano.

VEJA TAMBÉM: Disney anuncia que eliminará canudos de plástico até 2019

A história começou com uma edição limitada de sete mil pares de tênis, cada um contendo o equivalente a 11 garrafas plásticas recicladas. Esgotados instantaneamente, os calçados representaram uma gota de tecnologia e design feita com o auxílio de sneakerheads e fãs de design em todo o mundo. A parte superior do tênis foi feita com o material coletado na costa das Maldivas pela Parley Ocean Plastic, bem como com redes de pesca ilegais recuperadas por uma organização parceira, a Sea Shepherd.

A Adidas apoiou o lançamento com o projeto Run for the Oceans, que desafiou as pessoas em todo o mundo a contribuir financeiramente para a iniciativa, ao doar um dólar por cada quilômetro percorrido na série de maratonas promovidas pela Adidas e pela Parley, em várias cidades importantes em todo o mundo, como Los Angeles, Nova York, Paris, Berlim, Londres, Barcelona, ​​Milão e Xangai. A arrecadação chegou a US$ 1 milhão para os programas de educação da Parley.

A melhor parte é que, neste ano, a Adidas anunciou que pretende vender cinco milhões de pares de tênis feitos com material retirado do oceano, a um preço médio de varejo de cerca de US$ 220. Isso significa que a marca deve faturar mais de US$ 1 bilhão na tentativa de resolver um dos maiores problemas ambientais do mundo.

A Adidas também anunciou que pretende usar plástico oceânico reaproveitado em todos os seus produtos até 2024 (a marca produz 450 milhões de pares de sapatos anualmente).

E AINDA: Como o setor de turismo está eliminando o plástico

Em entrevista à FORBES, o membro do Conselho Executivo do Grupo Global de Marcas da Adidas, Eric Liedtke, mostra que tem sido um líder apaixonado pela iniciativa desde o início.

GettyImages
Eric Liedtk, membro do Conselho Executivo do Grupo Global Adidas, diz ter tomado consciência da questão do lixo marinho e do estado dos oceanos desde muito cedo.

FORBES: Como o programa começou e por que a Adidas decidiu seguir esse caminho?

Eric Liedtke: A Adidas se uniu à Parley para ajudar a disseminar a conscientização e reverter a poluição de plástico do oceano em roupas esportivas high-performance. Transformar um problema em uma solução. Já demos os primeiros passos para reduzir e, finalmente, eliminar o plástico virgem e descartável de nossos produtos. Ao fazer isso, mostramos que é possível e que as pessoas se importam, apesar de, no momento, ser preciso acelerar e dimensionar a produção. Como uma marca criadora, acreditamos que a necessidade impulsiona a inovação, e que a solução dos problemas mais difíceis só nos torna melhores e mais eficientes, ao mesmo tempo em que prejudicam menos o mundo.

F: Como o senhor vê a expansão e evolução da Parley?

EL: Nossos esforços não param com o produto. Queremos criar um movimento global para ajudar a salvar os oceanos da ameaça do lixo plástico. No coração da nossa marca está a crença de que, por meio do esporte, temos o poder de mudar vidas. Com o Run for the Oceans, a ideia é usar o poder da prática esportiva para inspirar ações. Trata-se de comunhão e participação. Além disso, criamos uma plataforma que dá aos atletas de todo o mundo a oportunidade de se envolverem com a causa ao ajudar a cumprir nossa promessa. A Adidas é há muito tempo líder em sustentabilidade, mas essa parceria nos permite explorar novas áreas e criar materiais e produtos inovadores para nossos consumidores. Convidamos todos a se juntarem a nós nesta jornada para limpar os mares.

F: Como esta iniciativa se aproxima de suas próprias paixões?

EL: A conservação dos oceanos é uma causa que está perto do meu coração e do de muitos funcionários da Adidas. Em parceria com a Parley for the Oceans, contribuímos para amenizar um grande problema ambiental. Nós cocriamos tecidos feitos de resíduos de plástico, que são integrados aos nossos produtos. É preciso abrir os olhos para ver que é possível mudar para melhor e que a curiosidade ajuda a buscar a solução. Como alguém que cresceu na água, envolvido com a prática do mergulho e do surfe, tomei consciência da questão do lixo marinho e do terrível estado dos nossos oceanos. Orgulho-me de enquanto marca tentarmos mudar algo sobre isso. Não apenas tentar sujar menos, mas trabalhar para melhorar as coisas. Estou convencido de que a mudança mais impactante acontece de dentro para fora. Tenho a sorte de fazer parte dessa transformação dentro da Adidas e poder usar minha voz e posição na empresa para inspirar nossa equipe, além de proteger o mundo. Iniciamos nossa parceria com a Parley for the Oceans com um tênis feito de plástico marinho em 2014 e soubemos imediatamente que era uma ideia de US$ 1 milhão. Neste ano, vamos fazer 5 milhões de pares com o Parley Ocean Plastic. Mas isso não é suficiente. Há sempre o próximo passo.

Peter Diamandis, fundador do X-Prize e da Singularity University, resume: “Os maiores problemas do mundo são as maiores oportunidades de negócios”. A Adidas foi pioneira não apenas em novas tecnologias, mas também em uma nova abordagem para resolver questões ambientais. O motor do capitalismo pode ajudar a criar mudanças escaláveis ​​e sustentáveis, e de uma maneira que não apenas o diretor de sustentabilidade, mas também os diretores financeiros do mundo dos negócios possam adotar e entender.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).