Como a IA mudará o marketing de conteúdo

GettyImages
Inteligência Artificial pode ajudar profissionais de marketing de conteúdo a entender a segmentação de públicos

De muitas maneiras, a inteligência artificial (IA) já influencia o marketing digital e de conteúdo. Mas a verdade é que ainda há muito mais por vir – outras mudanças e melhorias que essa tecnologia certamente trará para o setor.

VEJA TAMBÉM: Por que a Apple perdeu o trem da inteligência artificial, apesar da Siri

Veja, a seguir, como explorar algumas dessas mudanças e entender o que o futuro nos reserva, além de conhecer as maneiras pelas quais a inteligência artificial mudará o marketing de conteúdo.

O que exatamente é inteligência artificial?

Antes de discutir os efeitos da inteligência artificial – também conhecida como IA, inteligência de máquina e, em alguns casos, aprendizado de máquina – sobre o marketing de conteúdo, é importante primeiro entender do que se trata exatamente este recurso.

Então, o que é IA exatamente? O portal “Techopedia” define o termo como “uma área da ciência da computação que enfatiza a criação de máquinas inteligentes que funcionam e reagem como seres humanos”. Algumas das ferramentas presentes nos computadores projetados com inteligência artificial incluem: reconhecimento de fala, aprendizado, planejamento e resolução de problemas.

Entre os exemplos do uso da tecnologia estão os carros autônomos (automóveis que não precisam de seres humanos para funcionar) e os computadores aptos a jogar xadrez com pessoas reais, tomando decisões imediatas conforme a situação. Há, ainda, um simples exemplo diário de fácil assimilação: o conteúdo que a Netflix sugere que você assista é todo baseado em machine learning.

E AINDA: Por que clientes e profissionais de marketing precisam da inteligência artificial humana

Em outras palavras, a IA permite que as máquinas aprendam com os dados e usem esse conhecimento para executar tarefas semelhantes às humanas. E a tecnologia já tem começado a causar impacto no marketing, da curadoria de conteúdo aos chatbots. Mas de que forma exatamente isso se apresentará e afetará o marketing de conteúdo?

Mais conteúdo personalizado

Uma das principais funções da IA ​​é a capacidade de analisar grandes quantidades de dados e interpretá-los. Essa é uma característica incrível e algo que pode ter grandes efeitos no marketing em geral e de conteúdo.

Entre as vantagens está o fato de que ela ajuda os profissionais de marketing de conteúdo a entender exatamente a segmentação. Não de maneira assustadora, mas da maneira que muitos clientes desejam. Um estudo da Salesforce, por exemplo, descobriu que 76% dos consumidores esperam que as empresas entendam suas necessidades e expectativas.

Afinal, muitos dos produtos e serviços mais populares da atualidade oferecem experiências altamente personalizadas, como, é claro, a Amazon.

O conteúdo não é diferente de outras formas de marketing quando se trata da necessidade de personalização. Os consumidores querem uma experiência individual, que inclua apenas o conteúdo diretamente relevante para eles.

LEIA AQUI: Aimee Lapic: o poder do marketing “muito” personal
izado

Então, como a inteligência artificial pode ajudar a criar esse tipo de conteúdo?

Tudo passa pelos dados e pela segmentação: a IA pode absorver grandes quantidades de informação e classificá-la facilmente.

Quando se trata de audiência, a tecnologia pode auxiliar no entendimento de quem exatamente é o seu público, que plataformas ele usa com mais frequência, que outros conteúdos consomem, que tipo de material preferem e assim por diante.

Construa estratégias melhores com um assistente de marketing de inteligência artificial

Uma das formas de impacto da IA no marketing de conteúdo é com os assistentes inteligentes ​​- como a Lucy, da IBM Watson, ferramenta que os profissionais podem usar para fazer pesquisa, segmentação e planejamento. Ela é tão poderosa que consegue fazer mais em um minuto do que uma equipe inteira de marketing conseguiria fazer em meses.

Mas como funciona um assistente de marketing de IA como a Lucy?

SAIBA MAIS: Por que marketing de conteúdo e SEO devem andar juntos

Para começar, ela pode absorver e analisar literalmente todos os dados que sua empresa possui, que encomendou ou licenciou. Além disso, uma vez que absorve todos essas informações, ela lhe permite fazer qualquer pergunta, não importa quão complexa ela seja:

Quais regiões eu deveria segmentar primeiro?

Que mistura de conteúdo devo fazer para obter o máximo de resultados?

Quais são os meus concorrentes?

Quais são os principais traços de personalidade do meu público?

Essas são perguntas que as empresas precisam responder para montar uma estratégia que funcione. Mas encontrar essas respostas não é exatamente fácil quando não se tem uma ferramenta como a Lucy trabalhando para você. Reunir e interpretar esses enormes volumes de dados seria uma tarefa difícil, senão quase impossível, sem ajuda.

As possibilidades de assistentes de marketing como a Lucy não terminam aí. É possível criar segmentos claros e complexos de seu público-alvo para elaborar conteúdo altamente personalizado.

A partir daí, fica mais fácil planejar as estratégias de marketing de conteúdo e demais ações da área ao observar como diferentes iniciativas funcionam e quais resultados são esperados.

VEJA TAMBÉM: 25 principais ferramentas de mídias sociais para profissionais de marketing

Sistemas como a Lucy terão um enorme impacto no marketing de conteúdo à medida que se tornarem mais acessíveis e populares. Eles podem auxiliar as empresas a entender melhor o público-alvo e seus dados em geral. Além disso, ajudam os profissionais de marketing a criar estratégias eficazes e a entender quais tipos de resultados podem ser esperados.

A IA assumirá completamente os trabalhos de redação de conteúdo?

Quando se trata de tecnologias poderosas é normal ficar com um pouco de medo: será que elas vão roubar nossos empregos? Todo o conteúdo será escrito por máquinas em alguns anos?

Se a inteligência artificial puder analisar tantos dados e tomar decisões semelhantes ou melhores com base neles – já que uma máquina poderosa consegue ter muito mais conhecimento do que qualquer humano – não poderia também redigir o conteúdo, talvez tão bem ou melhor do que uma pessoa?

No mundo do jornalismo isso já aconteceu em 2015. Naquela época, a “Associated Press” publicou uma notícia curta: “Apple supera as previsões da Street IQ”. A peça poderia muito bem ter sido escrita por um ser humano real – mas se você a lesse até o final, perceberia que ela havia sido realmente “gerada” pela Automated Insights, empresa de tecnologia norte-americana especializada em software de geração de linguagem natural que transforma grandes volumes de dados em narrativas legíveis. Em outras palavras, redigida por um “jornalista robô”.

E AINDA: Toyota reduz gastos com marketing
A “Associated Press” não foi a única a experimentar o jornalismo robótico (ou jornalismo automatizado). Numerosas redações grandes usam o recurso, como o “Washington Post”, que publicou quase 850 artigos gerados por um jornalista robô ao longo de um ano.

Esse cenário pode parecer sombrio para muitos, mas não significa necessariamente que a IA está assumindo todo e qualquer trabalho de redação de conteúdo. Em vez disso, esse tipo de tecnologia pode ser usada para liberar seu tempo e fornecer todos os dados necessários para a criação de um conteúdo melhorado. Ela pode ser empregada para automatizar as pequenas tarefas – como a notícia da “Associated Press” sobre os lucros trimestrais da Apple -, enquanto os seres humanos concentram-se em escrever o conteúdo mais complexo e sensível.

A IA acabará com os empregos de marketing de conteúdo?

Claramente, a inteligência artificial rapidamente se tornará uma parte ainda maior do marketing digital. Ela já está assumindo vários aspectos das nossas vidas e até mesmo ameaça alguns empregos. Mas o quanto isso realmente afetará o marketing de conteúdo?

Embora ninguém possa prever o futuro, o presente nos diz que a tecnologia terá um impacto real neste segmento – da criação de estratégias de marketing incrivelmente detalhadas com base em enormes quantidades de dados até a geração automática de conteúdo, a ferramenta será cada vez mais usada pelos profissionais em cada novo passo dado no caminho a ser percorrido.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).