Por que encontrar talentos digitais é um desafio global

Divulgação
Vishal Makhijani, CEO da Udacity

Filho de pais indianos e nascido em Nova York, Vishal Makhijani sempre soube que tecnologia e globalização eram indissociáveis. Após ocupar cargos de gestão no Yahoo e na empresa de games Zynga, Makhijani assumiu em 2013 o posto de CEO da Udacity, startup de educação online fundada dois anos antes e conhecida como a “universidade do Vale do Silício” por oferecer cursos em sintonia com o que pede o mercado de tecnologia, geralmente em parceria com gigantes como Amazon, Google e Facebook.

LEIA MAIS: Kroton vai captar R$ 5,5 bi com debêntures

No Brasil desde 2016, a Udacity deu um passo importante para aumentar seu alcance no mercado nacional: anunciou no fim de julho um MBA executivo em marketing digital em parceria com a Kroton, um dos maiores grupos de educação do país. Com duração de dez meses, o MBA será oferecido online, com conteúdos elaborados por professores da Udacity e das universidades Anhanguera e Unopar, pertencentes à Kroton. Para Makhijani, a demanda por profissionais sintonizados com os meios digitais é crescente no mundo todo, ao mesmo tempo em que há escassez de profissionais especializados fora das tradicionais bolhas, como o Vale do Silício. “O desafio de encontrar talentos para a era digital é global. Empresas de todos os países, mesmo aqueles com maior tradição em tecnologia, como os EUA, têm dificuldades”, diz o CEO da Udacity.

As conversas com o grupo Kroton começaram no início deste ano e evoluíram rapidamente – ao lado da Índia e da China, o Brasil é um dos três mercados mais promissores para a expansão da empresa. “O cenário de retração econômica não preocupa. Mesmo na crise, as pessoas buscam se qualificar para buscar oportunidades melhores”, diz.

Desde o início da operação da Udacity no país, 4 mil alunos já se formaram nos cursos da startup, batizados de “nanodegrees”, que entregam conteúdo nas áreas de ciência de dados, programação, inteligência artificial e negócios digitais. Vários deles são concebidos em conjunto com empresas de tecnologia, e os alunos têm como tarefa desenvolver projetos com aplicação prática – um dos principais diferenciais da Udacity, segundo Makhijani. O valor relativamente acessível (o MBA lançado no Brasil custará R$ 5.745) e a possibilidade de cursar as disciplinas online são outros fatores de atração.

Com 40 mil alunos em 160 países, a Udacity já é considerada um unicórnio, com valor de mercado acima de US$ 1 bilhão.

Reportagem publicada na edição 61, lançada em setembro de 2018

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).