10 riscos globais que não devem ser ignorados em 2019

Getty Images
Ataques cibernéticos, mudanças climáticas e até os próprios CEOs das empresas estão na lista

Se você é um líder de negócios, provavelmente, gosta de colocar suas ideias em prática e investir no futuro com otimismo. No entanto, também faz parte de suas responsabilidades se planejar para os mais variados riscos, por exemplo, ameaças virtuais e mudanças climáticas, que fazem parecer que vivemos em um filme de ficção científica.

LEIA MAIS: Musk deveria ter comunicado sobre o risco da Tesla?

Desde ataques cibernéticos à infraestrutura nacional até um aumento das atividades terroristas, o número de possíveis cenários de desastres tem crescido em número e complexidade.

Para que não seja pego despreparado, veja, na galeria de fotos abaixo, uma lista com as 10 principais preocupações deste ano para líderes empresariais globais:

  • Crimes cibernéticos continuarão a aumentar
    Segundo a empresa de segurança na internet Hackmageddon, os ataques cibernéticos aumentaram em 2018. O crime virtual vale a pena para os envolvidos e continuará a crescer em 2019. Os criminosos ganham milhões de dólares e agem com impunidade, já que apenas um a cada dez mil casos são resolvidos, segundo o site CSO. Muitas vezes, o número de vítimas pode ser surpreendente, como no ocorrido com o hotel Marriott, que acabou com 500 milhões clientes infelizes devido a uma brecha no sistema. Se você não acha que deve se preocupar com ameaças da tecnologia, tenha em mente que executivos de alto perfil já perderam seus empregos por causa de violações cibernéticas.

  • Ataques cibernéticos patrocinados pelo Estado
    Ataques cibernéticos patrocinados pelo Estado representam uma parcela relativamente pequena dos crimes pelo mundo e costumam ser destinados a outras nações, mas o impacto é potencialmente grande e pode afetar os negócios. Qualquer embate travado entre países representa um risco, mas esses casos também são conhecidos por atacar empresas diretamente, como aconteceu com a Sony, que, segundo as primeiras acusações, foi atacada por um hacker norte-coreano. Mesmo que sua empresa não esteja no radar de conflitos entre nações, você deve considerar os efeitos de uma guerra cibernética em áreas de infraestrutura. Quão bem sua empresa poderia operar durante um apagão prolongado? Vai ser preciso muito mais do que alguns geradores. É melhor se preparar.

  • Cuidado com a utilização e armazenamento de dados
    Em um artigo recente, escrevi que a confiança nas instituições está se deteriorando à medida que a violação de dados revela sua administração irresponsável. O Facebook é o exemplo principal, pois tem acesso a inúmeros dados pessoais, mas certamente não é o único. A recente brecha no sistema chamou atenção para o que os líderes do Facebook consideravam ser práticas aceitáveis de compartilhamento de dados, o que gerou uma indignação pública. Como sua organização está usando e protegendo dados? Você se sentiria confortável se essas práticas fossem levadas a público? O que tudo indica é que esse escrutínio aumentará drasticamente em 2019, com a aplicação de uma nova regulamentação na União Europeia, relacionada à proteção de dados, e uma maior experiência dos usuários na internet.

  • Ameaças climáticas
    Os líderes de negócios precisam planejar um mundo em que as condições naturais estejam cada vez mais extremas, como efeito das mudanças climáticas. As inundações costeiras e o nível do mar aumentarão, assim como outras ameaças, como incêndios. O programa de pesquisa global de mudanças climáticas dos EUA confirmou em sua quarta avaliação nacional que o meio ambiente tem e continuará a ter efeitos cada vez mais devastadores em nossas comunidades, economia, saúde e infraestrutura. Isso sairá caro para a humanidade em termos de vidas perdidas, danos físicos e interrupção econômica. Os efeitos serão globais, mas, na Ásia, região mais propensa a desastres do mundo, os líderes de negócios precisam priorizar o planejamento de resiliência.

  • Cadeias de suprimentos estão cada vez mais vulneráveis
    Falando de fazer negócios na Ásia, as mudanças climáticas podem ter um impacto terrível nas cadeias de suprimentos globais, já que a maioria atravessa essa região. No entanto, há também muitos outros tipos de instabilidade que podem perturbar as cadeias de suprimentos. O impasse comercial entre os EUA e a China ainda está em seu estágio emergente, à medida que a dinâmica mundial de energia se reequilibra diante da proeminência chinesa. A interrupção no comércio terá consequências de longo alcance para muitos líderes de negócios. Tarifas causam distorções no mercado, que criarão ineficiências e aumentarão os preços, bem como a instabilidade. A incerteza política cria um ambiente difícil para os negócios, mas o ponto positivo é que a disciplina da resiliência da cadeia de suprimentos está melhorando o tempo todo, e há uma tremenda inovação neste espaço. Se você ainda não fez isso, é melhor dedicar mais recursos para avaliar o estado de sua cadeia de suprimentos.

  • Sinais apontam para um crash financeiro global
    A pergunta que não quer calar é o que acontecerá com a economia global. As previsões diferem, mas a curva de rendimento invertida, quando as taxas de juros de curto prazo são mais altas do que as de longo prazo, é um forte indicador de uma recessão no horizonte. As taxas de juros previstas nos EUA, na União Europeia e no Reino Unido podem afetar os fluxos de capital e reduzir o investimento em economias emergentes. A China pretende preencher lacunas, especialmente por meio de investimentos em agricultura e rodovias, mas uma recessão pode atrasar os planos. A guerra comercial EUA-China já levou a uma revisão das previsões de líderes do mercado, como a Apple. A tensão com outro grande parceiro comercial dos EUA, a União Europeia, agravará os problemas econômicos e criará um clima de investimento instável. Se as tendências protecionistas crescerem, pode ocorrer uma recessão econômica global. O mercado de ações instável que vimos no final de 2018 é apenas o começo. Seu negócio pode resistir à incerteza?

  • Inovação fará com que os negócios sofram uma ruptura
    Não está claro quando a próxima rodada de inovações amadurecerá em realidades financeiras e começará a impulsionar a produtividade global. Sabemos que grandes coisas estão à frente, como resultado de avanços em áreas como inteligência artificial, carros automáticos, computação quântica e sequenciamento genético. Essas possibilidades maravilhosas estão apenas começando a mostrar resultados, mas também seus riscos inerentes, como a primeira morte causada por um carro automático e o nascimento dos primeiros bebês geneticamente modificados. Claramente, essas mudanças serão fundamentais para alterar permanentemente a maneira como o mundo funciona e como fazemos negócios. A única maneira de estar preparado é começar cedo e fazer parte da mudança. Os líderes responsáveis precisarão moldar a ética em torno de como essas idéias são colocadas em prática para impulsionar a sociedade. Em 2019, você vai ser disruptivo?

  • Millennials querem sustentabilidade
    A poluição é um exemplo de como a inovação humana pode ter consequências imprevistas quando falhamos ao pensar no ambiente. A conscientização global sobre a ameaça da poluição teve destaque em 2018 com atenção especial para plásticos de uso único e seu efeito nos oceanos. A União Europeia até anunciou a proibição de certos tipos de plásticos, e o site Eater declarou a proibição de palhas de plástico como a tendência do ano. O interesse em questões sobre sustentabilidade e responsabilidade social corporativa continua a crescer, com 42% dos millennials, em comparação aos 35% da população geral, relatando que a esse é um fator importante para a decisão de compra. Os líderes de negócios costumam ignorar essa tendência. Falando de millennials, eles estão prontos para ultrapassar os baby boomers como a maior geração em 2019. Como sabemos, as duas gerações têm estilos de vida e gostos muito diferentes. Você pode ter ouvido que os millennials acabaram com quase tudo o que a outra geração amava, como guardanapos, por exemplo. Seria sensato ouvir suas demandas por sustentabilidade antes que eles acabem com o seu negócio também.

  • A ameaça do terrorismo permanece
    Ameaças terroristas continuam a ser cada vez mais imprevisíveis e podem acontecer em qualquer lugar a qualquer momento. Essa ameaça constante pode ter efeitos difíceis de serem medidos. Como eles impactam as empresas? Como afetam o desempenho no trabalho? Seus funcionários temem pela segurança pessoal no local de trabalho? O impacto psicológico que resulta da exposição a eventos turbulentos não é uma ameaça tão óbvia, mas precisamos estar preparados para isso. Os líderes podem definir um exemplo de abertura para discussão, expressar empatia pelas dificuldades enfrentadas pela equipe e mostrar um compromisso com a preparação. É preciso de energia para construir resiliência pessoal, e é preciso de recursos para construir resiliência organizacional. Tudo leva tempo e foco, mas não devemos esquecer o que está em jogo: nossas organizações, nossas comunidades, nosso país, nossas vidas. Vale a pena se preparar.

  • Você mesmo é um risco para a sua empresa
    É fácil ser um líder durante um tempo de crescimento e sucesso, mas o verdadeiro teste vem durante os tempos sombrios. Muitos líderes não têm treinamento e experiência suficientes para lidar com uma crise, muito menos para tirar sua organização dela. A falta de experiência em gerenciamento de crises entre os principais executivos foi listada como um dos principais riscos para as empresas em 2019, segundo um levantamento global de líderes de risco, feito pela empresa DRI International. A maioria dos líderes entende a importância da comunicação com a mídia durante a crise, mas não tem outras habilidades de gerenciamento. Mesmo que sua organização tenha programas de risco, decisões inapropriadas tomadas por você durante uma crise podem prejudicar esses esforços e colocar a organização inteira em risco.

Crimes cibernéticos continuarão a aumentar
Segundo a empresa de segurança na internet Hackmageddon, os ataques cibernéticos aumentaram em 2018. O crime virtual vale a pena para os envolvidos e continuará a crescer em 2019. Os criminosos ganham milhões de dólares e agem com impunidade, já que apenas um a cada dez mil casos são resolvidos, segundo o site CSO. Muitas vezes, o número de vítimas pode ser surpreendente, como no ocorrido com o hotel Marriott, que acabou com 500 milhões clientes infelizes devido a uma brecha no sistema. Se você não acha que deve se preocupar com ameaças da tecnologia, tenha em mente que executivos de alto perfil já perderam seus empregos por causa de violações cibernéticas.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).