Celebridades chinesas devem US$ 1,62 bi em impostos

Getty Images
A atriz Fan Bingbing, assim como outros na indústria do entretenimento, deverá pagar multas

Autoridades da China coletaram mais de 11 bilhões de iuans (aproximadamente US$ 1,62 bilhão) em impostos não pagos por celebridades e empresas de entretenimento desde o estouro da crise na indústria, informou hoje (22) a mídia estatal “Xinhua”.

LEIA MAIS: Wesley Snipes deixou de pagar US$ 23,5 mi em impostos

A artista mais famosa a ser flagrada neste processo é a atriz Fan Bingbing, que tem 62 milhões de seguidores nas redes sociais. Ela recebeu ordens para pagar cerca de US$ 129 milhões em multas e impostos atrasados em outubro do ano passado, depois de sumir dos holofotes por quatro meses.

A atriz divulgou um pedido de desculpas após receber as ordens, dizendo que aceita a decisão das autoridades e está disposta a superar as dificuldades para pagar as multas e supervisionar melhor suas empresas.

Especialistas do setor lamentaram que um “inverno frio” tenha recaído sobre o negócio desde que as autoridades lançaram a medida, com projetos de filmes parados e investidores vendendo suas ações.

A Huayi Brothers Media Corp, uma empresa ligada a Fan Bingbing, assistiu o valor de suas ações cair pela metade desde o ano passado, enquanto a receita de bilheterias do segundo maior mercado de filmes do mundo, atrás apenas dos Estados Unidos, diminuiu em 2018.

Autoridades disseram que a indústria deveria descansar a mente e focar no trabalho, mas acrescentaram que não deixarão de ter como alvo empresas e indivíduos considerados altamente expostos a riscos relacionados a impostos.

Os trabalhadores do entretenimento devem “praticar os valores socialistas e se esforçar para ter crença, empatia e senso de responsabilidade na nova era”, disseram as autoridades.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).