Microsoft volta a ser maior empresa do mundo

Getty Images
Temporada de balanços alça companhia de Bill Gates ao topo do ranking

Há menos de seis meses, o pódio com as três maiores empresas por valor de mercado apresentava a Apple em primeiro lugar, com US$ 1 trilhão de receita, seguida pela Amazon em segundo, e a Alphabet, mãe do Google, em terceiro.

LEIA MAIS: Valor de mercado da Microsoft supera o da Apple

Naquela época, a Microsoft, menina dos olhos das gigantes norte-americanas de tecnologia e primeira empresa do mundo a alcançar US$ 500 bilhões em capital de mercado, ocupava o quarto lugar na lista. No entanto, isso foi antes do quarto trimestre de 2018, período difícil para os líderes das três primeiras empresas que trouxe a Microsoft de volta ao jogo.

Isso não significa que as ações da empresa de Bill Gates não sofreram o impacto do final do ano passado. Assim como a maioria das empresa do setor de tecnologia, as ações da Microsoft ficaram sob pressão. No entanto, ela se manteve bem melhor do que as rivais, talvez porque tenha divulgado o balanço fiscal do terceiro trimestre logo no mês de setembro, superando as expectativas dos analistas, enquanto a Amazon e a Apple decepcionaram investidores ao redor do mundo no mesmo período. O valor das ações da Microsoft caiu 11% entre setembro e o final do ano passado, mas já subiu 3% em 2019. Em contrapartida, os papéis da Apple caíram 30% no quarto trimestre de 2018.

E, agora que a Microsoft é a maior empresa do mundo por capital de mercado, uma visão administrativa da economia global pode ser um aspecto relevante a ser considerado pelos investidores. Outras empresas que divulgaram até agora o balanço de ganhos dessa temporada disseram que a queda na economia chinesa está afetando os negócios. Ou seja, vale a pena esperar para ver se a Microsoft também sofreu algum impacto com isso.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).