Como fazer os millennials confiarem na sua marca

GettyImages
Dados da Sprout Social de 2017 relatam que 30% dos millennials se engajam socialmente com uma marca pelo menos uma vez por mês

Houve um tempo no qual, quando a expressão “marketing millennial” era mencionada, as pessoas reviravam os olhos. Esse tempo acabou. Hoje, a geração Y é responsável por mais de US$ 1 trilhão em gastos no mercado norte-americano. Segundo a Goldman Sachs, existem 91 milhões deles atualmente, contra apenas 61 milhões da geração X e 77 milhões de baby boomers. E esse grupo jovem e inteligente de consumidores tem muita influência na maneira como as marcas são consumidas.

VEJA TAMBÉM: Queridinho dos millennials, Sanches abre primeira exposição solo

Por quê? Primeiro de tudo, essa demografia é muito mais social do que qualquer outra coisa. Dados da Sprout Social de 2017 relatam que 30% dos millennials se engajam socialmente com uma marca pelo menos uma vez por mês. Além disso, tanto os jovens da geração millennial quanto da X têm duas vezes mais chances de seguir marcas do que os baby boomers. Além disso, eles compartilham, tuitam e retuítam e divulgam no Snapchat e no Instagram suas experiências com os produtos. Graças ao neurotransmissor indutor de prazer, a dopamina, eles checam seus telefones 150 vezes por dia.

Mas eles não estão apenas socializando – esses jovens usam a internet para pesquisar produtos antes de comprar. Ao contrário da crença popular, muitos dos millennials têm dinheiro. Na verdade, um em cada seis tem US$ 100 mil em economias. E, se você quer atrair a atenção desse grupo bastante grande de jovens consumidores, é preciso ser esperto ao anunciar sua empresa nos canais sociais e nas plataformas de pesquisa, onde eles passam grande parte do tempo.

Millennials são céticos

Quando digo ficar esperto ao anunciar online, quero dizer que é preciso fazer isso da maneira certa.

A geração do milênio não confia em publicidade, resenhas de celebridades ou em qualquer uma das tradicionais estratégias de comunicação unidirecionais. Eles estão aumentando o ceticismo em “influenciadores” ao colocar em xeque sua credibilidade. Essa descrença é, em grande parte, devido ao fenômeno das “fake news” que atormentaram (e até certo ponto, impulsionaram) políticos e estrelas nos últimos anos. Essa tendência de notícias falsas minou a confiança dos consumidores norte-americanos – e os millennials são, provavelmente, os mais cautelosos de todos.

E AINDA: Saiba quais são os principais erros e acertos dos millennials nas finanças

Então, como é possível ganhar a confiança dos consumidores mais jovens online? Com conteúdo gerado pelos próprios usuários (UCG, user generated content em inglês), como resenhas.

Escrevi no mês passado sobre a importância da autenticidade e como as empresas podem aproveitar o conteúdo gerado pelo usuário, como avaliações online, para adicionar credibilidade à mensagem da marca. Quase todos os millennials (97%) leram comentários antes de escolher um produto e 89% deles confiam nestas opiniões. Um estudo recente no Reino Unido descobriu que oito em cada dez pessoas da geração Y nunca compram nada sem primeiro ler uma resenha.

Outra forma popular de UCG são fotos. Segundo o Statista, imagens são a forma mais comum de conteúdo criada pelos millennials. É provável que esse tipo de postagem seja compartilhada, já que a geração do milênio usa conteúdo visual para se comunicar (pense no Snapchat e no Instagram). Digamos que um grupo de jovens de 24 anos experimenta um novo restaurante e tira inúmeras fotos para registrar a experiência. Eles postam no Instagram e mencionam o username do lugar. Os jovens estão rindo e talvez dizendo algo legal sobre a comida. Isso é publicidade gratuita e confiável, além de ser viral.

Outra forma é por meio do Google Seller Ratings, mecanismo de avaliação dos anunciantes da plataforma de pesquisa. As classificações do Google são uma extensão do Google AdWords que exibe, automaticamente, a média da empresa ao lado dos seus anúncios.

Mas, para obter uma classificação, é necessário fazer a lição de casa. Você precisa de, pelo menos, 150 análises autênticas em até 12 meses, e a pontuação total dessas resenhas deve ser de, no mínimo, 3,5 estrelas. Além disso, a origem das opiniões deve ser um dos sistemas de comentários aprovados pelo Google – e há apenas cerca de 15 deles.

LEIA AQUI: 5 maneiras para conseguir o engajamento de millennials

Basicamente, quando você consegue o Google Seller Rating é como se a plataforma dissesse que a empresa merece ser levada em consideração. Essa é uma maneira eficiente de fazer com que os consumidores da geração millennial – ou qualquer tipo de consumidor – confiem em você e no que você oferece. Quando sua empresa exibe um Google Seller Rating, seus clientes em potencial mais criteriosos saberão que ela é respeitável e fornecerá um produto ou serviço de alta qualidade. Como consequência, atrairá leads mais qualificados. Segundo o Google, anúncios com a classificação alcançam 17% mais cliques.

A defesa promove a publicidade

Se você pensar a respeito, os millennials mudaram completamente a forma de fazer negócios – eles são a razão pela qual o mobile é muito importante e a entrega em domicílio de tudo, da mobília ao café da manhã, é comum. Eles transformaram as expectativas sobre o local de trabalho e nós respondemos com almoços gratuitos, descontos em academias e coquetéis.

A geração do milênio conhece seus limites e não tem medo de os tangenciar. Então, faz todo o sentido que nossas estratégias de publicidade tenham que mudar para capturar sua atenção e conquistar sua confiança.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).