Como um vendedor de cachorro-quente virou milionário aos 27 anos

Reprodução
Jon Carder disse que, desde a infância, teve a “doença” do empreendedorismo

Jon Carder parece ser um mestre natural na criação de startups de alto crescimento. Entre surfar e procurar maneiras de seus novos empreendimentos terem um impacto ainda maior, esse fundador adota constantemente o aprendizado de coisas novas.

LEIA MAIS: A evolução de Sarah Michelle Gellar para o empreendedorismo

Em uma recente entrevista ao “DealMakers Podcast”, Carder compartilhou alguns dos contrastes escandalosos que tem experimentado no crescimento de novos empreendimentos e deu conselhos para outros empreendedores, considerando o começo, a capitalização e a saída do negócio.

Esqueça a limonada, quem quer um cachorro-quente?

Carder disse que, desde a infância, teve a “doença” do empreendedorismo. Ele lembrou sua grande estréia ao lançar, não a tradicional barraca norte-americana de limonada, mas de cachorro-quente em sua calçada, indo e voltando da cozinha para o meio-fio com sanduíches preparados no microondas. Foi atuado por um policial local, que se juntou à fila de carros neste passeio improvisado pela lanchonete. Ele não tinha permissão para funcionamento. Felizmente, não havia ordem de prisão envolvida.

Carder continuou enlouquecendo sua mãe com todos os tipos de pequenos negócios. Eles iam desde cartões de baseball, quando ficava até as 11 horas da noite vendendo revistas de porta em porta para ganhar um concurso escolar.

eHeaven

Impulsionado por sua paixão pelo surfe e pelo sonho de um dia ter sua própria mansão na praia, Carder foi para a faculdade. Ele trabalhava na lanchonete local, mas sempre soube que, para realizar seus sonhos, precisaria começar seu próprio negócio.

Enquanto tentava atrair mais clientes para consumir hambúrgueres, Carder notou que todas as mães e mulheres grávidas que freqüentavam a loja se encontravam do outro lado da rua. No entanto, nenhum vendedor oferecia qualquer produto para bebês. Ele aproveitou a oportunidade e lançou o que descreve como seu negócio mais curto de todos os tempos. O empreendimento faliu em duas semanas. Nem mesmo faturando o suficiente para cobrir o que investiu.

VEJA TAMBÉM: A receita de empreendedorismo de Henrique Fogaça

Felizmente, um amigo de curso deu a Carder a ideia de vender na internet. Com os últimos US$ 300 que havia deixado em seu cartão de crédito estudantil, o jovem fundador investiu em seu primeiro site.

Embora o eHeaven tenha sido uma mistura de site de produtos para bebês e a primeira tentativa artística de uma banda de hard rock de entrar na internet, ele continuou a agregar conhecimento. Carder aprendeu marketing digital e afiliado e até conseguiu um backlink (link para o seu site, publicado em outro site) da Huggies. Ele cresceu para um milhão em vendas e foi comprado por um dos maiores concorrentes da startup.

Do macarrão instantâneo a US$ 100 mil por mês

Mesmo que a eHeaven não tenha terminado em uma implosão, Carder disse aos ouvintes do “DealMakers Podcast” que o fluxo de caixa era sempre uma luta. Tanto que, na venda da empresa, ele devia à Wells Fargo US$ 12 mil em taxas de saques. Você está sempre preso entre finalmente conseguir, mas precisar criar estoque em um negócio como esse. Ele comeu muito macarrão instantâneo durante esse processo.

O próximo empreendimento de Carder o levou a vender hipotecas online. Aplicando todas as lições de marketing digital aprendidas com seu empreendimento anterior, apenas três meses depois, Carder passou dos jantares à base de macarrão instantâneo a uma renda de US$ 100 mil por mês. Uma tal reversão de fortuna que seu contador estava logo pediu-lhe para comprar um Hummer para reduzir sua responsabilidade fiscal.

Não demorou muito para que a venda de sua empresa virasse capa de revista especializada. Só então a mãe de Carder acreditou que ele não havia se envolvido com o tráfico de drogas.

E TAMBÉM: 10 escolas que mais apoiam o empreendedorismo feminino nos EUA

Foi nesta negociação que o empresário se tornou um milionário aos 27 anos. Ele decidiu se aposentar e ir para a Indonésia, atrás de sua paixão pelo surfe. Mal sabia ele que depois de alguns meses estaria pronto para começar seu próximo empreendimento.

Você pode bater um crescimento de 2.700%?

O empreendimento de hipotecas de Carder se tornou a empresa privada que mais cresce em San Diego, na Califórnia (EUA). Uma companhia com crescimento de 2.700% em três anos. Em sua próxima startup financiada, Mogl, gabou-se de um crescimento mensal de 30% a 60%. Seu empreendimento mais recente, Empyr, possui milhões de clientes.

Comece a vender cedo

Mesmo que Carder tenha achado negligente vender sua empresa de hipotecas, ele disse que isso lhe ensinou uma de suas mais importantes lições nos negócios e talvez na vida. Um conhecimento adquirido na estrada quando a bateria do seu Hummer descarregou.

Para aqueles que consideram vender seus empreendimentos, ou que estão desfrutando de um grande boom nos negócios, ele recomenda iniciar o processo de venda com pelo menos dois anos de antecedência. Sim, pode demorar muito para concretizar uma saída.

Carder também disse que qualquer coisa que você possa aprender sobre negociação pode definitivamente ajudar no processo. A aventura de aprendizado torna tudo mais fácil. Isso se aplica a oportunidades, testes de canais de marketing e de negócios, e ao escalonamento.

Acima de tudo, ele disse para não se casar com o resultado. Seja grato pelo que você recebe. Concentre-se no processo.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).