Como Bernard Arnault virou a segunda pessoa mais rica do mundo

GettyImages
Bernard Arnault, o mais novo membro do ultra seleto trio com fortuna acima de US$ 100 bilhões, ultrapassou Bill Gates e se tornou o segundo homem mais rico do mundo

Resumo:

  • Bernard Arnault ultrapassou a fortuna de US$ 100,1 bilhões de Bill Gates e assumiu a segunda posição no ranking dos mais ricos do mundo da Forbes;
  • O bilionário francês bateu a marca de US$ 100 bilhões pela primeira vez em junho deste ano;
  • Jeff Bezos segue como primeiro colocado, com US$ 162,3 bilhões;
  • Arnault é CEO da LVMH, grupo detentor de marcas de luxo como Louis Vuitton e Christian Dior.

Bernard Arnault, o mais novo membro do ultra seleto trio com fortuna acima de US$ 100 bilhões, ultrapassou Bill Gates e se tornou o segundo homem mais rico do mundo. O francês, CEO da LVMH, entrou para o grupo dos 12 dígitos em junho deste ano e atualmente tem patrimônio líquido estimado em US$ 103,3 bilhões, US$ 200 milhões a mais que o fundador da Microsoft (US$ 103,01 bilhões).

VEJA TAMBÉM: Os 10 novos bilionários mais notáveis de 2019

Jeff Bezos, que em breve deve entregar um quarto de sua participação na Amazon à ex-esposa, MacKenzie, segue na primeira colocação da Lista de Bilionários da Forbes, com US$ 162,3 bilhões. Bezos alcançou o patamar dos 12 dígitos pela primeira vez em 2017.

Forbes
Evolução da fortuna de Bernard Arnault

O crescimento da fortuna de Arnault tem sido impulsionado pelo consumo de bens de luxo e destilados de alto padrão no mundo todo, apesar dos temores de que a demanda, particularmente na China, fosse desacelerar. Trinta e cinco anos depois de o CEO da LVMH ter entrado pela primeira vez no setor de artigos de luxo, com a compra da Christian Dior, ele continua a atualizar seu conglomerado, mantendo os valores tradicionais e a alta qualidade que definem suas marcas. Isso inclui parcerias inovadoras como as duas com a cantora e empresária Rihanna (Fenty Beauty e a grife Fenty), além dos acordos recentes como a aquisição da Belmond, que opera hotéis de luxo, trens e até safáris.

“As pessoas não entendem que o sucesso deriva da junção de dois espíritos contraditórios: a visão do artista e a lógica do marketing mundial”, disse Arnault à Forbes, em 1997. “É um processo muito complexo.”

A Forbes escreveu pela primeira vez sobre Arnault em 1991, quando sua fortuna era de US$ 200 milhões. O CEO da LVMH por diversas vezes foi personagem dos textos da publicação, assim como capa da revista. Ele fez sua estreia no grupo de bilionários em 1997. Alguns leitores devem conhecer bem sua história, mas vale a pena recordar.

E AINDA: Os bilionários mais jovens de 2019

Nativo do norte da França, Arnault era um estudante de renome da prestigiosa École Polytechnique da França. Filho de um magnata da construção civil, ele passou três anos nos EUA, no início dos anos 80, na tentativa de implantar uma filial do negócio imobiliário de sua família, Ferinel, especializada em imóveis de férias na Flórida. Segundo um perfil da Forbes de 1997, Arnault aprendeu uma lição valiosa nos Estados Unidos. Antes de voltar para casa, ele vendeu sua propriedade em estilo mediterrâneo de frente para Long Island Sound, em New Rochelle, Nova York, para o magnata norte-americano John Kluge, seu vizinho. Kluge, então, demoliu a construção porque ela bloqueava sua vista.

“Foi inacreditável!”, disse Arnault à Forbes. “Era um lugar muito agradável, mas dois dias após a aquisição, ele transformou minha casa em destroços! Isso é muito … norte-americano.” Lição aprendida: “Quando algo precisa ser feito, faça! Na França, existem grandes ideias que raramente são postas em prática”.

Arnault voltou para seu país pronto para fazer alguns movimentos. Em 1984, aplicou US$ 15 milhões do dinheiro de sua família para resgatar o falido império têxtil Boussac. Entre os ativos mistos, estava a Christian Dior. Essa se tornou a primeira das muitas aquisições de Arnault, dentro do seu imenso império de bens de luxo. Ao longo dos anos, a LVMH adquiriu marcas como Louis Vuitton, Givenchy e Sephora. Hoje, o grupo possui quase US$ 53 bilhões em vendas, provenientes das 70 marcas e das 4.590 lojas de varejo.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook

Twitter

Instagram

YouTube

Baixe o app de Forbes Brasil na Play Store e na App Store

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).