Conheça o visionário que criou uma empresa de US$ 1,4 bilhão

Reprodução / Forbes
David Gurle, CEO da Symphony Communication, ex-Microsoft

Resumo:

  • David Gurle começou sua carreira em telecomunicações na Microsoft, onde trabalhou diretamente com Bill Gates;
  • Especializado em telecomunicações, desde cedo, ele apostou na tecnologia voice-over-IP;
  • A empresa atual de Gurle, Symphony Communication, já arrecadou mais de US$ 400 milhões.

David Gurle foi pioneiro em muitas das formas como nos comunicamos atualmente e também na próxima geração de ferramentas de privacidade online.

LEIA MAIS: 5 lições de empreendedorismo de CEOs famosos

Recentemente, Gurle foi um convidado do podcast “DealMakers”. Durante sua entrevista, ele compartilhou sua história, as experiências e lições que aprendeu ao trabalhar com Bill Gates na Microsoft, onde levantou milhares de milhões de dólares de investidores “top tier” (que investem mais de US$ 1 milhão), entre outros temas.

 

Cidadão do mundo

Filho de pai francês e mãe inglesa, Gurle passou sua infância na Turquia, na Síria e no Líbano. Assim, ganhou uma perspectiva multicultural global logo cedo.

“Tive a chance de ter a sabedoria das ruas antes da sabedoria acadêmica, e de lutar, criar estratégias e vencer as pequenas batalhas do dia a dia. Crescer assim foi uma experiência que me ensinou muito sobre pragmatismo, compreender o outro, achar um jeito de estabelecer a paz e sempre prosseguir com consenso”, conta Gurle.

Quando tinha 14 anos, Gurle foi para Cannes, no sul da França. Lá, tornou-se instrutor de esqui e acreditava que esse era seu futuro. Até que no tempo do Atari e do Commodore, os dinossauros da computação, ele se apaixonou pela ciência e pela precisão. E se formou em ciência da computação e telecomunicações.

Em 1995, depois de trabalhar para empresas como a Digital Equipment Corporation e a France Telecom, ele percebeu que tudo iria se converter à tecnologia de Internet Protocol (IP). Se você usa serviços como o Skype, é porque em 1995 as pessoas começaram a mandar mensagens de voz por pacotes de rede como o IP. Ele começou a se envolver com o tema e até se mudou para Israel durante a Guerra do Iraque.

VEJA TAMBÉM: Brasileiro é vencedor dos Prêmios Rolex de Empreendedorismo 2019

Para se desafiar, Gurle decidiu escrever um livro sobre a tecnologia de voice-over-IP (voz sobre IP), que é o roteamento de voz por meio da banda larga. Gurle começou em uma época em que ia frequentemente para Israel e a outros lugares do mundo. Ao todo, ele já publicou cinco livros.

À Microsoft e além

Gurle disse que percebeu que, para o voice-over-IP acontecer, a Microsoft teria de adotá-lo, porque a tecnologia teria de ser embedada no Windows. E, se a tecnologia fosse parte no sistema operacional da Microsoft, a revolução começaria.

Após seus períodos na ETSI (European Telecommunications Standards Institute) e na VocalTec, ambas empresas de telecomunicação, ele se juntou à Microsoft, aposentou-se no dia seguinte e seguiu na empresa depois disso para ajudar no desenvolvimento da tecnologia. Depois de apenas algumas semanas, ele conheceu Bill Gates. Gurle se tornou o gerente geral de produtos de comunicação em tempo real da empresa.

Quando a Microsoft adotou seu novo protocolo, todos sabiam que não tinham outra escolha a não ser segui-lo. Isso se tornou o facilitador de praticamente tudo, de telefones celulares ao Skype. Na verdade, Gurle se juntou ao Skype até ele ser comprado por US$ 8 bilhões.

Uma sinfonia de negócios globais

Quando chegou a Palo Alto, Gurle encontrou uma cultura completamente diferente e extremamente empreendedora. Ou seja, um atraente conjunto de pessoas que sempre desafiam o status quo e tentam o fazer acreditar que, se você não faz nada, você não tem valor.

VEJA TAMBÉM: 10 dicas de empreendedorismo de Anitta

Gurle foi picado pelo inseto de empreendedorismo. Algumas pessoas de seu último emprego investiram em sua companhia, e foi assim que a Perzo nasceu. A empresa foi um sucesso.

Rapidamente, Gurle teve a chance de vender a companhia e ter lucro. Em vez disso, coordenou um consórcio para comprar sua empresa. Ele negou uma saída que poderia ter mudado sua vida financeiramente em troca de uma oportunidade de fazer algo ainda maior, e continuar parte dele. Assim, nasceu a Symphony Communication, uma plataforma de comunicação e compartilhamento de conteúdo segura e baseada em nuvem.

Até agora, a Symphony já arrecadou US$ 460 milhões. Entre seus investidores, estão Mitsubishi UFJ Financial, Standard Chartered, Goldman Sachs, Morgan Stanley, JPMorgan, Deutsche Bank, Google, Bank of America, Merrill Lynch, Citi Group, HSBC e Wells Fargo.

“Eu vejo toda instituição global financeira como um investidor e, obviamente, como um cliente da Symphony também. O mais interessante é que, primeiro eles são clientes, e depois viram investidores. Então, isso é ainda melhor.”

Gurle tem uma opinião interessante a respeito de levantar fundos. Para ele, não é apenas sobre o dinheiro, é sobre o desafio mental. “Isso testa sua tese ao lidar com pessoas sofisticadas que vão usar seu dinheiro para assumir riscos por confiarem em você, no seu plano, no seu time e, basicamente, em todo o ecossistema que você constrói. Isso o testa contra essas pessoas que fazem uso inteligente do dinheiro.”

Gurle diz que esse teste é muito, muito gratificante. Na perspectiva dele, formar-se nos termos certos e com a valorização correta gera confiança. A partir desse ponto, você melhora progressivamente. Seu time também é uma parte muito importante da equação. Porque eles crescem com você e também porque eles aproveitam os benefícios do crescimento da companhia.

Como descrito por Gurle, em sua essência, contar uma história é tudo na arrecadação de fundos, e ele foi capaz de dominar essa técnica. Para ele, conseguir sintetizar o que você faz em uma apresentação de 15 a 20 slides é a chave.

VEJA TAMBÉM: França (finalmente) adota o empreendedorismo

O presente e o futuro

Agora, a Symphony tem 300 pessoas, uma presença empresarial global do Palo Alto a Tokyo, 400 firmas clientes, 400.000 usuários, US$ 50 milhões em renda, com crescimento de aproximadamente 40% ao ano.

Gurle diz acreditar que a próxima fase acontecerá quando pessoas começarem a perceber que segurança, privacidade e confidencialidade são atributos importantes para o ser humano digital temos nos tornado. Não temos presenciado muito dessa privacidade ultimamente, é só procurar por “Facebook” no Google.

Gurle tem mudado o jeito como enviamos mensagens, documentos e fazemos negócios, o que cria um novo conceito de segurança que muitas pessoas ainda nem sabem que precisam.

Como ser bem-sucedido em qualquer coisa

Para aqueles que querem ser empreendedores e começar um negócio, Gurle diz que uma estrada sozinha está por vir. Isso pode ser verdade até para sua família, amigos e times ao seu redor. “Esteja pronto.”

Você carrega o peso da responsabilidade no final. Criar um grande time e o organizar é crucial. Gurle diz que, a partir desse ponto, você foca em como resolver quebras-cabeça, em vez priorizar como comandar tecnologias ou melhorar seus negócios.

Na opinião de Gurle, no final, a forma como as pessoa trabalham umas com as outras importa mais do que o que elas fazem e, se você fizer isso bem, pode ser bem-sucedido em qualquer coisa.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook

Twitter

Instagram

YouTube

Baixe o app de Forbes Brasil na Play Store e na App Store

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).