Prédio em Paris é o primeiro a ser vendido totalmente em blockchain

Para ser vendido por blockchain, imóvel foi dividido em tokens

Resumo:

  • Pela primeira vez na história do blockchain, a venda de um imóvel foi feita completamente em tokens;
  • Prédio parisiense servirá de referência para outras vendas imobiliárias usando a tecnologia.

Na semana passada, o Anna Villa em Paris entrou para a história como o primeiro imóvel europeu a ser vendido inteiramente por transações em blockchain. O prédio de luxo, localizado no distrito parisiense de Boulogne-Billancourt, foi avaliado em € 6,5 milhões e vendido para as imobiliárias francesas Sapeb Immobilier e Valorcim.

LEIA MAIS: IBM, Walmart e Merck iniciam programa de blockchain

O acordo – que foi gerenciado pela plataforma de investimento em blockchain Equisafe – foi feito com o token Ethereum, e foi a mais nova tentativa global de levar a tecnologia de blockchain às vendas imobiliárias. Ano passado, um imóvel de US$ 30 milhões em Manhattan também foi dividido em token com o uso do Ethereum, e em janeiro deste ano, um resort de luxo em Aspen, Colorado levantou US$ 18 milhões com as ofertas de tokens.

A indústria imobiliária normalmente é vista como madura para o uso dos tokens, já que sua liquidez baixa e barreira de entrada impedem a entrada de potenciais investidores. Dividir imóveis em pequenas posses permitiria que o público geral acessasse facilmente essas ações, permitindo que imóveis sejam negociados de maneira parecida ao do mercado de ações.

A busca por tokens imobiliários revela que já existem dúzias sendo negociadas em mercados secundários. Por exemplo, o grupo de ações digitais Elevated Returns planeja transformar em tokens US$ 100 milhões de imóveis na Tailândia este ano. O grupo do Reino Unido Brikcoin espera poder usar blockchain para construir moradias acessíveis.

VEJA TAMBÉM:
Bancos Centrais usam o blockchain para estabilizar o sistema financeiro global

Além do benefício da liquidez, o processo de dividir imóveis em tokens oferece muitas outras vantagens em comparação ao método antiquadamente tradicional. Por exemplo, na venda do Anna Villa, muitos dos complexos documentos envolvidos na venda de propriedades (como escrituras e provas de identidade) foram codificados e registrados no blockchain. Se medidos efetivamente, tempo e custos economizados quando essas informações não precisam ser verificadas manualmente são enormes. A Equisafe chega a afirmar que indivíduos poderão criar perfis de investidor e acessar ofertas em menos de meia hora.

Se o blockchain ainda é novidade na indústria imobiliária, aparentemente existe um interesse na tecnologia que pode manter seu progresso. Com pequenos experimentos como referência, é provável os resultados estejam sendo muito bem observados.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook

Twitter

Instagram

YouTube

Baixe o app de Forbes Brasil na Play Store e na App Store

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).