Como escrever um bom plano de negócios

gettyimages-Hero-Images
Um plano de negócios pode ajudar a obter financiamento, aprimorar estratégias e alcançar objetivos

Resumo:

  • Um plano de negócios pode dar uma carona a você no sentido da conquista de seus objetivos; 
  • Carrie Hurwitz e Jake Nice foram entrevistados no podcast “Your Next Avenue” e deram seus conselhos e visões sobre a criação de um plano de negócios de sucesso; 
  • Há 6 pontos importantíssimos sobre o assunto abaixo.

VEJA TAMBÉM: Soluções de longo prazo podem ser mais eficientes para os negócios

Se você planeja começar um negócio antes dos 50 anos, é crucial entender como escrever um plano de negócios e por que ter um. Um plano de negócios pode ajudá-lo a obter financiamento, aprimorar estratégias e alcançar objetivos. No último episódio do podcast “Your Next Avenue”, entrevistei dois especialistas experientes para ouvir seus conselhos e visões sobre planos de negócios, Carrie Hurwitz e Jake Nice. “Um plano de negócios ajuda a criar e a manter o foco no que você deseja”, disse Nice.

Hurwitz Williams é uma analista da indústria de saúde e diretora da empresa McKesson, que investe em companhias acossadas por desafios de negócios na área de saúde. Nice é diretor da Nationwide, braço corporativo da Nationwide Insurance que investe em empresários e startups de olho no futuro dos serviços de seguro e financiamento. Nós conversamos no Silicon Valley Boomer Ventura Summit no Club e Spa Claremont em Berkeley, na Califórnia.

Você pode ouvir o episódio “Como escrever um plano de negócios” aqui, em inglês. As anotações sobre o episódio dão detalhes sobre o que Hurwitz Williams e Nice dizem e links para os principais fundamentos usados.

Saiba que: criar um plano de negócios inteligente toma tempo e esforço, você vai precisar revisar e atualizar regularmente, além de evitar cometer falhas graves.

Confira 6 destaques do podcast sobre planos de negócios:

  • 1. Por que escrever um plano de negócios?

    “Benjamin Franklin dizia que falhar em se preparar é se preparar para falhar”, disse Nice. Um plano de negócios pode ajudar você a pensar “mais amplamente sobre a oportunidade e sobre o que pode encontrar no caminho. Isso é realmente importante ao pensar no que quer alcançar”, afirmou o executivo.

    Já Hurwitz Williams relaciona plano de negócios a responsabilidade. “Isso é para os empreendedores se forçarem a algum nível de responsabilidade, a assegurar suas ideias e a transparência delas. Ajuda você a ser honesto consigo mesmo: ‘Eu entendo o que quero fazer e sei como fazer?’”, disse. “Depois, seu plano pode ser compartilhado com investidores, sejam eles amigos, da família ou investidores financeiros formais… O plano pode atrair investimento e até mesmo um sócio, ou ajudar a recrutar um talento em potencial para a equipe.”

  • 2. Quanto tempo dedicar à criação do plano?

    Para Hurwitz Williams, o tempo é relativo: depende do quanto a pessoa gasta gestando a ideia e pensando sobre a oportunidade. “Pode levar de alguns meses a alguns anos até a pessoa sentir que está pronto.” Nice acrescentou: “Se você está entrando em algo novo, imagino que leve de seis a doze meses para ter algo bem pensado.”

  • 3. O plano deve incluir riscos e possíveis problemas?

    Tanto Nice como Hurwitz acham uma boa ideia. Mas, “se você vai incluir riscos, deve colocar as soluções, também”, diz Nice.

  • 4. Vale a pena contratar um profissional ou seguir um modelo padrão para fazer meu plano?

    Hurwitz Williams desaconselhou começar gastando dinheiro. “Se, ao longo do tempo, você encarar um impasse e não encontrar saída, aí pode valer a pena considerar contratar alguém. Mas eu não faria isso”, disse. “Concordo completamente. A grande quantidade de recursos disponíveis na internet hoje pode ajudar você a criar um plano”, corroborou Nice.

  • 5. O que deve ficar fora de um plano de negócios?

    “Mesmo que você tenha gastado muito tempo para fazer seu plano, não precisa detalhar toda a pesquisa”, defendeu Hurwitz Williams. Um plano de negócios é um documento mais objetivo e formal. Além disso, deve-se evitar incluir qualquer coisa que pareça ilusória. “Algumas vezes, recebemos planos de negócios com números astronômicos, que não condizem com a realidade”, disse Nice. “Se você está escrevendo ali que possui uma empresa de trilhões de dólares, entenda como conseguiu chegar a esse ponto, porque não existem muitas empresas assim no mercado.”

  • 6. Quando atualizar meu plano de negócios?

    Uma vez por ano é uma frequência boa, segundo Nice, para quem um plano de negócios não deve ser gravado em pedra. “Você vai conversar sobre o assunto e ouvir a opinião das pessoas e isso vai forçá-lo a questionar hipóteses que havia feito logo no início. E então você continuará a refinar o plano”, completou Hurwitz Williams.

1. Por que escrever um plano de negócios?

“Benjamin Franklin dizia que falhar em se preparar é se preparar para falhar”, disse Nice. Um plano de negócios pode ajudar você a pensar “mais amplamente sobre a oportunidade e sobre o que pode encontrar no caminho. Isso é realmente importante ao pensar no que quer alcançar”, afirmou o executivo.

Já Hurwitz Williams relaciona plano de negócios a responsabilidade. “Isso é para os empreendedores se forçarem a algum nível de responsabilidade, a assegurar suas ideias e a transparência delas. Ajuda você a ser honesto consigo mesmo: ‘Eu entendo o que quero fazer e sei como fazer?’”, disse. “Depois, seu plano pode ser compartilhado com investidores, sejam eles amigos, da família ou investidores financeiros formais… O plano pode atrair investimento e até mesmo um sócio, ou ajudar a recrutar um talento em potencial para a equipe.”

(Esse artigo e o episódio de podcast são parte do America’s Entrepreneurs, uma iniciativa da Next Avenue possível a partir da fundação da família de Richard M. Schulze e do site EIX, the Entrepreneur and Innovation Exchange.)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).