Aprenda lições de liderança com as estrelas dos negócios Jeff Bezos e Elon Musk

ReproduçãoForbes
Jeff Bezos, fundador e CEO da Amazon

Resumo: 

  • Jeff Bezos lidera a Amazon e a Blue Origin e Elon Musk lidera e Tesla e o SpaceX; 
  • Juntas, as duas companhias geraram mais de US$ 1 trilhão nos últimos 10 anos; 
  • Bezos e Musk lideram de formas muito distintas, veja quais são essas diferenças e por que elas funcionam.

Seja qual for sua visão de Jeff Bezos e Elon Musk, é difícil argumentar contra o sucesso deles no que diz respeito a criação e liderança de organizações inovadoras com missões desafiadoras. Jeff Bezos lidera a Amazon e a Blue Origin (a companhia espacial que quer levar pessoas à Lua). Elon Musk está à frente da Tesla e da SpaceX (a companhia espacial que quer levar pessoas a Marte para formar uma colônia). Juntas, as empresas geraram mais de US$ 1 trilhão em valor de mercado nos últimos dez anos. Assim, não é surpresa para ninguém que Bezos e Musk estejam empatados no primeiro lugar na lista Forbes 2019 dos líderes mais inovadores dos EUA.

Mas, quando os entrevistamos (e aqueles que trabalham com eles), encontramos alguns paradoxos interessantes ao comparar seus estilos de liderança. Claro que existem importantes semelhanças. Por exemplo, os dois transformaram com sucesso suas visões sobre a realidade ao construírem seus capitais de inovação-ou seja, sua capacidade de conquistar recursos e apoio para impulsionar novas ideias ousadas. Se qualquer outra pessoa que não fosse Elon Musk tivesse pensado em construir túneis abaixo de Los Angeles para transporte de alta velocidade, não se ouviria nada além de risadas. Mas, quando Musk propôs o Hyperloop, foi recebido com entusiasmo e até investimento. Ao apenas mencionar a ideia, Musk já foi capaz de gerar uma explosão de atenção midiática.

Mas, além do capital de inovação, esses dois líderes abriram caminho para esses grandes resultados de maneiras marcantes, porém opostas. Veja por que e como os dois alcançaram o sucesso com estilos diferentes de liderar.

Cliente x tecnologia em primeiro lugar

Bezos é um inovador muito mais focado no conceito de “cliente em primeiro lugar”. Ele instalou um processo inovador na Amazon que toma como ponto de partida um foco obsessivo nas necessidades do cliente e depois trabalha com o histórico para descobrir como inovar para melhor atender. Em essência, Bezos utiliza uma abordagem focada em resolver a incerteza (em torno das preferências) do mercado (demanda) e, em seguida, assume que pelo menos a incerteza tecnológica pode ser resolvida.

Em contrapartida, Musk usa uma abordagem de “tecnologia em primeiro lugar”. “Acho que Elon adotou a filosofia de Steve Jobs. Ele acredita que sabe para onde o mercado está indo e entende mais do que ninguém o que os clientes precisam e desejam. Como resultado, dá relativamente pouca atenção para o que os consumidores estão clamando no momento e muito mais para coisas que eles nem sabem que precisam”, revela um ex-executivo da Tesla. Assim, Musk escolhe o que ele próprio considera um grande problema.

O empresário atribui seu sucesso na solução de problemas às escolhas analíticas. “Eu utilizo uma abordagem de análise a partir dos primeiros princípios”, disse Musk. A abordagem dos primeiros princípios -que foi articulada e nomeada pela primeira vez por Aristóteles- é a prática de identificar as principais restrições fundamentais para alcançar um avanço no desempenho e, em seguida, testar todas as opções possíveis para eliminar uma ou mais dessas restrições.

Por exemplo, com a Tesla, as principais restrições em direção ao sucesso foram a redução do custo e aumento da autonomia da bateria para exceder 480 km. Já a SpaceX superou problemas com a criação de foguetes reutilizáveis ​​que reduziriam drasticamente o custo das viagens espaciais. Com a The Boring Company, a principal restrição é a velocidade de tunelamento de uma máquina “chata”. As velocidades atuais são de 91 metros por semana. Mas, de acordo com a análise dos primeiros princípios de Musk, elas muito mais lentas do que a física sugere que poderiam ser. Então ele quer aumentar essa velocidade para mais de um quilômetro e meio por semana, uma melhoria de dez vezes. Assim, o empresário se concentra nos desafios em que a necessidade é clara, mas a tecnologia ainda não foi desenvolvida.

VEJA TAMBÉM:China isentará veículos elétricos da Tesla de imposto

Qual método é melhor? Bem, isso depende do problema que você está tentando resolver. A abordagem de Bezos funciona especialmente bem quando a inovação exige um profundo entendimento das necessidades e preferências dos clientes; ou, em outras palavras, quando há muita incerteza no mercado de demanda (as pessoas vão comprar?). Por outro lado, a abordagem de Musk funciona bem quando há muita incerteza tecnológica (podemos construir?). Isso pelo menos em parte explica por que Musk prefere alardear visões e objetivos ousados, enquanto Bezos é mais reservado.

Expressar visões e objetivos

Musk e Bezos também diferem dramaticamente na maneira como expressam ou comunicam suas visões e seus objetivos. Musk é muito ousado e público. Por outro lado, Bezos é muito mais discreto. Tem simplesmente a ver com personalidade?

Uma segunda razão tem a ver com os tipos de problemas que eles escolhem resolver. Bezos pode ser mais contido porque está explicitamente levando em consideração as necessidades atuais dos clientes; consequentemente, ele não precisa vender preventivamente suas inovações. Ele simplesmente precisa executá-las mais rapidamente do que os concorrentes. Portanto, é do seu interesse não anunciar antes de lançar o produto. Em contraste, Musk busca tecnologias inovadoras; ser ousado e público é uma maneira de atrair atenção e futuros clientes. Também o ajuda a atrair recursos financeiros e capital humano talentoso (para resolver problemas técnicos complicados).

Mas essa diferença também parece estar relacionada ao estilo de liderança pessoal. Quando Musk lançou a SpaceX em 2002, ele anunciou: “Nossa missão na SpaceX é revolucionar a tecnologia espacial com o objetivo final de permitir que as pessoas vivam em outros planetas”. Ele falou explicitamente sobre seu objetivo de criar uma colônia humana em Marte. Mais tarde, chegou a estimar que o custo para um indivíduo viajar para lá seria “menos de meio milhão de dólares”. Já Bezos lançou silenciosamente o Blue Origin dois anos antes, em 2000. Na verdade, sua primeira entrevista pública sobre a empresa não aconteceu até 2005. Bezos prefere testar e aprender tranquilamente antes de revelar o que descobriu como resultado de seus esforços de inovação.

ReproduçãoForbes
Elon Musk, fundador e CEO da Tesla

Musk foi criticado por compartilhar publicamente objetivos impossíveis. O “Wall Street Journal” informou que a Tesla não conseguiu alcançar 20 de seus objetivos anunciados, e raramente atinge seus prazos ambiciosos. Musk respondeu afirmando que “não estabeleço metas que eu sei que não podem ser alcançadas” e que “em vez de focarmos em ter um bom resultado, devemos nos empenhar no esforço que fazemos para adquirir esses ótimos resultados.”

O cofundador e diretor técnico da Tesla, JB Straubel, acredita na abordagem de Musk e reforça: “Elon é um mestre em aproveitar e canalizar a equipe para fazer coisas incríveis que vão além do que a equipe achava possível. Se você desafia as pessoas a trabalharem duro, elas alcançam mais do que pensam que podem. A maioria dos líderes não quer fazer isso”. Isso não significa que Bezos não desafie suas equipes. No time executivo da Amazon, cada líder tem até 20 metas sérias a que se comprometem e cumprem. Eles são apenas mais reservados ao falar sobre eles, em parte, porque podem financiar internamente suas inovações, enquanto Musk precisa ganhar muito mais apoio externo para poder criar novos segmentos.

Plano consciente x saltos ousados

Quando Bezos lançou a Blue Origin, ele escreveu uma carta sobre o primeiro dia, assim como fez para a Amazon. “Somos uma pequena equipe comprometida em semear uma presença humana duradoura no espaço”, escreveu ele. “A Blue perseguirá esse objetivo de longo prazo pacientemente, passo a passo. Ao dividir nosso trabalho em incrementos pequenos, mas significativos, esperamos gerar o maior número possível de etapas intermediárias. Cada passo, mesmo o primeiro e mais simples, será desafiador. E cada passo estabelecerá as bases técnicas e organizacionais para o próximo. ”

Por outro lado, a abordagem de Musk parece impaciente e focada em grandes descobertas. Ao lançar a Tesla, ele escreveu: “Nosso objetivo é acelerar o advento do transporte sustentável, trazendo carros elétricos atraentes para o mercado de massa o mais rápido possível. (…) Para alcançar esse objetivo, grandes saltos na tecnologia são necessários.”

Bezos enfatiza o passo a passo, enquanto Musk foca em grandes saltos na tecnologia. Seus estilos diferentes foram caracterizados como semelhantes aos famosos personagens do conto da tartaruga (Bezos) e a lebre (Musk). Apesar dessas diferenças na maneira como descrevem os objetivos, quando se trata de seus processos reais de inovação no dia a dia, ambos lideram um processo focado em transformar grandes problemas em pequenos.

Delegação e empoderamento de funcionários

Jeff Bezos é conhecido na Amazon por ser o último a falar em reuniões. Ele prefere ouvir o que os outros têm a dizer sem influenciá-los. Além disso, ele está disposto a deixar as pessoas executarem uma ideia, mesmo que não concorde com ela. “Dentro de uma grande empresa, você precisa ter vários caminhos para o ‘sim'”, ele nos disse. “Eu sou um grande defensor disso. Costumo ‘discordar e acolher’ [um princípio de liderança da Amazon, no qual você é incentivado a discordar, mas acolhe depois que a decisão é tomada] e incentivo outras pessoas a fazerem isso. Eu digo: ‘Essa ideia não faz sentido para mim. Serei totalmente honesto sobre isso. Aqui estão minhas razões’. ‘Mas depois também direi: Olha, você é uma pessoa de bom senso. Vá tentar’. É isso que significa vários caminhos para o ‘sim’.” Bezos delega e capacita os funcionários a experimentar e correr riscos. De fato, ele admitiu uma vez: “Cometi falhas de bilhões de dólares na Amazon. Literalmente”.

LEIA MAIS: Amazon vai oferecer ajuda para prevenção ao suicídio

Já Musk leva a agenda da Tesla e da SpaceX em um ritmo frenético. Como já dito, ele acredita no pensamento dos primeiros princípios; portanto, se quiser convencê-lo de algo, use a lógica e análise. A questão é que, se os foguetes não voam com precisão ou os carros não correm corretamente, as pessoas podem morrer. Portanto, Musk monitora muito de perto e substitui decisões que ele considera que podem estar equivocadas. A abordagem de cobrança pesada de Musk resulta em metas desafiadoras para os funcionários e um processo para alcançá-las que envolve um intenso monitoramento da parte dele. Isso pode explicar em partes porque Bezos teve muito mais estabilidade com sua equipe de liderança do que Musk.

Conclusão

Então, o que se pode aprender com essas diferenças gritantes no estilo de liderança quando se trata de inovação? Bezos lidera por etapas pequenas, incrementadas e orientadas em direção a resultados que lhe dão credibilidade para fazer coisas novas continuamente. Lembre-se de que ele não começou com essa credibilidade, precisou conquistá-la com o tempo, primeiro ao vender livros online. A partir desse ponto de vista, expandiu com sucesso para varejo online, serviços da web (com Amazon Web Services), dispositivos eletrônicos (por exemplo, Kindle, Alexa) e entretenimento (Amazon Video e Amazon Music Unlimited). A abordagem de Bezos tem sido construir sua reputação de inovação lentamente, prova por prova ao longo do tempo, por meio de experimentos que resultaram em um desempenho sólido.

Musk, no entanto, adotou o que pode ser visto como uma abordagem de alto risco/alta recompensa ao se envolver em pensamentos visionários para obter apoio para suas ideias ousadas. Ele articula uma visão elevada e emocionante para seus empreendimentos. Isso pode parecer fácil de fazer quando se toma produtos da SpaceX e da Tesla; mas ele faz isso com artigos ainda mais comuns, como o Tesla PowerWall, que é essencialmente uma grande bateria extra que fica em sua garagem. Sobre o Powerwall, ele disse: “Estamos tentando mudar a estrutura energética fundamental do mundo”.

Musk estabelece uma grande visão para atrair recursos humanos e financeiros para seus empreendimentos. “Elon realmente entende as pessoas”, diz Sterling Anderson, ex-chefe da divisão de pilotos automáticos da Tesla e co-fundador da Aurora. “Ele entende o que atrai pessoas mundialmente, especialmente engenheiros de classe mundial. Com esses engenheiros, ele é capaz de criar um produto melhor. E esse produto chama clientes e investidores, o que reforça o ciclo.” A sequência é basicamente a seguinte; depois de tornar públicas suas visões ousadas, Musk atrai capital humano e financeiro para seus empreendimentos e torna sua visão viável por meio de uma abordagem dos primeiros princípios.

Ao seguir caminhos diferentes, Bezos e Musk lançaram com sucesso várias inovações e subiram ao topo da nossa lista de líderes mais inovadores. Seu sucesso por meio de estilos contrastantes mostra que a liderança inovadora não se baseia em uma fórmula previsível. Se fosse assim, todos poderiam alcançar facilmente o mesmo sucesso.

 

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).